Deputado acusa Hartung de ilegalidade na privatização do aeroporto

Euclério Sampaio afirma que o governador protege ''interesses de seus parceiros'', como Nelson Saldanha

“O governador Paulo Hartung está usando o aparato do Estado, a Procuradoria, para atrasar o leilão do aeroporto de Vitória e beneficiar seu parceiro Nelson Saldanha, dono da Cepemar”. 

A denúncia é do deputado Euclério Sampaio (DC) e foi feita da tribuna da Assembleia Legislativa nessa terça-feira (4), quando anunciou que pretende levar o caso ao Ministério Público Federal, a fim de evitar essa “ousadia do governador”. 

O discurso do parlamentar foi motivado pela movimentação do governador Paulo Hartung (sem partido) objetivando impedir a privatização do aeroporto de Vitória em um bloco único de leilão juntamente com o de Macaé, no Rio de Janeiro, que, por ter menor porte, pode gerar prejuízos ao Estado.  

“Fui estudar isso a fundo e descobri que, na realidade, o governador tenta atrasar o leilão para que dê tempo de ser formado um consórcio e eles possam disputar o leilão”, disse o deputado, desconstruindo o argumento usado por Hartung de que está protegendo o Espírito Santo. 

“Não está protegendo coisa nenhuma, ele protege interesses pessoais e me faz lembrar a sociedade dele com o José Teófilo” - ex-secretário da Fazenda que se tornou sócio do governador na empresa de consultoria Éconos. 

Euclério Sampaio afirmou em seu pronunciamento que o empresário Nelson Saldanha, que “já ganhou tanto dinheiro às custas do povo do Espírito Santo, é “sócio oculto do governador Paulo Hartung”, lembrando que já fez essa denúncia no segundo mandato do governador.

Logo depois de ser anunciado o leilão do aeroporto de Vitória, em junho passado, o governador enviou um ofício para o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Valter Casimiro Silveira, posicionando a contrariedade do governo estadual. 

O documento detalha, tecnicamente, a preocupação de o Espírito Santo ser prejudicado pelas más condições do aeroporto de Macaé, que inclusive não possui voos regulares. 

Para o deputado, porém, o governador “posa de mocinho para a imprensa e a imprensa compra, mas ele defende interesses de seu parceiro Nelson Saldanha, como fez em seus governos anteriores”.  

A relação do governador Paulo Hartung com a Cepemar (CP+), do empresário Nelson Saldanha, existente desde seu primeiro mandato, foi um dos temas de debate da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Pó Preto, que colocou novamente à tona denúncia sobre “suposta prática de crime contra a administração ambiental pelas empresas Samarco Mineraçao S.A. e Consultoria Cepemar – procedimento administrativo nº 117000000447/201197 do Ministério Público Federal”.

A Cepemar, convertida em CPMais Serviços de Consultoria em Meio Ambiente Ltda, era apontada como a empresa que preparava processos de licenciamento ambiental para as grandes poluidoras do Espírito Santo e era estreitamente ligada ao Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema), autarquia da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Seama).
 

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Assembleia encerra ano legislativo com discurso de despedida de deputados

A não ser o deputado Da Vitória, eleito à Câmara, ocuparam a tribuna da Casa os derrotados no pleito

TSE anula decisão do TRE-ES e manda contas de Hartung a novo julgamento

A extinção da empresa de Paulo Hartung não o livra de responder por questões de suas contas de campanhas

Casagrande atrai os novatos para garantir apoio à eleição da Assembleia

O governador eleito já teria 12 dos 15 novos deputados, além das adesões do grupo dos reeleitos

Deputado denuncia rombo na Educação superior a R$ 2,38 bilhões no Estado

Com a denúncia desta quarta-feira, Majeski reforça investigações do Ministério Público iniciadas em 2017