Festa da Integração reúne grupos de cultura popular no Caparaó

Evento busca integrar comunidade de Patrimônio da Penha e valorizar as tradições culturais do Estado

Comunidade conhecida pela tranquilidade e belezas naturais do entorno, Patrimônio da Penha, em Divino de São Lourenço, região do Caparaó, também é um lugar que possui constante programação cultural. Neste fim de semana, o local se prepara para a III Festa da Integração das Culturas Populares Capixabas, reunindo grupos locais e convidados para apresentar diferentes manifestações do Estado. Congo, Boi Pintadinho, Caxambú e Coral Guarani estão entre os participantes da festividade que vai de sexta-feira a domingo (20 a 22).

O evento não surgiu exatamente no intuito de atrair turistas, mas de fortalecer as relações da comunidade e dos grupos populares. "A proposta se deu numa busca de integrar a comunidade num propósito comum de celebrar esse encontro de diversas tradições, culturas e histórias. Trazer tudo para uma grande roda e celebrar junto", conta Laíssa Gamaro, uma das organizadoras. Os turistas e visitantes são muito bem-vindos. Mas é bom chegar com muito respeito aos moradores e ao meio ambiente, claro.


Banda Suindara é uma das atrações locais de Patrimônio da Penha. Foto: Facebook
 

Toda organização da festa é comunitária, com trabalho voluntário, embora este ano, pela primeira vez, o evento conte com apoio do Fundo Estadual de Cultura (Funcultura), o que permitiu potencializar a programação e a organização, somando mais de 20 atrações em três dias.

A abertura será às 17h de sexta-feira, com culto ecumênico e ritual do fogo. Entre as atrações originárias de Patrimônio da Penha estão o Boi Pintadinho Valdemar Machado, banda Suindara, Sensação do Caparaó e Terra Sem Males, Intervenção Dança Elementar, Naturessência Teatro de Rua. Do município de Divino de São Lourenço, haverá também apresentação de dança da peneira com grupo Viver e Sorrir, Lira Banda de Santa Cecília e Bate-Flecha. Da região do Caparaó, terá também Caxambú da Andorinha (Jerônimo Monteiro), Grupo de Capoeira Angola Volta ao Mundo e Dança da Fita do Grupo Horizonte (Alegre) e Fanfarra de Espera Feliz (MG).

Marcarão presença também contação de histórias africanas com Jamilda Alves, de Vitória, e o forró pé-de-serra Trio Caparaó, também da capital, assim como a Banda de Congo Panela de Barro de Goiabeiras. Outra grande novidade deste ano é a participação do Coral Guarani Kuaray Retxakã, da aldeia Piraquê-Açu, em Aracruz.

"Nesta terceira edição o evento expandiu e pode trazer manifestações de mais longe. A maioria delas tem origem na cultura afro, mas este ano os guarani se interessaram em vir e ficamos muito felizes. O Caparaó tem em sua construção histórica e cultural marcada pela presença da cultura indígena e estamos muito honrados deles estarem se aproximando e ajudando a resgatar a história desse lugar em que estamos hoje", conta Laíssa.


Coral Guarani Kuaray Retxakã é um dos grupos convidados para evento. Foto: Facebook

A dança circular que pretende unir todos numa grande roda será comandada por Valéria Rodrigues, moradora de Patrimônio da Penha. A programação ainda terá um mutirão de plantio de árvores com o grupo Gerar e a tradicional feira livre no sábado. "O propósito da existência da Festa da Integração é celebrar o encontro, que as pessoas se envolvam, se sintam pertencidas e que todo mundo curta e se divirta bastante nessa celebração de nossa comunidade, da existência em comum neste lugar, aprendendo com a celebrar a existência do outro, das tradições e culturas diversas", apontou.

AGENDA CULTURAL

III Festa da Integração das Culturas Populares Capixabas - "A Grande Roda"

Quando: 20 a 22 de setembro de 2019

Onde: Patrimônio da Penha, Divino de São Lourenço/ES

Programação completa

Sexta-feira (20/9)

17h - 18h Culto Ecumênico

18h - 18h30 Abertura Oficial com o Ritual do Fogo

18h30 -19h10 Boi Pintadinho Valdemar Machado (Patrimônio da Penha)

19h10 - 20h Coral Guarani Kuaray Retxakã – Aldeia Piraqueaçu (Aracruz)

20h – 20h40 Quadrilha improvisada (Patrimônio da Penha)

20h40 - 22h Caxambú da Andorinha (Jerônimo Monteiro).

22h - 23h30 Banda Suindara + Dança Circular com Valéria Rodrigues (Patrimônio da Penha)

Sábado (21/9)

8h-12h Feira Livre

8h - 9h Mutirão de plantio de arvores (grupo GERAR) e Intervenção Dança Elemental -Multiverso (Patrimônio da Penha)

9h - 10h Dança da Peneira do grupo Viver e Sorrir (Divino de São Lourenço)

10h -11h Grupo de Capoeira Angola Volta ao Mundo (núcleo de Alegre).

16h -17h Dança Circular Sagrada com Valéria Rodrigues - na praça (Patrimônio da Penha)

17h -18h Lira Banda de Santa Cecília + Bate Flexa (Divino de São Lourenço)

18h -19h30 Banda de Congo Panela de Barro de Goiabeiras (Vitória)

19h30 - 20h Naturessência - Teatro de Rua - Multiverso (Patrimônio da Penha)

20h - 20h40 Dança da Fita do Grupo do Horizonte (Alegre)

20h40 - 21h20 Banda Sensação do Caparaó (Patrimônio da Penha)

21h20 - 23h Banda Terra Sem Males (Patrimônio da Penha)

23h – 24h30 Trio Caparaó (forró pé de Serra) (Vitória)

Domingo (22/9)

9h - 9h30 Contação de histórias Africanas com Jamilda Alves (Vitória)

9h30 -12h Brincadeiras com as crianças + caça ao tesouro + gincana com ex brinquedotecandos (veteranos) - 25 anos de brinquedoteca (Patrimônio da Penha)

14h -16h Fanfarra (Espera Feliz)

16h Encerramento na praça.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
1 Comentários
Matérias Relacionadas

Rock in Doce fará tributo musical ao Rio Doce em Baixo Guandu

Coluna CulturArte: Dead Fish será atração de festival, edital da Secult, cinema brasileiro em cartaz

No Território do Bem, feijoada vai ajudar a financiar projetos comunitários

Grupo Leq Samba é uma das atrações do evento que envolve nove bairros em apoio a iniciativas sociais

Com material reciclado, peça de bonecos alerta para preservação dos mares

Espetáculo 'Jubarte - Uma Aventura Oceânica' será apresentado no Cine Teatro Ribalta, em Jardim Camburi

Artistas organizam abraço simbólico ao Theatro Carlos Gomes

Ato no sábado pressiona por resposta sobre situação do edifício histórico fechado há quase dois anos