Em cartaz, o combativo cinema capixaba

Trinta produções do Espírito Santo competem na 14ª edição da Mostra Produção Independente em Vitória

Fotos: Luara Monteiro

Em sua 14ª edição, a Mostra Produção Independente, realizada pela Associação Brasileira de Documentaristas no Espírito Santo (ABD Capixaba), se consolidou como uma das principais janelas para exibição da produção audiovisual feira no Estado. Neste ano, foi com muita dificuldade mas o evento acontecerá, no final do ano, exibindo 30 obras da Grande Vitória e do interior no Cine Jardins, em Vitória, entre os dias dois e cinco de dezembro.


Foto: Luara Monteiro

Como é tradição, após a exibição das obras, acontece um debate com os realizadores presentes, para que o público possa conhecer e entender mais as obras e seus autores. Ainda durante o evento, também ocorre o lançamento da 9ª Revista Milímetros, que aborda o audiovisual capixaba e brasileiro, homenagens a personalidades do nosso cinema e o 5° Fórum do Audiovisual Capixaba, importante momento de diálogo e articulação do setor para pensar as políticas e fomento para a área no Estado.

Leandra Moreira, presidente da ABD Capixaba, ressalta que muitas dessas produções audiovisuais encontram na Mostra a única exibição dentro de uma sala de cinema profissional, que costuma ficar lotada durante os eventos. Este ano, o tema é Resistências, com foco em destacar o cinema como um instrumento de luta política e cultural, além de pautar o tema da inclusão como preocupação para o setor audiovisual.

Vem a calhar com os tempos atuais, já que o governo federal demonstra sistematicamente a falta de interesse em investir na cultura e em sua pluralidade, o que se reflete em dificuldades para os produtores e um efeito cascata que afeta os apoios em diversos locais e situações. No caso da Mostra da ABD, o evento acabou tendo que ser adiado desde setembro por falta de recursos. O patrocínio do Banestes, por exemplo, que vinha apoiando nos últimos dois anos, não se efetivou. Mas a Mostra Produção Independente – Resistências acabou contemplada no edital da Secretaria de Estado da Cultura (Secult) lançado recentemente com foco em eventos culturais, o que permitiu efetivar a realização das atividades.


Foto: Luara Monteiro

No âmbito da produção, por questões burocráticas, acabou não sendo realizado o edital de Audiovisual da Secult, que só foi sair neste ano, com valor recorde devido a acordo com a Agência Nacional de Cinema (Ancine). Porém, mesmo sem apoio público, os produtores capixabas mostraram sua capacidade. “Claro que a ausência de edital afeta e diminui a produção, mas o realizadores são fortes e produzem de forma independente”, diz Leandra.

Das 30 obras que serão exibidas, 13 foram realizadas com recursos próprios, dando um pouco da tônica da mostra. Outro destaque é para a participação de diretoras mulheres, seja assinando individualmente ou em co-direção com diretores homens. Apesar da conquista de reserva de vagas no edital publicado em 2019, as produções que fazem parte da mostra foram feitas anteriormente a ele, indicando a tendência de crescimento da participação feminina no comando das obras, algo que a ABD vem considerando em seus eventos.

Outro fator importante é que embora a maior parte da produção audiovisual capixaba se concentre na região metropolitana da Grande Vitória, ela também acontece em diversos municípios do interior, o que é considerado pela Mostra Produção Independnte, que traz obras de pequenos municípios como Laranja da Terra, Vila Pavão e Itaguaçu.

Entre os realizadores, além da diversidade regional e de temáticas nos filmes, há uma amplitude entre os produtores, desde estudantes de cursos relacionados ao audiovisual na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e no CEET Vasco Coutinho, pessoas fazendo o primeiro filme a realizadores mais experientes que já produziram longas-metragens. As linguagens vão do documentário à ficção, passando por animação, videoclipe, videoarte e formatos experimentais.


