Luciano Rezende veta emenda que incluía 'cultura religiosa' na Lei Rubem Braga

Coluna CulturArte: show do Los Hermanos descumpre lei, samba autoral no Bar da Zilda, rumos do audiovisual

Emenda vetada

Questionada por grande parte dos artista e produtores culturais de Vitória, a emenda capitaneada pelo vereador Davi Esmael (PSB) para incluir “cultura religiosa” como uma das categorias contempladas pela Lei Rubem Braga de fomento à cultura foi vetada pelo prefeito Luciano Rezende (PPS). Os favoráveis ao veto afirmam que a lei já contempla projetos de cunho religioso, cada um em seu segmento artístico (música, teatro, literatura, etc). Mas o vereador alegava que os jurados preteriam obras religiosas, embora a Secretaria Municipal de Cultura tenha indicado que ao menos 20 projetos foram aprovados entre 2005 e 2014. Agora o projeto segue para apreciação da Câmara Municipal que pode manter ou derrubar o veto do prefeito.

Los Hermanos em Vitória: ¿Dónde está la banda local? 

Foi com casa cheia e um público apaixonado que a banda carioca Los Hermanos fez seu show em Vitória numa turnê de retorno após o fim do grupo. Porém, o evento que aconteceu na área verde do Clube Álvares Cabral não teve show de abertura com músicos locais, conforme previsto pela lei municipal 7905/2010 para eventos públicos ou privados estrelado por artistas de fora do Espírito Santo. O incumprimento é passível de multa e a fiscalização é delegada à Ordem dos Músicos do Brasil, Conselho do Espírito Santo.

Samba autoral no Bar da Zilda

Novidade das boas no samba capixaba, o Movimento Samba Novo (MSN) reúne compositores do Espírito Santo que apresentam sambas inéditos a cada edição. Iniciado há mais de um ano fazendo apresentações no Mercado de São Sebastião, o MSN agora lança seu terceiro caderno de composições em novo lugar: o Bar da Zilda, reduto do samba no Centro de Vitória. O lançamento vai acontecer na quarta-feira, 15 de maio, às 20h, com entrada franca. Outras apresentações do terceiro caderno serão feitas, cada duas semanas no mesmo dia da semana, horário e local. É o “nosso laiá laiá”.

Bye bye, Vitória!

O grupo de jovens artistas do Coletivo Luzes se prepara para ir embora de Vitória após uma estadia de quatro meses. Tocando música brasileira, eles saíram da capital Brasília no final do ano passado, cruzaram Minas Gerais e chegaram ao Espírito Santo. A viagem que tem como destino final o Maranhão, subindo pelo litoral, acabou demorando mais do que o esperado por conta dos problemas na Kombi que os leva, apelidada de Odara. Para conseguir dinheiro para o conserto tocaram nas feiras, bares, centros culturais e interagiram com a cena dos artistas locais. Marcando o encerramento da jornada, o grupo promove no dia 11 de maio o Sarau Experimental na Casa da Gruta, Centro de Vitória, com presença de vários artistas com que interagiram por aqui. Depois, seguem viagem com Odara, contando com reforços capixabas que conheceram aqui e decidiram se juntar à jornada cultural pelo Brasil: o trompetista Rodrigo Souza e a cantora e percussionista Natália Laureti.

Edy Star em Vitória

Único integrante vivo do grupo que compôs o histórico disco Sociedade da Grã-Ordem Kavernista Apresenta Sessão das 10, de 1971, Edy Star se apresenta em Vitória junto com o projeto capixaba que leva o nome do disco e revive as músicas e o espírito do trabalho que reuniu além de Edy, Raul Seixas, Sérgio Sampaio e Miriam Batucada. A apresentação conjunta será 14 de maio, às 20h, no Teatro Universitário, na Ufes. Performático, Edy foi é conhecido como primeiro artista a se assumir gay no Brasil. O espetáculo da Grã-Ordem montado no Espírito Santo pelo Coletivo Taruíra fez sucesso na apresentação em abril durante o Festival Sérgio Sampaio, contando com os músicos Juliano Rabujah, Yuri Guijansque, Júlia Papel e Edivan Freitas, este fazendo o papel de Edy Star no espetáculo.

