Irregularidades eleitorais são mais graves do que se imagina, diz deputado

Enivaldo dos Anjos fez denúncia de crime eleitoral ao Ministério Público Federal

“As coisas são mais graves do que se imagina”, afirmou o deputado estadual Enivaldo dos Anjos (PSD), referindo-se à divulgação de um vídeo pelo ex-vereador de Guarapari, José Raimundo Dantas, em tom de ameaça, relacionado à denúncia que ele fez ao Ministério Público Federal (MPF) sobre irregularidades nas eleições deste ano. 

Segundo Enivaldo, o vereador da Serra, Nacib Haddad (PDT), denunciado por crime eleitoral, reagiu usando o ex-vereador, acusado de cometer irregularidades em licitações por meio de uma construtora, no período em que presidiu a Câmara de Guarapari.

Dantas, que chegou a ser afastado do cargo nessa época, divulgou o vídeo nas redes sociais, fazendo ilações contra o deputado Enivaldo dos Anjos e incentivando Nacib Haddad a “seguir em frente”. 

O vereador da Serra foi denunciado à Justiça Eleitoral pelo deputado Enivaldo dos Anjos, que juntou fotos e vídeos de reunião promovida no último final de semana por ele em Barra de São Francisco (noroeste do Estado), quando teria obrigado o comparecimento de todos os funcionários da empresa Braslimp, de sua propriedade, para fazer campanha por um candidato a deputado estadual.

A Braslimp é contratada da Secretaria de Estado de Educação (Sedu) para prestar serviços na rede de Escolas Vivas. O deputado Enivaldo oficiou a pasta pedindo que o contrato seja rescindido, ao mesmo tempo em que denunciou Haddad por compra de votos.

A compra de votos no Estado envolve candidaturas de deputados estadual e federal e, de acordo com informações que circulam no mercado político, é praticada nos municípios de Linhares, Vila Valério, Sooretama, Rio Bananal, Sooretama, Colatina, Serra, Governador Lindemberg, Mantenópolis, Alto Rio Novo, Marilândia, Baixo Gandu, Guarapari, Marataízes, Atílio Vivacqua, Presidente Kennedy, Cachoeiro, Piúma, Itapemirim, Anchieta e Alfredo Chaves.

Na sessão da Assembleia Legislativa dessa terça-feira (18), o deputado Sergio Majeski (PSB) alertou as autoridades, afirmando que a compra de votos “corre solta” no Estado. 

Considerado crime eleitoral que pode resultar na cassação do registro da candidatura e do diploma eletivo, essa prática é complexa e de difícil comprovação. 

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
2 Comentários
  • André Nogueira , quinta, 20 de setembro de 2018

    Enivaldo deve dar ligo nome aos bois, pq toda a Serra tem conhecimento que o vereador Nacib está trabalhando para o ex conselheiro do tribunal de contas do ES, bem como o ex vereador Dantas é pau mandado do Gratz, que está coordenando a campanha do ex conselheiro.

  • André Nogueira , sexta, 21 de setembro de 2018

    Pelo nome José, sem sobrenome, para mim já é um covarde. Mas, não tô questionando as pessoas tomarem lado, e sim que o deputado Enivaldo diga logo quem é. Agora, acho louvável o Madureira voltar a política, inclusive o considero eleito. Mas, q não use as pessoas p falar por ele, como o Dantas. Respondo a processo, inclusive para beneficiar está galera toda aí. Qto só candidato q apoio faltou falar do Zezito.

Matérias Relacionadas

Contarato pede suspensão de decisão de Toffoli que beneficia Flávio Bolsonaro

Contarato acha que decisão de Dias Toffoli pode gerar mais impunidade para crime de lavagem de dinheiro

Dallagnol aproveitou fama da Lava Jato para faturar também no Espírito Santo

O plano de palestras montado com a operação trouxe Deltan Dellagnol ao Estado entre 2016 e 2018

CPI vai intimar a Vale para esclarecer denúncia sobre fraude fiscal 

O presidente da CPI, deputado Enivaldo dos Anjos, já adotou medidas para notificar a empresa

Ministério Público desmonta esquema de corrupção em prefeituras

A operação envolve empresários e servidores públicos em fraude de licitações para a coleta de lixo