Foto: Luara Monteiro

Falando da programação, acontece a Mostra Competitiva em que as obras concorrem a prêmios em categorias definidas por um júri especial. Um DVD com a coletânea dos filmes exibidos será lançado na noite de encerramento. Além da parte de competição, no último dia, a Mostra Paralela traz dois filmes exibidos sem fazer parte da disputa. São eles o curta-metragem Fluxo, do Coletivo Vendo Vozes, numa produção protagonizada pela comunidade surda feita no Espírito Santo. No embalo do tema Resistências, será exibido também o longa-metragem Torre das Donzelas, da diretora fluminense Susanna Lira. A obra registra um grupo de mulheres militantes que ficou presa numa penitenciária feminina durante a ditadura, incluindo a ex-presidente Dilma Rousseff.

Durante o evento, serão dois homenageados. O primeiro é Seu Manoelzinho, cineasta de Mantenópolis falecido no fim do ano passado, que recebe uma homenagem póstuma. Apaixonado por cinema e autodidata, Manoel Loreno da Silva produziu dezenas de obras de forma independente no interior do Estado e ganhou projeção nacional pela simplicidade e engenhosidade de suas produções baseadas, sobretudo, no estilo faroeste. A outra homenagem vai para a escritora e professora capixaba Bernadette Lyra, que continua ativa aos 81 anos e, em 2018, foi eleita Pesquisadora do Ano pela Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual (Socine).


Foto: Luara Monteiro

Todas a atividades acontecem no Cine Jardins, em Jardim da Penha, com duas exceções. A 5ª Reunião do Fórum do Audiovisual Capixaba, que vai reunir os agentes do setor às 14h da próxima terça-feira (3), no Cine Metrópolis, localizado no campus da Ufes em Goiabeiras. E a Pós Mostra, que será realizada de 10 a 12 de dezembro, na sede do Sebrae-ES, na Enseada do Suá, com a realização de uma Oficina de Roteiro para Série Documentar, com o diretor e roteirista Gustavo Moraes. As inscrições serão abertas no site oficial da ABD Capixaba, com participação gratuita.

AGENDA CULTURAL

14ª Mostra Produção Independente – Resistências

Quando: de segunda a quinta-feira, 2 a 5 de dezembro de 2019

Onde: Exibições no Cine Jardins - Rua Carlos Eduardo Monteiro de Lemos, 120, Shopping Jardins, Jardim da Penha, Vitória/ES

Programação

Segunda-feira (02/12)
(Classificação Indicativa: Livre)
Local: Cine Jardins

19h - Lançamento da 9ª Revista Milímetros
Cerimônia de Abertura
Homenagem póstuma a seu Manoelzinho

20h - Mostra Competitiva
- Websérie Palavra Negra #02EP01 - Tiro ao Alvo, de Adriano Monteiro (videoarte, 1’14”, 2019, classificação: livre)
- Riscadas, de Karol Mendes (documentário, 15’, 2018, classificação: livre)
- Morenna - Blá blá blá, de Júnior Batista (videoclipe, 2’44”, 2019, classificação: livre)
- Bate Paus, de Jorge Kuster Jacob (documentário, 13’, 2004, classificação: livre)
- Meninas, de Ana Murta e André Ehrlich Lucas (ficção, 9’48”, 2017)
- Tomar O Tempo - Poesia Inútil, de Amanda Brommonschenkel, Carol Covre, Juane Vaillant, Marcéu Rosário Nogueira e Thaís Rodrigues  (videoarte, 8’20”, 2018, livre)
- Da Curva pra Cá, de João Oliveira (ficção, 19’, 2018, classificação: livre)
- Refúgio, de Shay Peled e Gabriela Santos Alves (documentário, 20’, 2019, classificação: livre)
- Olhares: Patrimônio Natural e Cultural de Afonso Cláudio, direção coletiva - Oficina de Documentário (animação, 3’, 2019, classificação: livre)
- Ilhéu, de Henrique Gaudio e Stella Ulhôa (Documentário, 12’27”, 2018, classificação: livre)

