Conselho Estadual denuncia descumprimento de decisão do STF para Unis Norte

Levantamento apontou taxa de ocupação superior a 119% na Unis Norte e na Unip Norte, ambas em Linhares

O Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente do Espírito Santo (Criad-ES) divulgou, nesta semana, uma carta aberta à sociedade capixaba em que denuncia o descumprimento das determinações do Supremo Tribunal Federal (STF) estabelecidas pelo Habeas Corpus - HC 143.988, em agosto de 2018. 

Decisão do ministro Edson Fachin, o HC determinou que a taxa de ocupação das unidades de internação capixabas não ultrapasse o quantitativo de 119% de sua capacidade, estabelecendo essa margem máxima de superlotação para que seja possível garantir os direitos dos socioeducandos. Contudo, em levantamento recente realizado pelo Conselho, verificou-se que a taxa de ocupação da Unidade de Internação Provisória (Unip/Norte) e da Unidade de Internação do Norte do Estado (Unis Norte), ambas em Linhares, excedem esse limite. No primeiro caso, a taxa está em 137% e no segundo caso em 123%, dados desta sexta-feira (26).

A decisão do ministro Fachin foi direcionada, inicialmente, a adolescentes internos da Unis Norte, localizada em Linhares, que deveriam ser remanejados para o meio aberto (regime de liberdade assistida ou prestação de serviço à comunidade) até que a superlotação da unidade, que variava na ocasião entre 270% a 300%, caísse para 119%. Em seguida, passou a valer para todas as unidades socioeducativas capixabas. O ministro chegou a dar um prazo de 30 dias para que a decisão fosse cumprida pela Justiça capixaba, que chegou a fazer o remanejamento em Linhares. No entanto, passados oito meses, a unidade voltou a ficar superlotada, assim como a Unip, localizada em Cariacica. 

“Diante do fato, o Criad-ES informa que está acompanhando as movimentações do Poder Executivo e do Poder Judiciário, de forma a garantir que a determinação da Corte Suprema não continue sendo desrespeitada pelos atores estaduais, que têm a obrigação de efetivá-la e de zelar pela garantia integral dos direitos dos adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas”, reforçam os representantes do Conselho da Carta Aberta, datada do último dia 23 de abril de 2019.

O Criad-ES é um órgão normativo, deliberativo, controlador e fiscalizador da política de promoção, defesa e atendimento à infância e adolescência, criado pela Lei Estadual Nº 4.521/91, alterada pela Lei Complementar Nº 830/2016 e regulamentada pelo Decreto Estadual Nº 4.837-E/91 e pela Resolução CRIAD Nº 01/93.

Fiscalização em conjunto

Em setembro do ano passado, entidades da sociedade civil, incluindo o próprio Criad, o Núcleo de Estudos da Criança e do Adolescente da Universidade Federal do Estado (Ufes) e o Centro de Defesa dos Direitos Humanos da Serra (CDDH-Serra) se uniram para fiscalizar o cumprimento do HC do Supremo. De acordo com a presidente do Criad, Galdene Santos, um dos objetivos centrais, na ocasião, era que os direitos fundamentais, sobretudo à vida e à integridade física e psíquica, dos adolescentes e jovens, além dos servidores da Unis Norte, fossem preservados

“Reduzir a superlotação da Unis Norte foi um caso judicializado, mas estamos acompanhando, efetivamente, o cumprimento do habeas corpus, juntamente com outras entidades da sociedade civil que têm cunho fiscalizador”, disse.

Defensoria 

Levantamento do Núcleo de Infância e Juventude da Defensoria Pública do Estado (DPES) em 2018 revelou que a Unis Norte, que atende a 30 municípios da região norte e noroeste, teria ficado naquele ano com lotação em torno de  270% a 300%, ou seja, funcionando três vezes acima da sua capacidade, com até mais de 400 adolescentes ocupando espaço para 150 vagas.

A Defensoria monitora a Unis Norte desde 2013. A partir de 2015, os defensores começaram a entrar com medidas judiciais para conter a superlotação, como a impetração de um habeas corpus; um deles teve decisão favorável do STF. 

Em novembro de 2017, um adolescente foi atingido por vários golpes de objeto perfurocortante dentro da unidade e levado para atendimento médico no Hospital Geral de Linhares (HGL). Em dezembro de 2016, outra intercorrência. Dessa vez, um adolescente foi morto por espancamento por outros internos.

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Criad apela ao Supremo sobre superlotação do sistema socioeducativo

Determinação do Supremo sobre taxa de ocupação das unidades capixabas não tem sido cumprido pelo Estado

STF determina imediato afastamento de titular do Cartório de Registro de Imóveis

Alexandre de Moraes considera ato de improbidade da Justiça capixaba manter titular por permuta em VV

Demarcação de Terras Indígenas pela Agricultura é vetada no STF

Ministro Barroso alegou inconstitucionalidade na reedição da MP por Bolsonaro numa mesma legislatura

Habeas corpus do socioeducativo capixaba é estendido para CE, BA, RJ e PE

Decisão inédita aplica o princípio numerus clausus a outros estados, levando em conta média de ocupação