Hartung já faz parte do bloco de Huck para tocar a oposição a Bolsonaro 

A estratégia do apresentador de TV inclui Hartung e mira a sucessão presidencial de 2022

O governador Paulo Hartung está na linha de frente do bloco de oposição ao presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), como integrante do grupo liderado pelo apresentador de TV Luciano Huck, que se organiza nacionalmente por meio do RenovaBR, visando a sucessão presidencial em 2022, na qual Hartung espera ter papel preponderante.  

Criado em 2017 pelo empresário Eduardo Mufarej, presidente da Somos Educação e sócio da Tarpon Investimentos, o instituto visa a promoção de “uma nova política”, com o fortalecimento do conceito de Estado mínimo e ampliação da tomada de decisões pelo mercado. 

A saída do governador Paulo Hartung do MDB, depois de 13 anos de filiação, anunciada nessa quarta-feira (7), coloca a descoberta uma tendência anunciada em abril deste ano, durante o lançamento em Vitória do instituto RenovaBR. 

Sem muitas opções partidárias, Hartung se aproxima da Rede do prefeito Audifax Barcelos, da Serra, sigla que se alinha com os objetivos do RenovaBR e tem inclusive um de seus membros como bolsista do instituto, Gustavo De Biase, em cursos de formação de novas lideranças políticas dos quais Hartung deve ser um dos instrutores. Outro bolsista capixaba ligado ao governador foi o atual chefe de gabinete, Octaciano Neto, sinalizado como deputado federal eleito, que desistiu da disputa, apesar de contar com o apoio do governo.   

Uma das iniciativas do RenovaBR, que se somam a ações idênticas de outros setores corporativos empresariais, com total apoio da imprensa nacional, visa desacreditar a classe política como um todo, passando a generalizar a marca de ineficiência e de corrupção na gestão pública e valorizando o gerenciamento empresarial e a bandeira da honestidade. 

Na época das pré-candidaturas presidenciais, divulgou-e que o Renova-BR estava por trás da candidatura a presidente da República de Luciano Huck, com Hartung cotado para ser vice. Esse projeto foi abortada no nascedouro, por meio de pressões de figuras conhecidas do meio empresarial e financeiro, entre eles o ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga e os empresários Abílio Diniz e Eduardo Mufarej, mas, no entanto, não foi descartado.  

O adiamento da entrada de Luciano Huck na disputa presidencial, segundo ele mesmo anunciou, obedece a um planejamento estratégico visando às eleições de 2022, a fim de escapar do quadro confuso da sucessão presidencial, antes de as candidaturas serem definidas, o que só ocorreu em julho deste ano.    

O RenovaBR poderia, fora do cenário político majoritário, construir canais para identificar tendências, ameaças e oportunidades, pontos fortes e fracos, e ainda contar com alguns representantes nas assembleias legislativas estaduais e no Congresso Nacional. De fato, dos 120 integrantes do instituto, 16 se elegeram em 7 de outubro, iniciando uma lenta mas efetiva  participação. Entre eles, o capixaba Felipe Rigoni (PSB), uma surpresa no pleito.

Desde o ano passado, face ao desgaste de sua imagem por conta do arrocho fiscal promovido em sua gestão, desconectada dos programas sociais, o governado Paulo Hartung vinha buscando acomodação com vários palanques, principalmente no cenário nacional.

Para isso, vendeu uma imagem de excelência em gestão e liderança de centro, dando ao mercado uma opção que fugisse do extremismo colocado com a possibilidade de embate entre o ex-presidente Lula (PT) e o deputado federal Jair Bolsonaro, então no PSC. 

Valeu-se de estratégias de marketing, com palestras patrocinadas por organismos de centro e direcionadas pelo mercado corporativo, a fim de colocar-se como modelo de gestão, ressaltando os incentivos fiscais para a atração de investimentos. 

Essa política, segundo o Sindicato dos Servidores Públicos do Estado (Sindipúblicos-ES), resultou em 209 acordos, representando uma isenção fiscal de R$ 19,8 bilhões. São valores mantidos numa espécie de caixa preta, o que tem merecido questionamentos de parlamentares como o deputado Sergio Majeski (PSB), um dos poucos opositores na Assembleia Legislativa. 

Com a ampliação da chamada política de mercado, o papel do Estado como condutor da economia será drasticamente reduzido, provocando perdas à população, principalmente na área social. O programa do RenovaBR se ajusta perfeitamente à gestão do governador Paulo Hartung, excessivamente ligado às corporações, dentro de uma visão neoliberal em detrimento dos avanços sociais. 

4 Comentários
  • Márcio Machado da Silva , sexta, 09 de novembro de 2018

    Derrotar esses dois esquerdinhas em 2022 vai ser melhor do que a derrota que foi imposta aos petralhas em 2018.

  • Renato , sexta, 09 de novembro de 2018

    Esses eleitores de Bolsonaro são mestres em ofender os outros (esquerdinha, petralha...). Argumentação zero. Lembrem-se que o futuro pertence a Deus e a arrogância precede a queda!

