Governo suspende aulas e antecipa férias de julho no Espírito Santo

Medida atinge rede estadual, ampliando para as particulares e municipais, como afirmou Casagrande

O governador Renato Casagrande anunciou na tarde desta segunda-feira (16) que as aulas estão suspensas em toda a rede pública estadual de ensino devido aos alertas oficiais sobre a pandemia do coronavírus. A medida também deverá ser seguida pelo Sindicato das Escolas Particulares do Estado (Sinepe-ES) e União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), com quem o governador já seu reuniu para orientação. A suspensão se dará já a partir desta terça e sexta-feira (17 a 20), iniciando na próxima segunda (23) a antecipação das férias escolares de julho até o dia quatro abril.

O governador ressaltou que a medida atende ao decreto de emergência publicado pelo Estado nesta segunda-feira para evitar a propagação do coronavírus, sem prejuízo de conteúdo curricular. Ele alerta que é preciso evitar ao máximo a aglomeração de pessoas no Estado, que confirmou oito casos até agora, dobrando o número desde esse domingo (15). Ao todo são, agora, 134 casos suspeitos de Covid-19 (dos 219 casos notificados com suspeita, 77 foram descartados e oito foram confirmados).

Nesta semana, uma equipe de professores e diretores ainda estará nas escolas para receber as famílias e estudantes, possibilitando aos pais um período de organização diante da suspensão.  “Esses profissionais deverão ficar em uma área reservada da unidade escolar para evitar muito contato, senão, essa medida não vai adiantar nada”, pontuou. Já a partir da próxima segunda, os profissionais da educação não estarão nas unidades.

O governador garantiu que a Secretaria Estadual de Educação (Sedu) irá escolher escolas-polo para que a merenda escolar continue a ser servida aos alunos que precisam. A escolha será feita ainda esta semana. 

A decisão de Casagrande ocorre no mesmo dia em que algumas faculdades anunciaram a suspensão, da rede pública e privada, e atende ao pleito do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Espírito Santo (Sindiupes), que em ofício reivindicou a suspensão imediata das aulas nas escolas públicas estaduais e municipais. A entidade afirma que as unidades não têm condições de prevenir a comunidade escolar de possíveis contágios, pois não contam com produtos essenciais para isso, como álcool em gel e máscaras. Muitos pais de alunos também levaram essa demanda para as escolas, preocupados com a propagação do vírus no Estado. 

Apelo

O governador Casagrande também fez um apelo para que as pessoas que estejam com alguma virose, que fiquem 14 dias recolhidas em casa e, após orientação médica, fiquem afastadas do trabalho, mesmo não tendo feito o teste de coronavírus.

“A pessoa com virose fica mais susceptível, fragilizada. Então a nossa decisão é dar ao trabalhador essa condição de que, por prescrição médica ela possa ficar isolada por 14 dias. Todas essas decisões são para que se diminua a circulação de pessoas, o contato entre as pessoas. Mas os procedimentos de prevenção, como a higienização das mãos ainda é fundamental para evitar a contaminação”, completou.

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
1 Comentários
Matérias Relacionadas

Governo anuncia auxílio econômico para micro e pequenas empresas e MEIs

Serão R$ 400 milhões em postergação de ICMS e empréstimos, além de medidas de desburocratização

O mais triste Dia do Circo de todos os tempos

Proibidos de se apresentar por conta do coronavírus, circos capixabas não tiveram o que comemorar

Priorizar pequenos empreendedores é uma forma de exercer solidariedade

Trabalhadores informais e autônomos, como agricultores, se organizam para atender demandas em domicílio

Casagrande destina R$ 51 milhões para ações de proteção social nos municípios

Já as medidas econômicas ainda serão anunciadas. ES tem 53 casos confirmados e 1.105 em investigação