Dono da caneta

Retaliação de Erick Musso a deputados é só mais uma prova de que seus discursos não passam de figuração

No longo discurso feito no último dia 10 de dezembro, “após subir a montanha” e “mergulhar” diante da péssima repercussão da eleição antecipada da Mesa Diretora, o presidente da Assembleia Legislativa, Erick Musso (Republicanos), fez questão de assumir, para fora, uma postura apaziguadora, democrática e superior em relação aos ruídos e divergências decorrentes da medida. Como já dito aqui, bateu na mesma tecla da “nova política”, para rejeitar o adjetivo contrário colado nele, e citou, um a um, os deputados da Casa – com exceção de Sergio Majeski (PSB) – em tom de agradecimento e valorização. As recentes exonerações dos cargos indicados por parlamentares para a Mesa Diretora, no entanto, comprovam o que já sinalizavam as entrelinhas das declarações de Erick: a postura não passou de figuração. Enquanto decidiu recuar do embate com o governador Renato Casagrande, porque levou bombardeio, o presidente da Assembleia avançou para o lado mais fácil, dos deputados que se posicionaram contra ele na eleição antecipada, desfeita devido à intensa pressão interna e externa. Erick passou a última semana distribuindo sorrisos e garantiu a aprovação de todos os projetos de interesse do executivo. Aos 45 minutos do segundo tempo antes do recesso, porém, quis mostrar poder e passou o trator nos cargos da Mesa indicados por Luciano Machado (PV), Iriny Lopes (PT), Fabrício Gandini (Cidadania) e Alexandre Quintino (PSL). Só escaparam Majeski e Dary Pagung (PSB), pelo simples fato de não terem cargos. Os reflexos dessa tesourada, sem aviso nem nada, por ora ficam em aberto, mas só até fevereiro de 2020!

Dono da caneta II
Majeski usou as redes sociais para criticar Erick. “E assim cerca de 300 cargos comissionados de livre nomeação do presidente da Ales são usados de acordo com seus próprios interesses, principalmente para garantir apoio. E o povo pagando a conta. Não faço parte desse jogo, e o abomino”, disparou.

Lista
Dos nomes “tratorados”, Iriny e Luciano, mais Majeski e Dary, como se sabe, além de votarem contra a reeleição, assinam mandado de segurança pela anulação da PEC que permitiu a disputa, que já teve decisão favorável. O partido de Gandini, por sua vez, acionou o Supremo Tribunal Federal (STF) com pedido semelhante. Mas Quintino...

Lista II
...o coronel é muito próximo de Casagrande, sem dúvida! Aparentemente, no entanto, não parece apresentar risco a Erick. Aliás, Quintino inclusive votou a favor da reeleição, embora meio perdido na votação.

‘Desconvites’
Pose pra fotos, presentes, agradecimentos. O almoço de Casagrande com os prefeitos capixabas no Palácio Anchieta na última quinta-feira (19), para “um balanço de final de ano”, contou com a presença de 57 dos 78 gestores municipais. Mas e os outros 21...oposição?

Bolada
Um dia depois, o governador continuou acenando para os prefeitos, com ordens de serviço que totalizaram mais de R$ 35 milhões para investimentos nas áreas de infraestrutura e educação, além de entregas de equipamentos agrícolas. O maior bolo, R$ 22,3 milhões, foi em convênios com a Secretaria de Saneamento, Habitação e Desenvolvimento Urbano (Sedurb), para 13 cidades.

Lado a lado
A propósito, na entrega de equipamentos agrícolas, em Colatina, lá estava nas fotos o prefeito Sérgio Meneguelli (sem partido), que há dois meses mandou tiro pra cima de Casagrande em vídeo espalhado nas redes sociais. Ele acusou o governador e seu grupo de agir por interesses políticos e nunca ter ajudado o município financeiramente. Meneguelli, como se sabe, sempre foi fã de Paulo Hartung.

‘Chiclete’
Presidente do PSL no Estado, partido rompido com Jair Bolsonaro, o ex-deputado federal Carlos Manato participou, na semana passada, do Culto de Ação de Graças do presidente e da primeira-dama Michele Bolsonaro, no Palácio do Planalto, em Brasília, e, por aqui, diz ter representado o presidente na inauguração da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Castelândia, realizada pela Prefeitura da Serra. O mundo continua se acabando entre PSL e Bolsonaro, e nada de Manato se descolar do aliado.

Mais um
O já congestionado campo eleitoral para a prefeitura de Cariacica em 2020  ganhou mais um pré-candidato. O Solidariedade lançou o professor Wanderlei Thomas. Ele disputou a Assembleia Legislativa em 2018, mas obteve apenas 5,8 mil votos – 4,2 mil no município.

Retorno
O procurador Luis Henrique Anastácio da Silva vai assumir o comando do Ministério Público de Contas do Espírito Santo (MPC-ES) em 2020, pela terceira vez. A posse ocorre em fevereiro do próximo ano, substituindo Luciano Vieira, que está no segundo mandato consecutivo à frente do MP de Contas.

PENSAMENTO:
“Sem crueldade não há espetáculo”. Friedrich Nietzsche

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Erick Musso encerra 2019 com articulações para manter seu grupo político

Presidente da Assembleia teria quebrado acordo com o governador Renato Casagrande

Lewandowski é o relator da ação do Cidadania no STF contra eleição de Erick

O ministro Ricardo Lewandowski foi escolhido por sorteio para analisar ADI da eleição da Assembleia

Bloco de Erick Musso na Assembleia Legislativa sofre abalos e se desfaz

O deputado Marcelos Santos pulou fora do barco de Erick Musso pela segunda vez

Juiz federal nega recurso de Erick Musso e proíbe nova eleição na Assembleia

A decisão é a segunda derrota judicial do presidente da Assembleia na crise instalada após manobra da PEC