Frente de policiais aciona OAB, Judiciário e Assembleia por pauta de valorização

Primeiro encontro será nesta quarta com ex-secretário Henrique Herkenhoff, presidente de comissão na OAB

A Frente Unificada de Valorização Salarial dos Policiais Civis e Militares e Bombeiros Militares busca apoio de entidades da sociedade civil, como a Ordem dos Advogados do Brasil no Espírito Santo (OAB-ES), e dos poderes instituídos como o Tribunal de Justiça do Estado (TJES), Assembleia Legislativa (Ales), Tribunal de Contas (TCE) e Ministério Público (MPES), para construir uma pauta de valorização para as carreiras da segurança pública capixaba. 

O primeiro encontro já está marcado para a próxima quarta-feira (6) com o presidente da Comissão Especial de Segurança da OAB, Henrique Herkenhoff, que, inclusive, já foi secretário da área na primeira gestão do governador Renato Casagrande (PSB).  De acordo com a presidente do Sindicato dos Delegados do Espírito Santo, Ana Cecília de Almeida Mangaravite, também há expectativa de uma reunião com o próprio governador para tentar retomar as negociações que vão além do reajuste linear de 3,29%, calculado com base na correção da inflação de 2019, medida pelo  Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), e que virá incorporado aos contracheques de ativos e inativos a partir de dezembro.

Ana Cecília afirma que as negociações com o secretariado de Casagrande não surtiram os efeitos desejados, uma vez que não tem avançado além do reajuste linear. “O que queremos é discutir um plano de valorização salarial para ser executado ao longo dos três anos de mandato, igualando a remuneração das polícias capixabas à média nacional”, explicou. As polícias Militar e Civil do Estado, complementa, recebem os piores salários do País. 

Os policiais já planejam também um grande ato público com a participação de todas as corporações que compõem a Frente. O objetivo continua sendo mobilizar a sociedade civil em prol de investimentos na segurança pública do Estado. 

Integração

Os policiais militares, civis e bombeiros também participaram da manifestação integrada dos servidores estaduais que foi realizada no dia 24 do mês passado, quando foi realizada uma assembleia geral unificada em frente ao Tribunal de Justiça do Estado (TJES), em Vitória. 

De acordo com dados divulgados pela Frente, nos últimos anos (2014/2019), enquanto a inflação acumula um índice de 35,53%, os salários dos policiais tiveram reajuste de apenas em 4,5%, tornando praticamente impossível arcar com compromissos básicos sem recorrer a endividamento constante que compromete até a integridade dos policiais no exercício de suas atribuições”. Como comparação, o salário base dos policiais militares do Distrito Federal é de R$ 7,1 mil. Na lanterna do ranking, o Espírito Santo paga uma média de R$ 2,7 mil. 

Recentemente, foram instalados outdoors na Grande Vitória denunciando que tantos policiais civis quanto os militares amargam os piores salários do País. Também está em curso uma campanha salarial nas redes sociais das associações que integram a frente.      

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Tribunal de Contas acata denúncia de corrupção contra prefeito de Cariacica

Professor Elinho (PV) denunciou prefeito Juninho (Cidadania) por suspeitas de irregularidades em licitação

Frente de policiais lança nova campanha com outdoors pedindo valorização

Dizeres como “Policiais e Bombeiros do ES têm o pior salário do Brasil” estão na Grande Vitória e interior

Associação de cabos e soldados registra mais um suicídio na tropa

Para entidade, profissão de alto risco é agravada pela mais baixa remuneração do país e pouco investimento

Segurança Pública em 2019: policiais e bombeiros se unem em frente unificada

Governador Casagrande tenta administrar revolta dos agentes de segurança em função dos baixos salários