Engolidos

A cada jogada de Gandini e Luciano Rezende, mais exposta fica a dificuldade de erguer o palanque de 2020

A cada movimentação do deputado estadual Fabrício Gandini e do prefeito de Vitória, Luciano Rezende, na direção da disputa de 2020, mais exposta fica a dificuldade dos aliados do PPS de consolidar o palanque de sucessão, principalmente dentro do grupo do governador Renato Casagrande. Depois de meter os pés pelas mãos e se lançar candidato em momento completamente inapropriado, ainda em 2018, Gandini agora mexeu com um das poucas áreas que tem influência, a Câmara Municipal, e apareceu vendendo a ideia de uma composição com o PSB na vice. O nome em potencial seria do vereador licenciado Nathah Medeiros, que hoje compõe o secretariado de Luciano, mas as lideranças socialistas reagiram à jogada, mais uma vez, repetindo em A Tribuna que o PSB terá candidatura própria e sequer tem conversado com o PPS.  O abismo entre os dois lados reforça o que já circula há meses nos bastidores, de que Gandini está capenga de força política e, com muita antecedência, naufraga com seu projeto. Além disso, não há a mínima condição, nem razão, para o PSB evitar Sergio Majeski na disputa pela segunda principal vitrine política capixaba, estratégica para a manutenção de poder de Casagrande em 2022. Campeão de votos, o deputado tem manifestado interesse na eleição da Capital, o que é um trunfo e tanto para o PSB, que, bom lembrar, ainda tem uma dívida com Majeski, preterido da disputa ao Senado. O preço foi alto: uma tentativa de Casagrande de se aliar ao ex-senador Magno Malta (PR) que sequer vingou, jogando a cadeira no colo de Marcos do Val, também da conta do prefeito de Vitória.

Bom de urna
O PSB não considera oficialmente somente a pré-candidatura de Majeski,  incluindo no leque de opções o vereador Davi Esmael e o vice-prefeito Sérgio Sá. Mas, vamos combinar, o deputado sai na frente disparado.

Cartas secundárias
O PSL, do presidente Jair Bolsonaro, realiza no próximo sábado (29), às 9 horas, na Assembleia Legislativa, seu encontro estadual com foco na disputa de 2020. O comandante da legenda por aqui, Carlos Manato, diz que serão apresentados os pré-candidatos ao cargo de vereador, além de realizadas palestras sobre temas relativos às disputas. Mas o que o povo quer, saber, mesmo, é outra coisa: os nomes às prefeituras!

Sem diálogo
Há meses cobrando abertura de negociação com o governo Casagrande sobre as perdas salariais acumuladas, os servidores estaduais realizaram protesto na última semana e não pretendem parar. As diversas categorias ameaçam novas manifestações e até uma paralisação geral. “Até quando o governo continuará se omitindo de suas responsabilidades?”, questiona o Sindipúblicos.

Distância
Os juízes federais do Estado se mantêm a parte do movimento que cobra do presidente da associação nacional – Ajufes -, Fernando Mendes, uma representação em desfavor do ministro da Justiça, Sergio Moro, devido ao teor das mensagens trocadas com os procuradores da Lava Jato reveladas pelo The Intercept. Documento nesse sentido é assinado por 30 filiados, de vários estados. Nenhum das bandas de cá.

‘Mal?’
Dois meses depois de apresentar pleito ao governo do Estado, a Ordem dos Advogados no Estado (OAB-ES) realiza, nesta quarta-feira (26), um seminário sobre os dativos. O evento será no próprio auditório da instituição, no Centro de Vitória, e contará com o secretário estadual de Planejamento e Economia, Álvaro Duboc. Ao contrário do que se comenta no meio jurídico, a OAB acha que os dativos estão "mal das pernas".

‘Mal’ II?
A Ordem considera o seminário uma “grande oportunidade” de ouvir o governo e reivindicar soluções e melhorias para os “problemas” que os dativos enfrentam. Uma das demandas urgentes seria o aumento dos valores pagos atualmente a esses profissionais, com a alegação de que estão sem correção desde 2011. No ano passado, o governo gastou, no mínimo, R$ 16 milhões com os dativos, enquanto a Defensoria Pública quase implora por valorização e nomeação dos aprovados em concurso.

Previdência
O deputado federal Felipe Rigoni (PSB) foi o convidado de honra da tribuna livre da Câmara de Vila Velha nessa segunda-feira (24). Assunto: reforma da Previdência. Ele é defensor das mudanças e foi o parlamentar que mais apresentou emendas à proposta do governo Bolsonaro.

Dindim
Os vereadores, que não são bobos nem nada, aproveitaram a “deixa” e pediram a Rigoni para garantir emendas da bancada capixaba ao município. Vai que cola...

PENSAMENTO:
“O esquecimento mata as injúrias. A vingança multiplica-as”. Benjamin Franklin

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Esportistas dizem não à exploração comercial da guarderia da Curva da Jurema

ONG que administra o espaço há 11 anos pediu que Ministério Público investigue ilegalidades no processo

Virou alvo

Em campo para a disputa em Vitória, Gandini ''atravessa'' José Esmeraldo, que reage: malandro não tem vez

Eleição comunitária na Ilha das Caeiras reúne opositores de Luciano

O presîdente da Câmara, Cléber Félix, pré-candidato em 2020, testa seu prestígio na eleição deste domingo

Roberto Martins reúne documentos para montar CPI do Porta a Porta

O vereador espera apresentar o pedido de investigação sobre o serviço em Vitória até a próxima semana