Longo caminho

Bem situado no governo federal e com acenos para Casagrande, Lelo ainda patina na disputa do MDB no Estado

Bem situado no governo federal em cargo considerado o “número dois” do Ministério da Cidadania e com recentes acenos para o governador Renato Casagrande, o ex-deputado federal Lelo Coimbra ainda patina para se capitalizar na disputa à presidência do MDB no Estado, posto que ocupa há anos. Nos bastidores do partido, os comentários são de que o tabuleiro permanece o mesmo do final do ano passado, quando tiveram inícios as articulações. Quer dizer: o clima ainda é favorável ao ex-deputado federal Marcelino Fraga, emedebista histórico. De lá pra cá, é verdade, muita água rolou por debaixo da ponte, Lelo conseguiu acomodação no governo Bolsonaro depois da derrota à reeleição na Câmara e já garantiu entregas para o governo do Estado, mas não conseguiu se livrar da marca do desgaste sofrido pelo MDB nos últimos tempos, que chegou ao cúmulo nas eleições passadas, quando o partido ficou à míngua de vez. A situação é atribuída à atuação de Lelo de eterna submissão ao ex-governador Paulo Hartung, que no pleito passado teve prejuízos ainda mais devastadores, com a desistência dele de concorrer ao Palácio Anchieta na última hora, deixando os aliados órfãos e “lascados”. O resultado inexpressivo fez ressurgir lideranças históricas do MDB do interior do Estado que estavam alijadas do partido devido ao projeto de poder de Hartung e que agora se alinham a Marcelino, que, por sua vez, tem ligações com o governador Renato Casagrande. Nas “internas”, o papo é esse: a era Hartung/Lelo acabou também no MDB. Ainda há tempo?

Longo caminho II
Lelo ainda tem, a seu favor, o tempo. Enquanto alguns diretórios estaduais do partido já realizaram suas convenções pelo País, a disputa do Estado está marcada apenas para 31 de junho. Uma brecha para tentar reverter o jogo, embora essa possibilidade não seja considerada tão simples. 

Nunca é demais lembrar
Além do recuo e posterior desfiliação de Hartung, o MDB perdeu a senadora Rose de Freitas, que migrou para o Podemos para fugir do cerco do ex-governador; não garantiu a reeleição de Lelo; e terminou a atual legislatura com menos quatro deputados estaduais. A bancada, que era a maior da Assembleia, saiu de sete cadeiras para apenas três, perdendo inclusive o presidente Erick Musso (PRB), na janela partidária. Nas urnas, mais derrota: reelegeu apenas José Esmeraldo e Dr. Hércules. 

Não bate
Por essas e muitas outras, há quem diga que o MDB não é o melhor pouso para a deputada federal Lauriete, que teria recebido o convite de Dr. Hércules, como divulgado em A Tribuna nessa segunda-feira (8). Uma coisa é a relação dela com o deputado, com quem ela tem identidade, outra é com o MDB...

Peso político
Eleita pelo PR, comandado pelo ex-marido e ex-senador Magno, a informação do mercado político era de que Lauriete teria recebido aval da Nacional para liderar a disputa de 2020, sinalizando logo de cara apoio a Dr. Hércules à prefeitura de Vila Velha. As recentes movimentações da deputada, no entanto, indicam que algo mudou. Com uma cadeira de deputada federal e cantora gospel conhecida, convites partidários não faltam para Lauriete. O PR, assim como o MDB, está à míngua.

‘Futuro’
Por falar em Hartung, ele vai acompanhar o presidenciável do Novo nas eleições de 2018, João Amoêdo, em evento na Universidade de Vila Velha nesta quinta-feira (11), às 11 horas. “O Futuro do Brasil” é o tema do debate, que contará também com a presença do senador Fabiano Contarato (Rede). Hartung, como se sabe, tem se movimentado no campo nacional com empresários de grupos que vendem a marca da “renovação política”. 

‘Futuro’ II
À noite, Amoêdo participará de jantar de confraternização com apoiadores e simpatizantes do Partido Novo, na Prainha. O nome mais conhecido – ou único conhecido - da legenda no Estado é o empresário Aridelmo Teixeira, que disputou o governo do Estado ano passado pelo PTB. Ele pulou para o Novo no final do mesmo ano e tem circulado os municípios capixabas para formar diretórios e atrair filiados.

Marketing próprio
O deputado estadual José Esmeraldo (MDB) estava naqueles dias na sessão desta terça-feira (9) da Assembleia. Depois de atirar na mira do novato, delegado Lorenzo Pazolini (sem partido), a quem chamou de “teatrólogo do plenário”, soltou mais essa: “Sou bom orador, peitudo. Não sou melhor do que ninguém, mais faço a diferença”. 

Porta-retrato
O prefeito de Viana, Gilson Daniel (Pode), que agora comanda a Associação dos Municípios do Estado (Amunes), exibe orgulhoso em suas redes sociais foto ao lado do presidente Jair Bolsonaro, no evento de abertura da Marcha dos Prefeitos, em Brasília, nessa segunda-feira (8).

Em aberto
O deputado federal Amaro Neto envia resposta à coluna de seu posicionamento sobre a reforma da Previdência, depois da Nacional do PRB ter liberado voto de seus parlamentares. Ele considera a reforma “urgente e necessária para resgatar a economia do país, mas deve levar em consideração situações peculiares, como a dos militares e da segurança pública”. Amaro diz que tem ouvido a sociedade e organizações para formar opinião e levá-la ao debate interno do partido. A conferir!

PENSAMENTO:
“Toma conselhos com o vinho, mas toma decisões com a água”. Benjamin Franklin

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Virou alvo

Em campo para a disputa em Vitória, Gandini ''atravessa'' José Esmeraldo, que reage: malandro não tem vez

‘O grande encontro’

Casagrande, Audifax e Vidigal reunidos na Serra: diretas, indiretas e disputa por paternidade de obras

Governo publica edital para primeira etapa do projeto do aquaviário

Promessa de campanha de Casagrande, sistema de transporte tem previsão de operar em 2020

#vetagovernador

Posição antecipada por Casagrande sobre projeto do MPES está na contramão do pleito dos servidores