 21h30 - Debate com realizadores

Terça-feira (03/12)

14h  5ª Reunião Fórum do Audiovisual Capixaba  
Local: Cine Metrópolis / Ufes

19h  Mostra Competitiva 
(Classificação Indicativa: 16 anos)
Local: Cine Jardins

- Minhas Horas com Camomila, de Tati Rabelo & Rodrigo Linhales (ficção, 15’, 2018, classificação: 10 anos)
- Braços Vazios, de Daiana Rocha (ficção, 16’, 2018, classificação: 14 anos)
- 90 Rounds, de João Oliveira e Juane Vaillant  (documentário, 19’26”, 2019, classificação: 12 anos )
- Os Mais Amados, de Rodrigo de Oliveira (ficção, 28’, 2018, classificação: 12 anos)
- Maria & Ela, de Gianni Aparecida Arruda Tissi (animação, 1’59”, 2018, classificação: 10 anos)
- Transcender, de Layla Pena e Joceane Alves (documentário, 15’, 2018, classificação: 12 anos)
- Casa de Vó, de André Ehrlich Lucas (ficção, 16’, 2019, classificação: 16 anos)
- Dona`S, da Viella Films (documentário, 18’14”, 2018, classificação: livre)
- Inhumane I, de Luiz Will Gama (experimental,  19’11”, 2018, classificação: livre)

21h30  Debate com realizadores

Quarta-feira (04/12)

(Classificação Indicativa: Livre)
19h – Mostra Competitiva
Local: Cine Jardins

- Corpo Flor WebDoc, de Izah Candido e Wanderson Viana (documentário, 14’, 2018, classificação: livre)
- S.O.S Rio Santa Joana, direção coletiva (documentário, 12’, 2019, classificação: livre)
- Quis, de Dominique Lima (ficção, 15’58”, 2019, classificação: livre)
- Eu, Mulher, de Adryelisson Maduro (documentário, 15’50”, 2015, classificação: livre)
- Redundância, de Wayner Tristão (experimental, 4’, 2019, classificação: livre)
- Liberdade!, de Géssica Amâncio (experimental, 05’, 2017, classificação: livre)
- Do Dia em que Mudamos a Rota, de Diego Nunes (documentário,  9’58”, 2018, classificação: livre)
- O Que Resta da Imagem, de Rafael Wolfgramm (documentário, 15’35”, 2018, classificação: livre)
- A Guardiã dos 3 Pontões, dos participantes da Oficina, Estudantes da ADL (documentário, 8’, 2019, classificação: livre)
- Guri, de Adriano Monteiro  (ficção, 12’44”, 2019, classificação: livre)
- Sem Saída, de Marialina Antolini (documentário, 43’, 2018, classificação: 14 anos)

21h30 – Debate com realizadores

Quinta-feira (05/12)

(Classificação Indicativa: Livre)
Local: Cine Jardins

19h  Homenagem a Bernadette Lyra

19h30 Mostra  Paralela
Fluxo, do Coletivo Vendo Vozes (ficção, 10’, livre)
Torre de Donzelas, de Sussana Lira (documentário, 97’, 2018, livre)

21h30 Cerimônia de Encerramento
Premiação
Lançamento do DVD coletânea.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

O 'rock psicolésbico' cafona de Roberta de Razão

Formada na escola hardcore e punk vilavelhense, Lorena Bonna abraça brega e sofrência em novo projeto

Cineclubes realizam exibição gratuita de Bacurau em Vitória

Na coluna: reforma de edifícios históricos na Prainha, festival de música em Itaoca, Oses contrata músicos

Aldeia Temática de Aracruz lança Plano de Visitação para etnoturismo

Espaço recebe visitantes que queiram conhecer cultura indígena e a Mata Atlântica no Espírito Santo

Coco, afoxé, maracatu e congo no Mucane

Debate, oficinas e apresentações musicais marcam aniversário dos grupos Arakorin e Maracatu Santa Maria