Estudantes capixabas recebem ajuda financeira para material escolar

Emenda de Sergio Majeski, aprovada no PPA 2020-2023, destina R$ 10 milhões para alunos de ensino superior

Os estudantes contemplados no programa Nossa Bolsa terão um apoio maior para concluir o curso de formação superior. Emenda do deputado estadual Sergio Majeski (PSB), aprovada no Plano Plurianual 2020-2023 do governo do Estado, direciona R$ 10 milhões para auxiliar na aquisição de livros e materiais de estudo, bem como amenizar outras despesas do aluno até a conclusão da graduação.

Para a estudante Clara Bosi, a emenda é de extrema importância. Natural de Jaguaré, no norte do Estado, ela cursa o terceiro período de Odontologia da Escola Superior São Francisco de Assis (ESFA) de Santa Teresa, na região serrana, e diz que, mesmo tendo bolsa integral, que cobre 100% do valor da mensalidade, ela e a família têm dificuldade de arcar com as demais despesas. 

Ela calcula que gasta, em média, R$ 3 mil por semestre somente com os materiais solicitados pela faculdade, o que pode totalizar quase R$ 30 mil até o final do curso. Isso, sem contar o custo com aluguel e alimentação. “Como Santa Teresa é uma cidade turística, o valor do aluguel e todo o custo de vida aqui é muito caro. E os materiais do curso são muito caros. Odontologia é um curso caro, seja qual for a faculdade. Uma ajuda dessas pode salvar muita gente de ter que abandonar a faculdade”, relata. 

Um modelo para efetivar o repasse, sugere o parlamentar, poderá ser a volta do pagamento da "Bolsa-Dedicação" aos estudantes contemplados na modalidade integral do Nossa Bolsa. Quando estava em vigor, o estudante recebia trimestralmente o valor de R$ 300.

“Investir em educação e na qualificação das pessoas traz retorno para toda a sociedade. Muitos estudantes de baixa renda iniciam o curso superior, mas por uma infinidade de motivos acabam tendo dificuldades para permanecer e concluir a formação. A liberação desse recurso é um apoio fundamental, capaz de garantir a realização do sonho de toda uma família”, afirma Sergio Majeski.

Com o Nossa Bolsa, o Governo do Estado concede vagas para estudantes que desejam cursar a graduação em Instituições de Ensino Superior privadas, mas não possuem condições de custear os estudos. O objetivo é promover a inclusão e o desenvolvimento social e educacional, por intermédio do conhecimento.

De acordo com a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), que coordena as ações do programa, para 2020 serão ofertadas 1,7 mil bolsas em 39 instituições particulares. As inscrições estavam programadas para começar nessa quarta-feira (29), mas devido aos erros na correção das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e a suspensão da divulgação dos resultados do Sistema Integrado de Seleção Unificada (SiSU), o governo decidiu adiar as inscrições por tempo indeterminado.

O Nossa Bolsa, ampliado para beneficiar alunos da rede pública, além da graduação, vai ofertar também bolsas de iniciação científica e de mestrado.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Governo do Estado não investiu mínimo constitucional de 25% da Educação em 2019

O primeiro ano da atual gestão de Casagrande desviou R$783 milhões. Desde 2011, acúmulo é de R$ 5 bilhões

Assembleia aprova Orçamento de 2020 com quatro votos contrários

Sergio Majeski lembrou que desde 2009 o governo não cumpre os investimentos mínimos na educação

Erick Musso faz eleição inesperada e fica no comando da Assembleia até 2023

Articulação para reeleição foi ''sórdida e rasteira'', repudiaram os poucos deputados que votaram contra

Maior produtor de água do Estado, Santa Maria de Jetibá enfrenta racionamento

Sergio Majeski exige políticas públicas de recuperação dos mananciais, com recursos dos fundos ambientais