Crise interna na PM repete clima de insatisfação do movimento de 2017

Capitão Assumção confirma o desgaste, principalmente sobre o projeto de promoções dos militares

A crise da Polícia Militar do Espírito Santo (PMES), que parecia ter sido contornada pela anistia administrativa concedida pelo governador Renato Casagrande (PSB), ainda não foi solucionada. Sinal disso são uma série de memes que tem circulado em grupos de WhatsApp dos militares, acusando Casagrande de "manter a política desastrosa de desvalorização da tropa" de seu antecessor Paulo Hartung (sem partido). 

Há, inclusive, ameaça de novas paralisações, a exemplo do que ocorreu em fevereiro de 2017, o que culminou com homicídios em série (mais de 200 em 20 dias), além da escalada de crimes contra o patrimônio.

Segundo informações que chegaram a Século Diário, “há uma crise interna na PMES e o governo e a população devem ser alertados disso, uma vez que a realidade da PMES aparentemente continua a mesma. Os pleitos dos policiais ainda são os mesmos de 2017, pois nenhum deles foi atendido”, diz a a mensagem.

O alerta é confirmado pelo deputado estadual Capitão Assumção (PSL). Ele explica que o motivo do rápido fim da “lua de mel” com o governo Casagrande é um projeto de lei em vias de ser enviado para a Assembleia Legislativa, que trata as regras para promoções de policiais militares e bombeiros. 

O texto, elaborado pela equipe do ex-governador Paulo Hartung, não agrada aos militares, que consideram a proposta um “pacote de maldade” do ex-secretário de Segurança, coronel Nylton Rodrigues. 

Segundo Assumção, o projeto retira a expectativa dos PMs, que desejam promoção por tempo de serviço e não por merecimento. Casagrande argumenta, por sua vez, que a promoção por tempo de serviço geraria gastos que não estão previstos no Orçamento e que aumentariam o custeio.

Para Assumção, o projeto deve ser melhor debatido, para evitar um desgaste maior, voltando ao clima de fevereiro de 2017. 

Alternativa

Enquanto a questão da lei de promoções não se resolve, os deputados estaduais capitão Assumção e coronel Alexandre Quintino, do PSL, conseguiram aprovar na Assembleia uma indicação que será enviada ao governador Renato Casagrande, propondo que a Gratificação de Serviço Extra, plantões extraordinários realizados comumente por todos os policiais e bombeiros do Estado, sejam incorporadas aos vencimentos e proventos. 

O pedido inclui também os policiais civis, no caso da Gratificação de Serviço Extra. Em ambos os casos, mudança extensiva também a inativos e pensionistas.

Capitão Assumção afirma que Casagrande, em seu primeiro mandato, já havia incorporado uma das gratificações recebidas pela tropa; por isso, um novo pedido está sendo realizado. O deputado defende que a mudança não gera impacto financeiro ao Estado, mas apenas regulamenta o recebimento da gratificação. 

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
1 Comentários
  • Willians , quinta, 04 de abril de 2019

    Lembrando que a incorporação das Escalas Especiais foi uma promessa antiga do atual Governador Casagrande, e que já tem previsão orçamentária, tendo em vista que já paga, e o custo com inativos é bem baixo. Eu acredito na incorporação!

Matérias Relacionadas

Professores da Ufes param dias 2 e 3 outubro e greve não está descartada

Haverá ainda mobilização envolvendo os três segmentos da Ufes para debater o desmonte das universidades

Ações de proteção animal terão verba garantida no PPA estadual

Uma comissão mista definirá plano de castração, vacinação, ataque às zoonoses e bem-estar animal

Reflorestamento e poços de petróleo são temas prioritários sobre clima no ES

Soluções devem ser discutidas no Fórum Capixaba de Mudanças Climáticas, lançado nessa quarta-feira

Associação de Defensores vai articular emenda ao PPA para ampliar orçamento 

Profissionais têm apoio de 21 deputados que assinaram emenda à LDO não aprovada em junho