'Coincidência'

Com gestão ambiental em xeque, Luciano Rezende conquista holofote na esteira da Vale

Uma lista extensa de denúncias coloca em xeque a gestão ambiental do prefeito de Vitória, Luciano Rezende (PPS), inclusive – e principalmente - em relação às principais poluidoras do município, Vale e ArcelorMittal. Mas o anúncio de uma decisão nesta quinta-feira (31), na esteira do segundo crime sangrento da mineradora, jogou holofote na prefeitura tanto na imprensa local quanto nacional: a inscrição da Vale na dívida ativa do município, devido a cinco multas ambientais emitidas em janeiro de 2016 e ainda não pagas, que totalizam R$ 42,4 milhões (valores atualizados), pelo não cumprimento de condicionantes e pelas emissões de material particulado, o conhecido e insuportável pó preto. Não passou batido, porém, que a resposta sobre essas multas tenha aparecido somente agora, em meio a críticas a órgãos públicos em todo o País devido à omissão em relação à empresa. A sociedade civil, representada pela ONG Juntos – SOS Espírito Santo Ambiental, cobrou durante o ano de 2018 transparência e providências sobre as mesmas multas no Conselho Municipal de Meio Ambiente (Comdema). A entidade queria saber a quantas andava o processo e porque a demora no julgamento dos recursos (além das multas à Vale, também à Arcelor), para impedir o risco de que as multas tivessem o mesmo destino de outras 42 aplicadas pelo governo Luciano Rezende, que foram simplesmente prescritas, leia-se engavetadas! A demanda não foi acatada pela prefeitura, mas a negativa do Comdema ao último recurso da Vale finalmente saiu no início de novembro passado e, na época, o prazo para pagamento era de 20 dias. A gestão municipal esperou passar final de novembro, dezembro e janeiro quase inteiro, para então resolver “fechar o cerco” à mineradora. Sei... 

Sem nome
A notícia no site da prefeitura sobre a inscrição na dívida ativa foi publicada na manhã desta quinta identificando a Vale. Depois, ocorreu uma edição. Título: “Multa milionária ambiental é inscrita na dívida ativa do município”. No texto, diz apenas que as multas foram aplicadas a “uma mineradora”. A decisão foi repercutida até em O Globo.

Uma tacada só
Luciano aproveitou o embalo e anunciou também nesta quinta outras duas multas à Arcelor, que totalizam mais de R$ 3 milhões, alegando emissão de material particulado e operação de atividades de elevado potencial poluidor em desacordo com a legislação e normas vigentes. A prefeitura lembra que a empresa é reincidente. Jura?

Anota aí...
Em suas declarações sobre as medidas, o prefeito avisou que o “tempo de poluir a cidade, mesmo com justificativa econômica, acabou”. Constatação um: demorou, hein? Constatação dois: está fácil “bater” nas poluidoras agora.

Figurinhas repetidas
Em mais uma inauguração no interior do Estado, nessa quarta-feira (30), o governador Renato Casagrande levou a mesma comitiva que esteve com ele outro dia em Nova Venécia. Pelo visto, são os “aliados da vez”.

Figurinhas repetidas II
Ao entregar uma unidade do Campo Bom de Bola no distrito de São Jorge de Tiradentes, em Rio Bananal, apareceram na foto, de novo, os deputados estaduais Renzo Vasconcelos (PP) e Raquel Lessa (Pros), que tomam posse nesta sexta-feira (1º), e Eliana Dadalto (PTC) e Freitas (PSB), ambos derrotados no pleito de 2018 - Freitas, porém, assumirá como suplente.

Gabinete compartilhado
Líderes do movimento Acredito, de renovação política, o deputado federal eleito pelo Estado, Felipe Rigoni (PSB), e Tabata Amaral (PDT-SP) são vizinhos de gabinete na Câmara. Os dois, novatos, ficaram lado a lado “por sorte”, como declararam à Agência Brasil, e pretendem atuar em conjunto, somando no bolo ainda o senador Alessandro Vieira (Rede-SE), outro integrante do grupo.

Seleção
Aliás, enquanto a Câmara foi tomada por campanha nesta quinta, véspera da posse e eleição da Mesa Diretora, Rigoni e Tabata passaram o dia envolvidos com a finalização do processo seletivo de suas respectivas equipes. Eleito em segundo lugar no Estado, Rigoni será o primeiro deputado federal cego da Câmara.

‘Coração de mãe’
Maylla Barcellos Venturim, campeã nacional de bodyboarding, aumenta ainda mais o bloco do PSB no governo Casagrande. Ela foi nomeada para o cargo em comissão de gerente de Esportes de Formação e Rendimento, da Secretaria de Esportes e Lazer (Sesport). Maylla disputou a eleição municipal de 2016, atrás de uma vaga na Câmara da Serra, mas não entrou.

Substitutos
O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-ES) escolheu nesta quinta os juízes Heloísa Cariello e Ubiratan Azevedo para ocuparem as vagas relativas às classes dos juízes de direito do órgão, nos lugares de Helimar Pinto e Aldary Nunes Junior. O recesso do tribunal acaba na próxima semana.

PENSAMENTO:
“Nada é mais falso do que uma verdade estabelecida”. Millôr Fernandes

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.