Ex-ministro vem a Vitória debater reforma da Previdência

Seminário do Sindiupes terá Carlos Gabas, que dirigiu ministério da Previdência Social nos governos do PT

Contador e servidor concursado do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), Carlos Gabas, que chegou a ser ministro da Previdência Social nos governos de Luís Inácio Lula da Silva (PT) e Dilma Rousseff (PT), é um dos convidados para o Seminário sobre a Reforma da Previdência. O evento será realizado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Espírito Santo (Sindiupes) no dia 23 de abril, às 8h, no Auditório do Comfort Suítes Hotel, na Praia do Canto, em Vitória.

Na ocasião, Gabas fará palestra com o tema “O desmonte da previdência amplia as desigualdades”. Outro palestrante será o sociólogo e professor universitário Clemente Gaz Lúcio, diretor técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Em sua exposição, ele abordará “Previdência Social em tempos de mudanças radicais no mundo do trabalho”.

Também participa do seminário Marta Vanelli, professora da rede pública de Santa Catarina e diretora de Formação da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE). Ela foi responsável pela elaboração do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), do Piso Salarial para o magistério e do Plano Nacional de Educação. O tema de sua palestra será “Os profissionais da educação e as mulheres na Reforma da Previdência".

Com duração de cinco horas, o evento tem como público-alvo os trabalhadores da educação filiados ao Sindiupes que trabalhem no magistério ou como funcionários de escolas das redes estadual e municipais. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo telefone do sindicato (27 3421-2400). O Seminário sobre a Reforma da Previdência conta com apoio da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Confederação Nacional dos Trabalhadores na Educação (CNTE) e Frente Brasil Popular.

A proposta de reforma da Previdência foi enviada ao Congresso Nacional no dia 20 de fevereiro pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) e tramita nas Câmara de Deputados. Muitas entidades sindicais e movimentos sociais têm se manifestado contrariamente à proposta, que consideram prejudicial aos trabalhadores.

“Em vez de combater privilégios, o novo sistema de Previdência reduzirá o valor dos benefícios pagos e aumentará a idade mínima e o tempo de contribuição, tornando a aposentadoria praticamente inacessível para grande parte da classe trabalhadora, o que aumentará a pobreza e a desigualdade no país. O momento exige mobilização e resistência para barrar essa proposta que retira direitos dos trabalhadores e traz enormes prejuízos à sociedade brasileira”, declarou o Sindiupes em nota.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Servidores do legislativo apresentam emendas à reforma da Previdência

Leandro Machado, do Sindilegis-ES e da Federação Nacional, participou da articulação em Brasília

Policiais reclamam da reforma da Previdência e criticam falta de diálogo

O delegado Rodolfo Laterza é uma das lideranças que está à frente do movimento no Estado

Bolsonaro condiciona ajuda aos estados à aprovação da reforma da Previdência

Renato Casagrande disse que presidente não sinalizou com ações efetivas em encontro em Brasília

Ah, coitado!

Magno Malta tira proveito do debate da reforma da Previdência: ''prefiro cortar na própria carne''