Equipe de transição de Casagrande marca primeira reunião para o dia 16

Álvaro Duboc, Ângelo Baptista, Lenise Loureiro e Tyago Hoffman formam o ''time'' do governador eleito

Será na próxima terça-feira (16) a primeira reunião da equipe de transição do governador eleito, Renato Casagrande (PSB), com os técnicos do governo Paulo Hartung (MDB). Os profissionais vão dialogar com a equipe anunciada pelo atual governo, buscando informações sobre a gestão.  

Renato Casagrande anunciou na manhã desta quinta-feira (11) os nomes de sua equipe, que será coordenada pelo delegado federal aposentado Álvaro Duboc. Além dele, integram o grupo a advogada Lenise Loureiro e os economistas Tyago Hoffman e Ângelo Baptista. 

“Nossa equipe vai analisar dados da cultura, do esporte, da educação, da segurança, do desenvolvimento urbano. Enfim, de todas as áreas que cabem ao poder público atuar junto à sociedade”, disse o governador eleito. 

Segundo Casagrande, o “objetivo é elaborar um documento que seja uma radiografia de cada área, para que a aponte, a partir daí e dentro do plano de governo que apresentamos na campanha, as nossas ações”. 

O  coordenador da equipe, Álvaro Duboc, é delegado federal aposentado e foi secretário de ações estratégicas do governo Casagrande; Ângelo Baptista é economista, especialista em logística e ex-diretor da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa); Lenise Loureiro é advogada, foi secretária de desenvolvimento da Prefeitura de Vitória e diretora/presidente do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf) no governo Casagrande; Tyago Hoffman, economista, foi secretário de governo e da Casa Civil, também na gestão socialista.

Tyago Hoffman foi ainda dos coordenadores da campanha de Renato Casagrande ao governo, sendo um dos mais próximos auxiliares do futuro governador. Já Lenise Loureiro, considerada braço-direito do prefeito de Vitória, Luciano Rezende (PPS), vem de uma derrota na disputa à Câmara Federal. Estreante, recebeu pouco mais de 17 mil votos, concorrendo pelo mesmo partido do prefeito. 

A equipe de transição do governo Paulo Hartung, que vai se reunir com a de Casagrande, será coordenada pela secretária de Estado do Governo, Ângela Maria Soares Silvares. Também fazem parte os secretários de Economia e Planejamento e de Controle e Transparência, Regis Mattos Teixeira e Marcos Paulo Pugnal da Silva, respectivamente. 

De acordo com o decreto do governador, havendo necessidade, o coordenador da equipe poderá requisitar servidores de outros órgãos, visando apoiar o processo de transição.

1 Comentários
  • nascimento , terça, 16 de outubro de 2018

    • CASÃO DISCUTE SISTEMA PRISIONAL COM MINISTÉRIO PÚBLICO • Muito bem. O governador, como sempre, inicia a preparação da sua gestão se reunindo com representantes dos Poderes. Ao meu ver, equivocadamente. Ao tratar da questões penitenciárias com o MP, da mostras de que continuaremos continuaremos com o "lenga lenga" já tão conhecido pela sociedade Capixaba. Em que o EDER PONTES pode contribuir na questão? Esse sujeito, que, sob o patrocínio do PH, vem a ser o Chefe, do MP já por dois mandatos, não tem competência e nem tão pouco conhecimento dos meandros relativos. É simplesmente um "burocrata" acostumado às salas refrigeradas. Todas as PENITENCIÁRIAS e CENTROS DE DETENÇÃO, sob o olhar indolente do MP, estão. superlotados. O sistema de segurança SUCATEADO por falta de manutenção. 40 % do sistema de CFTV não funcionam. Outro exemplo, é que num certo CENTRO DE DETENÇÃO da Grande Vitória, das 12 PORTAS DE SEGURANÇA ELETRÔNICAS, somente 2, as da cela e da entrada da galeria funcionam. as outras, estão quebradas por falta de manutenção. Falar no baixo efetivos em recursos humanos, é chover no molhado. Termos PENITENCIÁRIAS com capacidade para 540 internos que já ultrapassaram ha muito os 950 presos. das quatro torres de vigilância externa, só uma é operada com um INSPETOR. Ainda podemos falar do altíssimo Índice de doenças infecto-contagiosas, com o serviço de saúde terceirizado, que grassam nas penitenciárias, e que põe em risco a saúde dos que lá trabalham. Por fim, não podemos deixar de externar a desvalorização salarial dos operadodores de tão importante atividade. Somos um dos piores salários do Brasil, no ranking, estamos atrá de 22 Estados e do DF, perdemos até para o Piauí, o Estado mais pobre do Brasil. Muito embora, segundo o Governos, somos o sistema prisional mais organizado do País. Portanto, tratar a questão penitenciária com EDER PONTES, é um mero ato de formalidade, sem qualquer conteúdo resolutivo. #FICAADICAGOVERNADOR. #FICAADICAGETEP

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Matérias Relacionadas

'Hartung foi gestor de um sistema prisional violento e promíscuo'

André Moreira relembra as ''masmorras de Paulo Hartung'' e critica a política de incentivos fiscais

'Hartung foi gestor de um sistema prisional violento e promíscuo'

André Moreira relembra as "masmorras de Paulo Hartung" e critica a política de incentivos fiscais

Tem pra todo mundo?

No ''bolo'' dos derrotados, Marcus Vicente já é considerado peça certa na equipe de Casagrande

A Crise na Segurança Pública

A defasagem do efetivo policial e as consequências nocivas para a segurança pública do Estado