Aprendendo com o mestre

Seu Juvenal é um desses mestres e guardiões da cultura que o interior do Espírito Santo possui. Agricultor aposentado, tendo vivo grande parte da vida na roça, ele é escritor e escultor em madeira, tendo sido reconhecido como mestre de cultura popular pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult) este ano e pelo Ministério da Cultura, quando este ainda existia, no ano passado. Aos 93 anos, sua casa em Muqui está virando uma espécie de museu com visita aberta contendo suas obras literárias e esculturas e também registros em textos, fotografias e ilustrações de outros artistas sobre o mestre. No dia 9 de maio, às 15h, acontece na casa uma oficina de Arte e Poesia Visual. No mesmo dia, na Escola Marcondes de Souza, haverá um Seminário de Arte Popular e Educação, ambos ministrados por Mestre Juvenal e Wilson Ferreira.

Barrados na biblioteca?

Como noticiamos, artistas e produtores culturais da Serra marcaram para o dia 22, às 18h30, uma reunião para discutir pontos importantes de suas reivindicações: a volta da Lei Chico Prego, ativação do Conselho de Cultura da Serra e a criação de um teatro público no município. O local do encontro seria o auditório da Biblioteca e Centro Cultural Carlos Correa Loyola, no bairro Valparaíso. Mas a prefeitura pediu um ofício para a reserva, já que a biblioteca não funciona em horário noturno. Foi enviado e reenviado e ainda nenhuma resposta. O grupo pretende acionar o Ministério Público para reivindicar o uso do espaço que é público. Em último caso, dizem que farão a reunião na praça onde está a biblioteca. Tentamos contato com a secretaria municipal mas não tivemos retorno até o fechamento desta edição.

Peça de teatro infantil busca financiamento

Rumo ao 16º aniversário, o Grupo Vira Lata de Teatro está preparando sua primeira obra infantil, Nuvem D`água, que deve estrear em setembro associando teatro, música, dança e poesia. Mas para viabilizar a empreitada cultural, o grupo lançou uma campanha de financiamento coletivo. A meta é arrecadar R$ 11.494, a maior parte destinada a cobrir custos com figurino, cenário e adereços. Quem doar a partir de R$ 20 ganha como recompensa desde agradecimento e pôsteres do grupo até participação em oficinas e workshops oferecidos pelo grupo ao longo do ano.

Rumos do audiovisual...

Nesta segunda-feira, um evento importante acontece para o audiovisual capixaba. As principais entidades do setor foram convidadas junto a profissionais para o encontro Imersões da Cultura: Rumos do Audiovisual Capixaba, que acontece de 9h às 17h30 no Sebrae.Lab, na Enseada do Suá. Serão apresentadas pesquisas feitas pelo governo do estado e dados que mostram a importância do audiovisual para a economia capixaba, além de propostas de reflexão sobre políticas públicas. Na última reunião do Conselho Estadual de Cultura, o presidente do Sistema RTV-ES, Igor Pontini, foi convidado para falar sobre o projeto para aumentar a produção de conteúdo próprio e divulgação de produções independentes e da iniciativa privada no canal TVE-ES. 

Hasta luego

Esse colunista vai ter um breve descanso nas próximas semanas. Em breve voltamos com a coluna CulturArte.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Página resgata memória do Espírito Santo por meio de fotografias

Sucesso no Instagram, a @historia.capixaba já tem mais de 800 fotos históricas e 30 mil seguidores 

Shooping Praia da Costa terá teatro para 650 pessoas

Na Coluna CulturArte também tem: concurso literário, homenagem a Seu Manoelzinho, André Prando 'voando'

Escritores capixabas são destaque na websérie 'Com a Palavra'

Veja quem são os cinco participantes da série que busca aproximar leitores e escritores de diversos perfis

Racismo institucional freia política de saúde para população negra na Serra

Rosemberg Caitano, do Conegro, acusa Secretaria de Saúde de ignorar diretrizes nacionais