ES registra 40 casos de Covid-19 e fará barreiras nas BRs 101 e 262

Medida vale a partir desta quarta. Maioria dos casos anunciados pelo governo é de viagens ao exterior

O Espírito Santo fará barreiras sanitárias nas BRs 101 e 262, nas divisas com a Bahia, Rio de Janeiro e Minas Gerais a partir desta quarta-feira (25), com participação da Polícia Militar, dos Bombeiros e de servidores do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf). No aeroporto, a expectativa é de instalação da medida nos próximos dias. Os anúncios foram feitos pelo governador Renato Casagrande na noite desta terça, quando o número de casos confirmados de coronavírus (Covid-19) chegou a 40 no Estado.

A intenção é de que as ações dos policiais, bombeiros e servidores do Idaf sejam em breve incorporadas às secretarias municipais e estadual de Saúde, conforme projeto de lei encaminhado à Assembleia Legislativa. Nas barreiras - BR-101 Sul, BR-101 Norte e BR-262 em Pequiá - eles atuarão medindo a temperatura e tomando outras medidas para controlar a entrada e saída de pessoas do Estado. Já no aeroporto, serão realizadas entrevistas sobre o estado de saúde das pessoas que chegam. 

Desde o boletim anterior, dessa segunda, o aumento de casos de coronavírus no Espírito Santo foi de sete pessoas. Segundo o governador, a maioria é de pessoas que viajaram recentemente para o exterior. Um dos novos registros, porém, é um morador do Rio de Janeiro que tem empresa no Estado e buscou o serviço de saúde local. Do total de casos confirmados, 12 já estão curados, 25 estão em isolamento residencial e dois estão internados.

Em seu pronunciamento nesta terça, o governador também relatou que a redução do número de usuários do sistema Transcol foi de 71%. “Algumas linhas ainda tiveram número grande de pessoas na manhã dessa segunda e nós temos que ajustar isso”, ressalvou, enfatizando a necessidade de participação da população. “Importante manter orientação de só ocupar lugares sentados, mesmo não havendo ônibus suficientes”, salientou. 

Casagrande também enfatizou a necessidade de manter a separação de 1,5 metros entre as pessoas nas filas, tendo sido feitas marcações nesse sentido nos pisos dos terminais, com “X” pintados em vermelho indicando o distanciamento mínimo. “Se não tem o toque, se tem as práticas de higiene, se não coloca as mãos no rosto, você não é transmissor. Cada um tem que fazer a sua parte. O momento é extraordinário, não é uma época normal que estamos vivendo”, reiterou. 

Outro assunto abordado foi a necessidade de a Associação Capixaba de Supermercados (Acaps) modernizar sua forma de atendimento, adaptando-se à pandemia. “A Acaps tem que tomar providências, regular a entrada de pessoas do grupo de risco, modernizar seu sistema pra fazer tele-entrega, deliverys. Ainda tem quantidade grande de pessoas nos supermercados”, disse Casagrande. 

O governador também voltou a pedir para que as pessoas do grupo de risco fiquem em casa. “Não devem pegar ônibus, não devem ir ao supermercado, à farmácia. Peça ajuda a familiares, amigos, vizinhos. Outras pessoas também precisam ficar isoladas, para não serem vetores do vírus”, clamou. “Se todo mundo tiver cautela, a gente sai mais cedo dessa guerra, dessa desativação da economia e desse confinamento”, disse.

Número de casos

Confira o Boletim desta terça-feira, neste link.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Confecções de máscaras a todo vapor em grupos de voluntários do Espírito Santo

Diversas ações propõem a confecção de máscaras a serem doadas ou vendidas por valor simbólico

Programa EscoLAR ‘rasga princípio da igualdade de direitos’, repudia educadora

Cleonara Maria Schwartz diz que medida da Sedu reduz educação a ''mero cumprimento de tarefas''

Sobe para seis o número de óbitos da Covid-19 confirmados no Estado

Bancário, da Caixa, tinha 36 anos. Sindicatos exigem agências fechadas. Total de infectados é de 194

Quer ajudar quem precisa? Campanhas arrecadam alimentos e itens de higiene

Diversas ações buscam ajudar pessoas que estão sem renda em meio à pandemia do coronavírus