Documentário aborda assassinatos durante greve da Polícia Militar

Disponível online, 'Sem Saída' relembra crimes sem resposta três anos depois do fatídico fevereiro de 2017

Neste fevereiro em que se completam três anos da paralisação da Polícia Militar do Espírito Santo em 2017, o documentário Sem Saída reúne uma série de entrevistas, dados e imagens do mês em que o número de assassinatos no Estado saltou de uma média de 30 para mais de 200.

Entrevistando familiares das vítimas, advogados, policiais, defensores de direitos humanos, religiosos, professores e pesquisadores, a obra destaca que o perfil majoritário dos mortos foram jovens, negros, moradores das periferias e muitos tendo passado por reprovação escolar.

O filme de 43 minutos de duração foi realizado pelo Grupo de Pesquisa Homo Sacer da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), sob coordenação do professor Paulo Velten, em parceria com a Ordem dos Advogados do Brasil no Espírito Santo (OAB-ES), Observatório da Mídia e Centro de Defesa dos Direitos Humanos da Serra (CDDH). 

Na última terça-feira (4), diversas entidades sociais aglutinadas em torno do Fórum Capixaba de Lutas Sociais realizaram um ato na Praça Costa Pereira, no Centro de Vitória, lembrando os três anos do início da greve e cobrando ações e esclarecimentos do poder público sobre as mortes ocorridas durante a paralisação dos policiais.

Durante a atividade houve cerimônia inter-religiosa, manifestações políticas e culturais e apresentação do Decreto Popular de Luto no Estado do Espírito Santo em Memória às Vítimas de Homicídios ocorridos durante a Greve da Polícia Militar em Fevereiro de 2017; e lançamento do edital para Elaboração de Proposta de Monumento em Memória às Pessoas Mortas durante a Greve da Polícia Militar no Espírito Santo em fevereiro de 2017, a ser instalado na mesma Praça Costa Pereira.

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

'Parem de nos matar!', gritam jovens da periferia para a polícia

Ato realizado nesta quinta-feira reuniu comunidades lembrando a morte de Caio Matheus no Bonfim

'Todos estão muito assustados', diz morador após conflitos em Vitória

Clima é de apreensão nos morros da Capital depois da retaliação de traficantes por morte de jovem

Equilibrista

Casagrande anuncia reajuste para uma categoria, a outra reage. Defensoria, segurança e, agora, servidores

‘Quase na hora’

Assumção e Pazolini voltam a falar em mais uma “tragédia de 2017”. O que vem por aí, afinal?