Frente de Policiais inicia ciclo de protestos para cobrar valorização salarial

Grupo que reúne militares e civis realizou ato público nesta segunda-feira em frente à DHPP

Agentes da Segurança Pública do Espírito Santo realizaram um protesto na manhã desta segunda-feira (25), em frente à Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), em Vitória. A manifestação, que contou com uma passeata pela Avenida Reta da Penha, é mais uma ação da Frente Unificada de Valorização Salarial dos Policiais Civis, Militares e Bombeiros, que reivindica reajuste das perdas salariais dos últimos anos, além de uma plano de valorização das carreiras. 

De acordo com o presidente da Associação de Delegados da Polícia Civil, Rodolfo Laterza, representante da Frente Unificada, os policiais civis, militares e integrantes do Corpo de Bombeiros resolveram iniciar um ciclo de atos públicos até o Governo do Estado oferecer uma oferta concreta de valorização salarial. Segundo Laterza, a Frente tem se espelhado na mobilização realizada em Minas Gerais. O estado, apesar de estar quebrado financeiramente, concedeu 37% reajuste escalonado até o ano de 2022 aos agentes de Segurança Pública. 

“É humilhante porque sabemos que o estado do Espírito Santo tem um folga significativa em suas finanças. A partir de agora, vamos exigir do Governo uma proposta concreta com índice de reajuste. Os protestos vão continuar até que tenhamos essa posição”, explicou Laterza. O ato desta terça-feira começou por volta das 9 horas, sendo encerrado às 11h30.    

Na semana passada, integrantes da Frente se reuniram com o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Espírito Santo, José Carlos Risk Filho, que, por sua vez, se comprometeu em agendar um encontro com o governador Renato Casagrande para intermediar e reforçar o pleito dos policiais. 

Superávit de R$ 2,7 milhões

Utilizando dados do Tribunal de Contas do Estado (TCE), A Frente Unificada afirma que governo do Estado tem saúde financeira capaz de aproximar as remunerações dos agentes de segurança capixabas à média nacional. Os dados apresentados indicam que o Espírito Santo auferiu um superávit orçamentário de R$ 2,7 bilhões nos primeiros meses deste ano. 

Estudos realizados pela Frente indicam que o comprometimento da Receita Corrente Líquida com a despesa de pessoal do Executivo, que em outubro de 2018 era de 42,27%, passou para 39,4% em setembro de 2019, abaixo do limite legal permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal. Para a Frente, "falta vontade política do Estado em valorizar os profissionais da área de Segurança Pública".

O grupo defende que "a proposta de valorização salarial das categorias apresentada pela Frente Unificada ao governo é plenamente factível, dentro da realidade financeira e fiscal do Estado". E, ainda, que foi instruída com base em números do estudo que as instituições militares estaduais fizeram com relação à defasagem salarial em nível nacional, apresentado ao governo pelos comandantes gerais. Portanto, não há necessidade de outro estudo pela Secretaria de Estado de Gestão e Recursos Humanos (Seger), apontou a Frente em comunicado do último dia 12.

Meses atrás, a Frente apresentou um estudo detalhado, com as estimativas de impacto orçamentário e fiscal, sugerindo o nivelamento mínimo dos salários das categorias à média nacional. Três expedientes foram, inclusive, encaminhados ao governador, segundo os representantes do grupo, "com a plena possibilidade do Estado atender ao pleito".     

A Frente Unificada reivindica também uma reunião com Casagrande para discutir a efetivação de um plano concreto de recomposição salarial para as categorias. O pedido foi feito depois de inúmeras reuniões realizadas com integrantes do governo, incluindo os secretários de Estado de Gestão e de Segurança Pública, sem que uma proposta concreta tenha sido apresentada. 

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Agentes penitenciários querem implementação de polícia penal no Estado

Profissionais fizeram protesto nesta sexta-feira também por reajuste salarial e concurso público

Proposta de subsídio ao transporte público provoca polêmica em Aracruz

Manifestantes protestaram na Câmara Municipal, alegando que medida não resolve questões fundamentais

Frente unificada de policiais recebe apoio de deputados estaduais 

Policiais civil, militares e integrantes do Corpo de Bombeiros estão na luta por reajuste salarial

Delegados da Polícia Civil realizam protesto na Assembleia Legislativa

Ato por Valorização Salarial é uma reação ''à falta de medidas concretas do Governo sobre a recomposição''