Hospital Geral de Linhares será estadualizado no próximo ano 

Anúncio do secretário Nésio Fernandes inclui gestão da unidade por fundação estatal 

O Hospital Geral de Linhares (HGL) será estadualizado no próximo ano. O anúncio foi reforçado pelo secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, em visita ao município nesta semana. O processo, que teve início no ano passado, ainda na gestão do ex-governador Paulo Hartung, prevê a elaboração de um plano de transição da gestão hospitalar, que hoje é de responsabilidade do município, passando, assim, a administração da unidade para o Estado.

De acordo com Nésio Fernandes, “estamos construindo um elemento técnico muito firme, muito preciso, do qual deverá ser o perfil dessa unidade hospitalar, de como irá se conectar aos demais hospitais da região e de como vai se relacionar com a atenção básica e a rede pré-hospitalar de urgência e emergência”, explicou.

O secretário afirmou ainda que, depois de estadualizado, o HGL será administrado pela Fundação Inova Capixaba, estatal criada para gestão dos hospitais estaduais. “Ao longo do próximo ano, levaremos essa estrutura da Fundação. Haverá um concurso público para contratação de funcionários públicos celetistas, que poderão assumir o hospital e construir toda a equipe de médicos, enfermeiros e trabalhadores”, destacou.

Ainda de acordo com ele, o Hospital Geral de Linhares precisa passar por reformas para que, estadualizado, ofereça um atendimento mais humanizado para os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). A previsão é que a reforma seja iniciada no primeiro trimestre de 2020.

“A infraestrutura dessa unidade hospitalar está bem deteriorada. Necessita de um conjunto de reformas e mudanças estruturais, pois entendemos que a hotelaria hospitalar precisa ser acolhedora, humanizada. Não temos mais que trabalhar com a ideia de que hospital público tem que viver cheio e com um equipamento precarizado”, disse o secretário.

E completa: “Haverá uma agenda de mudanças de infraestrutura e de transferência da administração do hospital para o Estado. Ela deve iniciar o primeiro trimestre do próximo ano com algumas obras, e ao longo do ano, com a construção da Fundação e o concurso público, faria então a transição do hospital para a gestão da fundação”.

Constantemente, o HGL é alvo de protestos pelos moradores contra a falta de médicos. A Prefeitura de Linhares alega não ter recursos para manutenção do hospital. O início de processo de estadualização do HGL ocorreu em setembro de 2018. À época, a medida era anunciada com o objetivo de regionalizar o atendimento à saúde, desafogando os serviços da Região Metropolitana e reduzindo o deslocamento de pacientes para a Grande Vitória.

Linhares é um dos principais polos de saúde da região norte do Espírito Santo. De acordo com o último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a cidade tinha uma população de 141,3 mil pessoas em 2010. Este ano, a estimativa de população na cidade pelo Instituto é de 173,5 mil habitantes.

A cidade é referência ainda para a maioria dos 32 municípios que compõem as regiões Central e Norte de Saúde nas áreas de urgência e emergência, atenção materno-infantil de risco habitual, cirurgia cardiovascular e trauma/ortopedia, terapia renal substitutiva, oncologia e consultas especializadas.

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Secretário prevê para julho estadualização do Hospital Geral de Linhares

Nésio Fernandes se reuniu com o prefeito Guerino Zanon e funcionários da unidade para falar da transição

Município capixaba de Aracruz terá centro de hemodiálise municipal

Serão atendidos, em três turnos, 45 pacientes renais crônicos por dia, 1.014 sessões por mês

Laboratório Central do Estado é referência nacional em tuberculose

Lacen-ES também é a única unidade laboratorial pública do País com 26 ensaios acreditados pelo INMETRO 

Retrospectiva: gestão do secretário Nésio Fernandes breca terceirizações

Também teve destaque na Saúde luta de agentes por piso salarial e descasos em Cariacica