Cordas bambas (ou não)

Chicão e Daniel da Açaí: cidades vizinhas, dois prefeitos cassados...e o desfecho?

Cidades vizinhas, dois prefeitos cassados, mas o desfecho....quanta diferença? A decisão contra o prefeito de Conceição da Barra (norte do Estado), Francisco Bernhard Vervloet (PSDB), o Chicão, que teve o mandato cassado por unanimidade pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-ES), ressuscitou o caso de outro prefeito da região, Daniel da Açaí (PSDB), de São Mateus. Depois de o processo relacionado a Chicão chegar à Assembleia Legislativa nessa segunda-feira (23), em discurso do deputado Freitas (PSB), outros parlamentares resolveram engrossar o coro em defesa do tucano nesta terça (24), até parar em Daniel da Açaí, pela voz do líder do Governo, Enivaldo dos Anjos (PSD), que vez ou outra toca nesse assunto. Entre elogios rasgados a Chicão, feitos também por Raquel Lessa (Pros), e críticas à Justiça Eleitoral tanto local como em Brasília, mas sob ângulos diferentes (a primeira por ter cassado Chicão; o TSE por demorar a julgar Daniel da Açaí), fica a pergunta e comparação. O prefeito de Conceição da Barra, que corre contra o tempo para tentar reverter a decisão, conseguirá repetir o enredo que envolve Daniel desde 2017? O prefeito de São Mateus se mantém à frente da prefeitura por meio de liminar há um ano e nada do Tribunal Superior Eleitoral julgá-lo. Se tiver êxito em estratégia semelhante, Chicão poderá ficar nesse mesmo “balança mas não cai” e concluir o mandato. Mas daí os dois prefeitos resistirem até a disputa de 2020, com seus projetos de reeleição, já serão outros capítulos do pesadelo, para alegria dos adversários políticos.

Acusação
Chicão foi condenado por abuso de poder econômico devido a um programa lançado em 2016 pela prefeitura, quando ele era secretário de Assistência Social da gestão do aliado - já falecido - Jorge Donati. A então pasta do atual prefeito concedeu 290 bolsas de capacitação, obtendo ganhos eleitorais, como entendeu o TRE. Chicão venceu o pleito por uma diferença de apenas 1,2 mil votos em relação a Manoel Pé de Boi (PMN).

Acusação II
O mesmo crime eleitoral recai sobre Daniel da Açaí, também nas eleições de 2016. O então candidato distribuiu água potável à população de São Mateus, que amargava grave crise hídrica, por meio de caminhões-pipa contendo adesivos com o nome "Açaí Água Mineral", empresa de sua propriedade.

Duas réguas
No caso de Chicão, no entanto, os deputados contestam a decisão, alegando que  sua gestão é “correta e eficiente” e que o Tribunal Regional Eleitoral “arranjou argumento para cassá-lo”. Já em relação a Daniel, chamado de “irresponsável e incompetente”, pelo contrário, o órgão estava mais do que certo ao validar a cassação e errado agora é o TSE, que demora a tirá-lo do cargo.

Empenhado
Enivaldo, aliás, enviou ofício à ministra Rose Weber, presidente do TSE, pedindo para que paute o julgamento do processo de Daniel da Açaí. O deputado alega que o processo ficou parado depois que o prefeito contratou os serviços do escritório de advocacia de Henrique Neves, ex-ministro do próprio Tribunal. Dica pra Chicão?

Cadê?
Vice-presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia, o deputado estadual Vandinho Leite (PSDB) reclamou, na sessão desta terça-feira (24), que mais uma vez não teve reunião do colegiado. O presidente Fabrício Gandini (Cidadania) desmarcou, apesar dos 170 processos à espera de análise. Gandini também não apareceu no plenário.

Cadê II?
Vandinho reclamou que se colocou à disposição para “tocar” a reunião como vice, mas não foi autorizado. Poucos minutos antes do horário, recebeu um ofício informando que a mesma não aconteceria. Ele pediu empenho dos membros da comissão e foi interrompido por Marcelo Santos (PDT), que defendeu Gandini, referindo-se a um acordo entre os membros.

Cabo eleitoral
Com a confirmação do lançamento da candidatura da deputada federal Norma Ayub (DEM) à prefeita de Marataízes no próximo ano, quem já deve ter iniciado campanha em favor dela é o primeiro suplente, Neucimar Fraga (PSD). A não ser que ele prefira abrir mão da cadeira na Câmara, a mexida na coligação desafoga a disputa em Vila Velha, onde Neucimar foi prefeito e era cotado para 2020. 

Munição
No dia em que transmitiu o cargo de governador para viajar à Itália, na sexta-feira (20), Renato Casagrande inaugurou a obra de reforma e ampliação do Centro Estadual de Ensino Médio em Tempo Integral Professora Maria Penedo, em Itacibá, Cariacica. A ordem de serviço foi assinada lá em 2014, ainda no final do seu primeiro mandato. Ou seja, discurso certeiro na direção do adversário, Paulo Hartung.

Munição II
...“A gente colhe o que planta. Quem planta ódio, colhe ódio. Quem planta amor, colhe amor. Começamos a escola, o governo passado não concluiu e quando começamos nosso governo não paralisamos essa obra em nenhum momento. Nós temos responsabilidade com o dinheiro público”, disparou Casagrande na solenidade.

PENSAMENTO:
“Todo o homem é culpado do bem que não fez”. Voltaire

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Prefeito de Conceição da Barra cassado pelo TRE recebe manifestação de moradores

O prefeito ''Chicão'' vai apresentar recurso contra a cassação, contestando abuso de poder econômico

Supermercado Perim terá que ressarcir vizinhos por prejuízos de incêndio em 2012

Incêndio afetou a residência de nove pessoas, que receberão pelos danos morais e materiais

‘Prejú’

Norma fica, Daniel da Açaí sai: maré eleitoral não parece favorável, mesmo, para Colnago