  • magno pires da silva , sexta, 09 de novembro de 2018

    concordo com o comentário do eleitor de nome RENATO. É mesmo amigo, estes "bolsonaristas" são arrogantes, prepotentes, odiosos, xingadores(as) e ofensivos à honra alheia e se "acham"!, pensando que o Brasil é só deles e que somente eles/elas são "brasileiros e brasileiras". Não resistem a nenhuma discussão política séria porque têm "argumento zero". Comento para lembrá-los que 89 milhões de brasileiros e brasileiras não votaram no candidato "!bolsonarista" . Somando 47 milhões de votos obtidos pelo Professor HADDAD + VOTOS EM BRANCO + VOTOS NULOS + ABSTENÇÔES= 89 MILHÕES, CERCA DE 60,54% DOS 147 MILHOES DE BRASILEIROS APTOS A VOTAR, NÃO QUISERAM E NEM VOTARAM NO PRESIDENTE ELEITO. "BAIXEM A BOLA, BOLSONARISTAS". a eleição já passou e a arrogância e o preconceito bem como o preconceito e o ódio não são competências nem ferramentas para se fazer um bom governo. chegou a hora de governar e já tamos assistindo antes de tomar posse, as "trapalhadas" cometidas pelo "boçal-ordinário" (ex: declaração infeliz de transferir embaixada do Brasil de TelaViv para Jerusálem, teve que voltar atrás na pretendida fusão do ministério do meio-ambiente com a agricultura e ainda por cima declaração desastrosa de que pretende extinguir o Ministério do Trabalho, o qual já existe na estrutura do Estado Brasieliro há mais de 80 anos. Já tá enfrentando o seu primeiro protesto da oposição democrático-popular porque servidores(as) do Ministério do Trabalho, acompanhados de Populares deram um abraço ontem a tarde no Prédio do Ministério em Brasília, protestando contra a extinção deste importante ministério. Seja bem vinda a oposição liberal de centro-direita do Luciano ! A nossa oposição democrático-popular já está em campo e observem "bolsonarista!que o mundo dá voltas e o curso da história não é linear. Tenho dito!

  • magno pires da silva , domingo, 11 de novembro de 2018

    Ganhar e Perder, faz parte da Vida. Principalmente na Política, se perdem e se ganham eleições. É próprio do regime democrático a alternância do poder, por isto mesmo, respeitar o resultado das urnas é princípio inalienável de todo e qualquer democrata. Entretanto, o fato de acatar a derrota político-eleitoral, não signfica em hipótese nenhuma abrir mão de principios, idéias e projetos, Os eleitores(as) quando votam, elegem a quem querer ver ocupar o poder, mas também elegem a oposição. A eleição no regime democrático pressupõe situação e oposição. Sim, nós eleitores de HADDAD somos e estamos na oposição. É BOM J A I Rem SE ACOSTUMANDO. Haverá oposição de centro-direita, sim, como esta iniciativa que parece iniciar-se com o apresentador Luciano Huck, que quer ser acompanhada pelo ex-governador Paulo Hartung. Haverá oposição democrático-popular pela centro-esquerda, com os partidos democráticos, como o PSB que já se declarou por suas instâncias nacionais que "...é oposição ao Presidente Bolsonaro". O PT não precisa declarar-se de oposição, porque o POVO BRASILEIRO, pelos 47 milhões de votos concedidos ao professor HADDAD, já o escolheu como oposição. E amigo, você precisa informar-se melhor sobre o significado da palavra "alienado" - significa alienar-se ser indiferente aos acontecimentos da vida e do mundo ao redor da pessoa. Significa desconhecer a realidade e suas contradições. ENTÃO AMIGO," alienados" é que não somos e nunca seremos. Dar aos votos recebidos pelo PROFESSOR HADDAD a classificação de VOTOS DE ALIENADOS e DE IGNORANTES DO BOLSA FAMÍLIA, é somente mais uma prova do vosso autoritarismo, desprezo e intolerância, tão próprios dos "fascistas". Em vários países do mundo verifica-se a ascensão de movimentos "extremistas de direita", seja de caráter fascistas ou neo-nazistas. Portanto, no Brasil eclodiu a "extrema direita", porque a "direita" civilizada e que aceita o jogo democrático, nestas eleições foram pro "ralo", basta ver como foi o resultado eleitoral obtido pelo PSDB, PMDB, PODEMOS, etc., e os seus representantes no pleito presidencial viraram "poeira", como foi o caso do ALCKMIN, do MEIRELES, DO ALVARO DIAS e outros(as)!. Portanto amigo Wagner Batista, a "extrema direita" representada pelo Presidente Eleito, ganhou a eleição, mas não terá todo o poder que julga ter. Na democracia existem outros Poderes, como o Poder Legislativo e o Poder Judiciário e no parlamento, nós do PT, temos a maior bancada federal (57 deputados), temos 06(seis) senadores(as), elegemos 04(quatro) governadores, sendo o Partido individualmente com o maior número de governadores eleitos, sem citar os parlamentares eleitos e demais governadores que estão no campo da esquerda, democrática e popular. PORTANTO É BOM J A I R se acostumando. Haverá oposição, críticas, correções, defesa dos direitos sociais e humanos, liberdade de expressão e de opinião, liberdade de imprensa. Esperamos que haja respeito às diferenças e aos diferentes. "...Nem todo aquele que ganha merece a vitória, nem todo aquele que perde, deixou de vencer. No pódio de quem hoje celebra a vitória, já podem ter sombras. No caminho daquele que perde, já se pode ver a LUZ" (pe.fábio de melo na música Ganhar e Perder-DVD",,,Deus no escondido do Verso")

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Matérias Relacionadas

'O Governo Hartung foi a pior gestão ambiental dos últimos tempos'

Eraylton Moreschi, presidente da combativa Juntos-SOS, critica o legado de Hartung contra o meio ambiente

No Dia da Consciência Negra, Hartung anuncia a construção de mais um presídio 

'O governo nunca negou que sua política voltada à juventude negra é cadeia ou caixão', diz Lula Rocha

Insaciável

A regra de Hartung é distribuir dinheiro, melhor ainda, se for para ''os de casa''

'O Governo Hartung foi a pior gestão ambiental dos últimos tempos'

Eraylton Moreschi, presidente da combativa Juntos-SOS, critica o legado de Hartung contra o meio ambiente