Evento internacional discute portos, qualidade de vida e territórios

Seminário gratuito em Itaoca, neste sábado, reúne palestrantes do Estado, do Brasil e do exterior

Os impactos da atividade portuária sobre a qualidade de vida e os territórios tradicionais é o tema do seminário internacional gratuito que acontece neste sábado (15) em Itaoca, no sul do Estado, de 9h às 17h.

Com o nome “Quer saber mais sobre portos?”, o evento reunirá palestrantes vindos de diversas partes do Espírito Santo, do Brasil e do exterior, para expor as experiências vividas em seus territórios, fomentando uma rica troca de saberes e experiências já vivenciadas. Em seguida, a programação se encerra com uma noite cultural e feira livre promovida por artistas e empreendedores locais.

No dia anterior, sexta-feira (14), haverá ainda um Giro pela região, entre Itaipava e Presidente Kennedy, onde se aventa a possibilidade de instalação de três novos portos, incluindo o Porto Central, na divisa com o estado do Rio de Janeiro, e, com eles, as promessas de empregos, renda, desenvolvimento.

O objetivo é trazer luz aos questionamentos essenciais das populações vizinhas aos empreendimentos pretendidos, já que a comunicação dos mesmos, via de regra, chegam à sociedade de forma incompleta e confusa, com farta publicidade ideológica sobre desenvolvimentismo e audiências públicas pouco elucidativas, sem espaços para debates efetivos.

“Afinal, quantos empregos diretos vão gerar no período da construção? E o que fazer com mais de cinco mil homens que serão atraídos para a região? Haverá políticas de moradia, saneamento, água e alimentação? E a segurança pública? Haverá proteção e saúde específicas para as mulheres, jovens e adolescentes? Ampliação da saúde pública, inclusive para novas doenças? Como vão proteger o pescado, os manguezais e berçários e o povo tradicional da pesca? E, depois de concluída a instalação, quantos empregos diretos restarão? Qual novo perfil de “turismo” incentivarão? Haverá praia, sem o horizonte tomado por transatlânticos? Como planejam lidar com previsíveis vazamentos, explosões, contaminações? Planos de emergência? Salvaguardas? Vão profanar o vasto e sagrado panorama de Nossa Senhora das Neves? Interditar os passos de Anchieta? Haverá Festival de frutos do Mar em 2022?”.

Esses são alguns dos questionamentos sugeridos pelas entidades organizadoras do evento, e que serão debatidos à luz da realidade capixaba, com auxílio de informações, mapas e imagens aéreas da região.

As entidades e organizações confirmadas são: ONG Amigos da Terra Brasil, Comissão Pastoral da Pesca (CPP), Movimentos dos Pescadores e Pescadoras Artesanais do Brasil (MPP), Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH), Fórum Suape de Pernambuco, Associação Homens e Mulheres do Mar do Rio de Janeiro (AHOMAR,) Sindicato dos Pescadores do Rio de Jneiro (Sindipesca/RJ,) Federação das Associações de Pescadores e Pescadoras Artesanais e Aquicultores do Espírito Santo (FAPAES) Colônia Z-10 Itapemirim, Centro de Defesa dos Direitos Humanos (CDDH) Pedro Reis/ Cachoeiro de Itapemirim, Campanha Nem Um Poço a Mais, Federação dos Órgãos de Assistência Social e Educacional (Fase).

Serviço:
“QUER SABER MAIS SOBRE PORTOS?”

Data: 15 de junho 2019
Horário: 9 às 22 HORAS
Local: Praia de Itaoca- Itaoca Pousada Camping
Mais informações

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Guardiãs e guardiões da natureza do Espírito Santo são homenageados

Os jornalistas Rogério Medeiros e Vítor Taveira estão entre os premiados pela Campanha Nem Um Poço a Mais

Vitória tem encontro de saberes e práticas agroecológicas neste sábado

Evento terá oficinas gratuitas sobre hortas verticais e em pequenos espaços, compostagem e autocuidado

Vitória tem encontro de saberes e práticas agroecológicas neste sábado

Evento terá oficinas gratuitas sobre hortas verticais e em pequenos espaços, compostagem e autocuidado

Toninha está ameaçada no Estado por lama da Samarco e expansão portuária

Mamífero marinho mais raro do país, Toninha indica melhor modelo de desenvolvimento para a costa capixaba