Fora da Comissão de Educação, Sergio Majeski cria frente parlamentar

Deputado vem denunciando o descaso no setor educacional do Estado desde o primeiro mandato

O requerimento para a criação de uma frente parlamentar, de autoria do deputado Sergio Majeski (PSB), foi aprovado na sessão dessa quarta-feira (13) na Assembleia Legislativa. Com a formação do grupo, será possível "analisar, propor debates e soluções para o cumprimento das metas e estratégias estabelecidas pelas leis federal e estadual" na área de Educação.

Preterido para presidir a Comissão de Educação na Assembleia, apesar de professor e especialista no setor, o deputado não perdeu tempo e vai presidir a Frente Parlamentar em Defesa do Cumprimento dos Planos Nacional (PNE - 2014/2024) e Estadual de Educação (PEE - 2015/2025). Sancionados nos anos de 2014 e 2015, respectivamente, os planos têm a finalidade de direcionar esforços e investimentos para a melhoria da qualidade da educação no Brasil e no Espírito Santo em 10 anos. 

“Nos quatro anos do meu primeiro mandato, que sucederam a aprovação dos planos, visitei mais de 250 escolas no Espírito Santo e constatei, em grande parte, que os problemas são os mesmos”, destaca Majeski. 

O deputado cita a falta de infraestrutura; precariedade da condição de trabalho para os professores; falta de oportunidade e de incentivo para a qualificação dos profissionais; a questão salarial; e a falta de condição de acesso e permanência dos alunos. 

“Entendo que todas as soluções para estes problemas constam no PNE e no PEE, o problema é que poucas regras foram seguidas à risca nos últimos anos”, afirma o deputado, que lembra também do elevado índice de alunos (cerca de 61 mil) em idade escolar que estão fora da sala de aula.

Outro exemplo dado por Majeski é a meta que estabelece que, até 2025, 90% dos professores tenham cursado pós-graduação. “Como esta meta será atingida se, no governo passado, o Estado suspendeu as licenças para qualificação dos docentes? Se tudo continuar como está, o PNE e o PEE se tornarão apenas cartas de boas intenções”, completa.

 A frente parlamentar dos planos de Educação é a quarta criada pelo deputado Majeski no início da atual legislatura. As outras três são a de Defesa das Políticas Públicas de Juventude; a de Apoio à Inclusão, à Acessibilidade e Cidadania das Pessoas com Deficiência; e a para discutir a Região Metropolitana da Grande Vitória.

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
1 Comentários
  • Juan Carlos Galante , sexta, 15 de fevereiro de 2019

    Exmo. Deputado, o admiro muito por sua atuação, mas este atual governo também negou e nega licenças para que os professores se qualifiquem. O que fez nesse campo foi dar sequência ao programa Proregência que readequa a carga horária para que o profissional possa cursar mestrado ou doutorado PROFISSIONAIS (o acadêmico está de fora). Detalhe Deputado, no governo anterior eram 100 vagas, quando apenas 17 foram selecionados. Na reedição deste mês de fevereiro reduziram as vagas drasticamente. Faltou também dizer que os professores SEDU que possuem duas cadeiras trabalham CINQUENTA HORAS SEMANAIS acima do limite constitucional de 44 hoas. Brilhante Deputado Majeski, acorda! O governo PH acabou. QUARENTA HORAS JÁ PARA O MAGISTÉRIO CAPIXABA!

Matérias Relacionadas

ADI para apurar desvio de recursos da educação ganha parecer favorável

A denúncia de Sergio Masjeski sobre o desvio de recursos para cobrir o rombo da Previdência vem desde 2018

Orçamento do Governo do Estado é aprovado em clima de apreensão de servidores

O Plenário da Assembleia aprovou o Orçamento 2019, em sessão extraordinária, nesta segunda-feira (14)

Deputados aprovam créditos especiais solicitados pelo Executivo

Majeski votou contra todas as propostas, voltada a maioria para abertura de concursos

Aliado, aliado, mandato à parte

De Hartung a Casagrande, as críticas de Majeski na Educação