Conselho de Saúde organiza 9ª conferência para discutir financiamento do SUS

No Brasil, mais de 200 milhões de pessoas utilizam o Sistema Único de Saúde de forma universal e gratuita

O Conselho Estadual de Saúde (CES) está em fase de preparação e organização da 9ª Conferência Estadual de Saúde, que terá como tema “Democracia e Saúde: Saúde como direito e consolidação e financiamento do SUS”.

O evento está previsto para acontecer entre os dias 29 de maio e 1º de junho no Sesc de Guarapari, na Grande Vitória, com expectativa de reunir, aproximadamente, 750 congressistas de todo o Estado.

De acordo com a secretária executiva do CES, Gilmara Faria Barbosa, serão realizadas mesas redondas para discutir os temas: Saúde como direito, Consolidação dos princípios do Sistema Único de Saúde (SUS) e Financiamento adequado e suficiente para o SUS.

A composição do conjunto de delegadas e delegados respeitará resolução do Conselho Nacional de Saúde (CNS) e, com isso, terá 50% de usuários do SUS, 25% de trabalhadores da saúde e 25% de gestores/prestadores de serviços de saúde, além de buscar promover o mínimo de 50% de mulheres do total de participantes.

O objetivo da 9ª Conferência é analisar as prioridades locais de saúde, formular propostas no âmbito dos municípios e do Estado e, por fim, elaborar relatório final.
 
Etapas municipais

Até a 9ª Conferência Estadual, as cidades capixabas estão realizando etapas municipais e, em seguida, serão realizadas etapas regionais preparatórias para o encontro estadual. 

Em Cachoeiro de Itapemirim, por exemplo, o Conselho Municipal de Saúde (CMS) vai promover nos dias 2 e 3 de abril, na escola municipal Zilma Coelho Pinto, no bairro Ferroviários, a VII Conferência Municipal de Saúde, cujo tema será “Democracia e Saúde: Saúde como Direito e Consolidação e Financiamento do SUS”. Estão previstas também conferências municipais em Linhares (22/03), Vitória (26 e 27/03), Vila Velha (09/04), Cariacica (05 e 06/4) e Guarapari (11/04).
 
Já as etapas regionais ocorrem no dia 02 de maio em São Mateus (Norte), no dia 9 de maio em Colatina (Central), no dia 21 de maio em Cachoeiro (Sul) e no dia 15 de maio em Vitória (Metropolitana). 
 
Emenda será redescutida

Um dos principais temas em discussão nas conferências municipais, regionais e na etapa estadual é o financiamento do SUS, que sofreu cortes com a Emenda Constitucional nº 95/2016 congelando os investimentos no Sistema até 2036. Desde então, o Conselho Nacional de Saúde (CNS), por meio de recomendações e inúmeros debates, tem considerado a medida inconstitucional. O presidente do CNS, Fernando Pigatto, tem tentado reverter a medida em conversas com o ministro presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli.

O objetivo do CNS é que a pauta ganhe prioridade no plenário do STF e seja debatida entre todos os onze ministros. A Comissão Intersetorial de Orçamento e Financiamento (Cofin) do CNS estima que o prejuízo à saúde pública possa chegar a R$ 400 bilhões em 20 anos.

Desde 2016, o conselho tem feito uma ampla campanha para que a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 5.658, que tramita no STF com o objetivo de revogar a emenda, seja votada. A ADI, cuja relatora é a ministra Rosa Weber, trata das graves consequências da EC 95, que também incide sobre o direito à educação no Brasil.

Segundo Fernando Pigatto, ao longo dos anos, muitas políticas deixarão de ser cumpridas devido à falta de recursos imposta pela emenda. “Garantir o acesso à saúde e educação, entre outras políticas públicas, é obrigação do Estado Brasileiro e devem estar acima de qualquer divergências político-ideológicas para termos uma sociedade mais justa”, disse.

Em abril de 2018, cerca de mil conselheiros e conselheiras de todos os estados brasileiros, além de representantes de movimentos sociais e entidades, entregaram ao STF 70 mil assinaturas contra a EC. A entrega ocorreu durante a 21ª Plenária Nacional de Conselhos de Saúde. Atualmente, o CNS já possui cerca de 100 mil assinaturas.

No Brasil, mais de 200 milhões de pessoas utilizam o Sistema Único de Saúde (SUS) de forma universal e gratuita. 
 

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Mulher em situação de violência poderá ter atendimento prioritário no SUS

Apenas nos sete primeiros meses deste anos, 17 mulheres foram mortas no Espírito Santo

Secretário de Saúde arquiva chamadas públicas para Organizações Sociais

Nésio fez o anúncio durante apresentação do projeto de fundação pública ao Conselho Estadual de Saúde

Mais de 500 trabalhadores vão às ruas reivindicar saúde pública de qualidade  

Com o tema “Resistir pelo SUS público e democrático”, a Marcha homenageou o sindicalista Valdecir Gomes

Marcha da Saúde levará militantes às ruas contra desmonte do SUS

Realizado anualmente pelo Sindsaúde, o evento tem apoio de representantes de diversos movimentos sociais