Direita em traje de gala

Manato se tornou hoje uma figura credenciada a aspirar uma nova disputa ao governo

Quero começar louvando a figura do pioneiro dos direitos humanos no Espírito Santo, o extraordinário juiz, como poucos neste Estado, João Batista Herkenhoff, atual colunista do jornal A Gazeta.

Herkenhoff foi o fundador de um setor importante da Igreja Católica do Espírito Santo, a Comissão de Justiça e Paz, nos tempos em que a igreja estava ligada à defesa dos oprimidos. A igreja de Dom João Batista Albuquerque e Dom Luiz Gonzaga, ambos falecidos, que atuaram em plena ditadura militar, cujo início, há 54 anos, torturou e aniquilou vidas também no Estado. 

Herkenhoff não só é pioneiro como também iniciou a prática do exercício constante dos direitos humanos, sobretudo na sua fase de juiz em uma época em que os juízes eram figuras exemplares no Espírito Santo. Herkenhoff envelheceu, mas continua carregando com si os direitos humanos. Bela figura.

Há outros do passado. Recordo-me do professor Renato Pacheco. Marcou época como juiz. Também foi historiador, principalmente nos registros da cultura popular. Outra bela figura que não deveria ser esquecida.

É sintomático que nenhum dos dois tenha chegado a desembargador, que é a sequência final da carreira de juiz.

Volto agora à política partidária, que tem como referência o fim da Era Paulo Hartung, que se dará em 31 de dezembro. No ES, assim como a nível nacional, a direita avança e tem hoje uma figura expert, audaciosa, que se qualifica para uma disputa futura ao governo do Estado: o deputado federal Carlos Manato (PSL).

Não chega a ser um Bolsonaro capixaba, porque ele não é espalhafatoso como o seu companheiro nacional. Mas Manato já está impregnando áreas com sua ideologia. Busca ampliar sua influência. 

De deputado federal de votações inexpressivas, se tornou hoje uma figura credenciada a aspirar uma nova disputa ao governo. Teve 27% dos votos na última eleição e bateu chapa com o eleito. Se a senadora Rose de Freitas (Podemos) não tivesse corrido das últimas eleições, certamente ele teria ido para  o segundo turno com Renato Casagrande (PSB). 

Ele é tão gracioso que até se meteu agora em uma briga e venceu. Ganhou a presidência do conselho do Sebrae, derrotando o candidato de Gutman Uchôa de Mendonça, figurão do Sistema  S.
 
O projeto de futuro imediato de Manato é a extensão de sua ideologia para os municípios capixabas, conquistando entre 20 e 30 prefeituras. Se armando cada vez mais, para ser uma figura definitiva na contemporaneidade da política capixaba. É o novo, e o novo está na moda.

Amém, Herkenhoff e Pacheco. 

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
1 Comentários
Matérias Relacionadas

Presidente do DEM de Cachoeiro é o novo superintendente do Ibama-ES

Indicado por Manato, Diego Libardi é advogado de Ferração e Norma Ayub. Servidores questionam critério

Servidores protestam contra indicação política no Ibama do Estado

Secretário do governo Bolsonaro, Carlos Manato comanda as articulações para o cargo de superintendente