Justiça determina publicação imediata de edital das eleições do MDB de Vitória

Decisão foi lida em plenário pelo deputado José Esmeraldo, que moveu processo contra grupo de Lelo Coimbra

O novo edital de convocação para as eleições do MDB de Vitória deve ser publicado imediatamente, sob pena de multa diária de R$ 1 mil em caso de descumprimento. A determinação é do juiz Manoel Cruz Doval, em decisão lida na sessão desta terça-feira (21) da Assembleia Legislativa pelo deputado José Esmeraldo, cabeça de uma das chapas da disputa.

A obrigação de providenciar o ato caberá à vice-presidente do diretório, a ex-deputada estadual Luzia Toledo, “ou quem tiver competência estatuária”, e ao presidente estadual do partido no Estado, o secretário especial do Ministério da Cidadania e ex-deputado federal, Lelo Coimbra. 

O atual presidente do diretório de Vitória, Franscisco Carlos Donato Júnior, permanece, como reiterado pelo juiz, impedido de deliberar sobre questões relativas à disputa, também sob pena de multa diária de R$ 1 mil em caso de descumprimento. Ele é membro da chapa concorrente, batizada de “Vitória 2020”, que tem Luzia Toledo como presidente, e, portanto, considerado parcial pelo juiz, já que tem interesses próprios no pleito. 

A decisão judicial acata, assim, mais um pedido da ação movida por José Esmeraldo contra o grupo da situação, de Lelo Coimbra. O deputado conseguiu suspender as eleições marcadas para o último dia 4 de maio, alegando descumprimento do estatuto do MDB, como o prazo de publicação do edital com antecedência de oito dias, e tentativas do grupo da situação de impedi-lo de se candidatar. 

O diretório do MDB em Vitória contestou o primeiro entendimento da Justiça, com embargos de declaração, mas esses não foram acatados pelo juiz Manoel Doval, como mostra a decisão publicada nessa segunda-feira (20). Por outro lado, o magistrado reforçou o pleito de Esmeraldo que acusa os adversários de descumprimento da decisão judicial do dia 2 de maio, da 9ª Vara Cível de Vitória. Na ocasião, além da suspensão das eleições, foi determinada a publicação do novo edital, o que não aconteceu.

O embate nas eleições do diretório ficou mais acirrado desde o último dia 29, com a impugnação do registro da chapa "MDB Renovação Para Valer”, liderada por Esmeraldo. A Comissão Executiva denunciou fraude na apresentação de documento e falsidade ideológica na inscrição de um dos 60 candidatos do grupo. O caso foi parar na Polícia Civil e na Justiça. 

Depois de conseguir a suspensão da eleição e o deferimento de sua chapa, Esmeraldo requereu à Assembleia Legislativa que solicite instauração de inquérito por denunciação caluniosa em desfavor dos membros da Comissão Executiva do MDB de Vitória. O parlamentar responsabilizou Chico Donato de tentar “manchar a honra de um deputado ficha limpa e que não se curva diante de interesses escusos”.

Ele denunciou, ainda, o que chamou de trama do atual presidente municipal do partido, que “convocou reunião clandestina para covardemente inventar mentiras e, num jogo combinado, indeferir o registro de nossa chapa”.

No pronunciamento desta terça-feira, Esmeraldo voltou a tratar a postura de Chico Donato como “lamentável”, reforçou a nova decisão da Justiça, e provocou os adversários: “Não sei do que estão com medo”. 

Prévia 

As eleições para o diretório de Vitória já sinalizam o clima da disputa da executiva estadual, marcada para o final de junho, quando Lelo enfrentará o ex-deputado federal Marcelino Fraga, aliado de José Esmeraldo. Os dois candidatos estão em campo para conquistar diretórios municipais e, assim, garantir seus votos. 

A disputa promete ser acirrada e com articulação dos históricos, que criticam os rumos do partido há anos sob o comando de Lelo, alinhado nesse tempo todo aos interesses do ex-governador Paulo Hartung. Após sucessivos desgastes, as últimas eleições de 2018 foram consideradas o estopim, tornando a permanência de Lelo no cargo insustentável, como defende o grupo de Marcelino.

Além do recuo de Hartung de sua candidatura à reeleição, já em cima das acomodações partidárias, o MDB perdeu a senadora Rose de Freitas, que migrou para o Podemos para fugir do cerco do governador; não garantiu a reeleição de Lelo; e terminou a atual legislatura com menos quatro deputados estaduais. A bancada, que era a maior da Casa, saiu de sete cadeiras para apenas três, perdendo inclusive o presidente Erick Musso (PRB). Nas urnas, mais derrota: reelegeu apenas José Esmeraldo e Dr. Hércules. 

O desgaste no MDB foi exposto na Assembleia Legislativa logo após o pleito de outubro passado. Na ocasião, José Esmeraldo fez um duro pronunciamento em que denunciou tentativas de tentarem o derrubar junto com Dr. Hércules. Tem muito espinho engasgado na garganta”, apontou, referindo-se a correligionários.

Depois de deixar o partido em apuros, sem acomodação, Hartung anunciou sua desfiliação, em novembro do ano passado, antes mesmo de encerrar seu terceiro mandato à frente do Palácio Anchieta.

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Com superbanda, Viradão Vitória vai 'reviver' sucessos do Dia D

Além do momento nostálgico, estão confirmados shows com BaianaSystem, Liniker, Duda Beat e Dead Fish

Ato pedirá justiça no caso de irmãos executados em assentamento

Luiz Carlos e Antônio Raiz foram executados em Pedro Canário por policiais, que alegaram legítima defesa

Virou alvo

Em campo para a disputa em Vitória, Gandini ''atravessa'' José Esmeraldo, que reage: malandro não tem vez

Baiana System será atração do Viradão Vitória

Na coluna CulturArte: novo espaço cultural em Vila Velha, grafiteiros no México, lua em exposição