Governo libera FGTS para vítimas das chuvas no sul do Estado

O governador anunciou uma espécie de doação de até R$ 3 mil para pessoas de baixa renda

Liberação de saque do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), financiamento do Banco do Estado do Espírito Santo (Banestes) a juros baixos e um cartão para reconstrução com saldo de até R$ 3 mil para pessoas de baixa renda. Essas foram as medidas de maior impacto anunciadas nesta terça-feira (21) pelo governador Renato Casagrande (PSB), visando a retomada da economia dos municípios afetados pelas fortes chuvas na região sul, que atingiram principalmente Iconha e Alfredo Chaves, que já contabilizaram sete mortos.  

Em coletiva de imprensa com a participação de representantes de diversos órgãos do governo, Defesa Civil estadual e nacional, do Exército e polícias civil e militar, o governador explicou que terão direito ao cartão para a reconstrução, que será fornecido pelo Banestes, os moradores com renda de até três salários mínimos e que cadastrados no único de benefícios do governo federal. 

Será uma doação, com recursos do Fundo de Reservas de Contingência do Governo do Estado, que será liberada mediante a apresentação de documento do Corpo de Bombeiro e da Defesa Civil confirmando o estrago provocado pelas chuvas. 

Os empréstimos para reconstrução terão carência de 12 meses e prazo de pagar de até 48 meses, a juros seguindo a taxa Selic, atualmente de 4,5% ao ano. As pessoas físicas terão juros subsidiados. Empresas com faturamento de até R$ 360 mil por ano também terão juros subsidiados, com limite de até R$ 20 mil de financiamento. 

Já as empresas com faturamento de até R$ 4,8 milhões/ano terão financiamento de até R$ 30 mil, sem subsídios, mesmo benefício concedido a pessoas físicas atingidas pelas chuvas com renda mensal acima de seis salários mínimos. Além disso, o Banestes suspenderá a cobrança de empréstimos consignados, por 12 meses, das vítimas da tragédia. 

As fortes chuvas que atingiram o sul do Espírito Santo no último dia 17 provocaram prejuízos incalculáveis, segundo a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (CEPDEC), e deixaram sete mortos, sendo quatro em Iconha e três em Alfredo Chaves, município que também registrou um ferido. 

Os desalojados e desabrigados somam 2.290 pessoas. Dessas, 2.204 estão desalojados, sendo 1107 em Alfredo Chaves, 941 em Vargem Alta, 92 em Anchieta, 55 em Iconha e 9 em Rio Novo do Sul. Das 78 desabrigadas, 52 estão em Vargem Alta, 22 em Iconha e 4 em Rio Novo do Sul. 

Alfredo Chaves, Iconha, Rio Novo do Sul e Vargem registraram além das vítimas, ocorrências diversas em função das enchentes, situações que afetaram também Anchieta, Castelo e Marechal Floriano. Entre os problemas identificados pela Defesa Civil estão bloqueios de estradas, desabamentos e interrupção do fornecimento de água e energia.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.