Encontro de Cultura Ancestral reunirá diversas etnias na Foz do Rio Doce

Comunidade indígena de Areal terá quatros dias de atividades relacionadas à integração e regeneração

Ancestralidade, Saúde Coletiva e Direitos da Natureza são três expressões chaves do III Encontro de Cultura Ancestral de Areal, comunidade localizada em Linhares, na região da foz do Rio Doce, norte do Estado. O evento acontece entre os dias 15 e 18 de novembro e deve contar com cerca de 150 participantes dentro de uma construção colaborativa.

Impactada pelo monocultivo, pastagem, exploração petrolífera e mais recentemente o crime socioambiental da Samarco/Vale/BHP, a comunidade de Areal luta por reconhecimento de sua herança indígena e busca o diálogo, intercâmbio e celebração com outras etnias.

Durante os dias de encontro, muitos saberes e experiências reunidas em prol da regeneração do Rio Doce a partir do conhecimento tradicional. Com organização do movimento Regenera Rio Doce, Comunidade Indígena de Areal e Aliança Rio doce e apoio de 25 comunidades e organizações sociais, o encontro reunirá afetados e parceiros, contando com presença de povos e etnias como os botocudos e krenaks, tupiniquins, guaranis, pataxós, quilombolas e povos do mangue.

A programação inclui três tipos de atividades. Durante as manhãs, os Espaços Integradores e de Cocriação vão contar com Roda de Partilha dos Saberes Tradicionais e Preparo Coletivo de Alimento Tradicional. Pela tarde as oficinas terão temas como Tradições para Crianças, Tinturas Orgânicas e Pintura Corporal Indígena, Modelagem e Queima de Cerâmica, Medicinais da Terra, Saúde Holística, Balaio e Esteira de Taboa, Cocar, Destilação de Óleo Essencial, Feitio de Casacas, Imersão Artística para Crianças, Imersão O que Há em Nós e Bordadura Afetiva, entre outras.

Durante as noites, devem acontecer diversas apresentações culturais ao redor da fogueira, como jongo, congo, coral guarani, ritos tupiniquim, roda de tambores, diálogo inter-religioso e cineclube.

Um dos organizadores, Hauley Valim, do movimento Regenera Rio Doce, destaca que neste edição o encontro deve somar novos povos e comunidades, como os quilombolas, raizeiros e benzedeiros da região do meio do Rio Doce, defensores das nascentes, entre outros.

"Nesse contexto de fragilidade de direitos das comunidades tradicionais, essa proposta a partir do afeto e afetividade busca fortalecer os laços necessários para que a gente possa superar os desafios que temos, principalmente os diretamente relacionados com os impactos provocados no Rio Doce. Vamos celebrar, festejar e pensar como podemos juntos superar as tensões e dificuldades que o contexto do rio e do país nos impõem”, explica Hauley.

AGENDA CULTURAL

III Encontro de Cultura Ancestral de Areal

Quando: 15 a 18 de novembro

Onde: Comunidade Indígena de Areal, em Linhares

Inscrições: https://goo.gl/forms/Ow7o7mSSkOn1SZ5N2

Mais informações: http://wikiriodoce.org/III_Encontro_de_Cultura_Ancestral_de_Areal

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Cine Teatro Ribalta será inaugurado em maio em Jardim Camburi

Na coluna CulturArte: artistas da Serra pedem políticas para cultura, disco de Ana Muller, e muito mais

Carnaval de Congo de Máscaras divulga programação

Tradicional evento acontece na comunidade de Roda D' Água, interior de Cariacica, no próximo dia 29

Dia Mundial da Criatividade promove mais de 25 atividades gratuitas em Vitória

Centro de Vitória e Jardim da Penha receberão palestras, workshops e atividades culturais

Os palhaços do Ri(s)o Doce

Expedição dos Palhaços Sem Fronteiras trabalha riso como forma de regeneração em comunidades atingidas