Espetáculo sobre Paulo Freire fará estreia nacional em Vitória

‘Paulo Freire, o andarilho da utopia' terá suas quatro primeiras apresentações no Palácio Sônia Cabral

Quem diria que Paulo Freire, intelectual reconhecido internacionalmente que escreveu “Pedagogia da Autonomia”, pudesse ser acusado como um dos principais responsáveis pela “doutrinação ideológica” nas escolas da “pátria amada, idolatrada”. Os tempos são esquisitos e a realidade por vezes parece superar a ficção, no pior dos sentidos. Mas também, mais do que antes, são tempos para a cultura resistir.

“Eu acho que o teatro volta a ser um local de discussão das grandes temáticas da sociedade brasileira. Parece pertinente trazer uma figura conhecida e reconhecida pela comunidade acadêmica e que tem muito a oferecer para a população, tem propostas e ideias que podem contribuir muito”, diz Richard Riguetti, ator, diretor, palhaço e professor, que fundou o Grupo Off-Sina e a Escola Livre de Palhaço (Elispa).

Ele encena o solo Paulo Freire, o andarilho da utopia, que fará sua estreia nacional em Vitória, com apresentações nos dias 28, 29, 30 e 31 de março no Palácio da Cultura Sônia Cabral. Depois o espetáculo segue para o Rio Grande do Norte, Ceará e Rio de Janeiro, onde estará em cartaz nos meses de maio e junho.

O espetáculo é definido com um ato ceno-poético, com uma proposta de diálogo e interação com a plateia, trazendo elementos de poesia, música, circo, palhaçaria, teatro e artes plásticas. “Nós temos um imbricamento de um andarilho que caminha pelos territórios e carrega a história de Paulo Freire. Ora o público vê o andarilho, ora vê Paulo Freire. Se confundem, entrelaçam, um dialoga com o outro”, explica.

A sombra da mangueira, onde o pedagogo e patrono da educação brasileira fazia suas primeiras reflexões embaixo da árvore no quintal de casa, em Pernambuco, dá início ao espetáculo, que percorre ludicamente a vida e pensamento de Paulo, que conhece a fome, busca entendê-la e transformar a realidade para que as pessoas possam se emancipar e ter autonomia. Uma viagem que o leva à lua, metáfora para o exílio.

A figura do palhaço aparece como uma forma de explicitar o espírito jovem de Freire, que pouco antes de morrer ainda dizia que trazia um brilho de menino nos olhos.

A dramaturgia, construída por Junio Santos, destacado nome da cena cultural do Nordeste, que também é ator, diretor e palhaço, traz textos selecionados de suas obras, entrevistas, depoimentos de outras pessoas sobre o pedagogo, poesia e música. “Tudo para colaborar para que o pensamento e sentimento amorosos de Paulo Freire cheguem até o público”, afirma Richard.

Para o ator, o intelectual que ele interpreta na obra tinha uma proposta de Brasil bastante abrangente e uma prática de diálogo muito ampla. “Ele aborda a questão da educação, da busca de uma país soberano. Tem uma boa percepção da grande diversidade do nosso país e de suas potencialidades. Sua produção é baseada no estudo rigoroso mas com uma prática muito aplicada na população brasileira, o que devolve ao pensamento dele toda afetividade do nosso povo”

A ideia do espetáculo teve início há cinco anos com Richard Riguetti e Luiz Antônio Rocha, diretor da obra e de outros espetáculos de sucesso, como os que abordam a vida de Frida Kahlo e Zilda Arns. Fizeram uma visita a Nita Freire, viúva de Paulo, que aprovou a proposta, mas o projeto teve que ser colocado na espera por conta da agenda cheia de ambos.

Para este ano, em comemoração aos 40 anos de carreira de Richard, o projeto ganhou vida e em breve sobe aos palcos. Mas não só neles. “Queremos fazer também nas escolas, nas ruas, nas praças, nos picadeiros, embaixo de uma mangueira, encima de um caixote. O importante é que a obra chegue à sociedade.”

Em Vitória, o grupo ainda traz a oficina de teatro De Professor e Palhaço todo mundo tem um pouco, que acontece no dia 30, de 14h às 17h, também no Palácio Sônia Cabral, como atividade complementar e integrada ao espetáculo. Gratuita e ministrada por Luiz Antônio e Richard, a oficina busca relacionar arte e educação, tendo como base o pensamento de Paulo Freire. As inscrições devem ser feitas pelo e-mail producaopaulofreire@gmail.com.

AGENDA CULTURAL

Estreia nacional do espetáculo Paulo Freire, o andarilho da utopia

Quando: Dias 28, 29 e 30 de março às 20h e dia 31 de março às 19h

Onde: Palácio Sônia Cabral – Praça João Clímaco, s/n, Centro de Vitória (antiga sede da Assembleia Legislativa, em frente ao Palácio Anchieta)

Ingressos:  R$ 25,00 (meia) e R$ 50,00 (inteira) Vendas online em www.sympla.com.br, ou diretamente na portaria do Palácio Sônia Cabral, segunda a sexta, de 13h às 19h, e também 1h antes do início do espetáculo.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.