Marcha da Saúde 2019 fará homenagem a militante que lutou contra terceirizações 

Valdecir Gomes Nascimento também recebeu homenagens póstumas nessa quinta-feira  

Nessa quinta-feira (31), familiares, amigos e companheiros de luta de Valdecir Gomes Nascimento ocuparam o auditório do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde no Estado (Sindsaúde-ES) para uma homenagem póstuma ao sindicalista. Falecido no último dia 23, Valdecir dedicou grande parte dos seus 56 anos ao movimento sindical em favor da saúde pública do Espírito Santo. 

Na ocasião, foi anunciado que a Marcha da Saúde 2019, manifestação realizada anualmente em abril, quando se comemora o Dia Mundial da Saúde, será batizada com o nome do líder sindical, referência na luta pela manutenção do Sistema Único de Saúde (SUS) e ferrenho opositor do processo de terceirização dos hospitais estaduais.

Valdecir Gomes Nascimento foi, por anos, servidor do único hospital público de Vila Velha, Antônio Bezerra de Faria, que, em vias de ser terceirizado no final da gestão Paulo Hartung em 2018, teve seu processo paralisado, assim como o Silvio Avidos, em Colatina (noroeste do Estado). A decisão do ex-secretário de Saúde Ricardo de Oliveira se deu, em grande parte, em função de uma série de protestos que sempre teve Valdecir a frente. 

“Valdecir está fazendo uma falta enorme. O Sindsaúde-ES é a cara do Valdecir e a cara dele é o sindicato. Nossa sala de reuniões passa a se chamar Valdecir Gomes Nascimento. Sua memória e seu legado não serão esquecidos. Valdecir era nosso irmão e seu dia a dia era dividido entre seu local de trabalho, o Hospital Estadual Antonio Bezerra de Faria, e sua atuação como secretário de Comunicação do Sindisaúde-ES. Foram anos de muita dedicação e empenho, sempre muito aguerrido. Todos nós aprendemos muito com ele e o movimento sindical capixaba perde uma de suas principais referências”, disse emocionada a presidente da entidade, Geiza Pinheiro, amiga de longa data de Valdecir.

Durante a homenagem, representantes de entidades e de centrais sindicais, de movimentos sociais, colegas de trabalho e familiares foram convidados a contar sobre como era conviver com Valdecir. O sentimento de gratidão foi o ponto em comum de todas as falas. O bom humor, o companheirismo, a sabedoria, a vontade incansável por transformar e dar mais dignidade aos servidores da saúde e também o lado impulsivo e provocador de Valdecir estão entre as características apontadas durante os discursos.

A tarde de homenagens contou ainda com música, conduzida pelo diretor do Sindsaúde-ES José Reinaldo, e a apresentação de um vídeo com fotos e trechos de arquivo que mostraram momentos marcantes da trajetória de lutas de Valdecir. Ao final, dirigentes do sindicato fizeram o descerramento de uma placa que deu à sala de reuniões do Sindsaúde o nome de Valdecir Gomes Nascimento. 

Também foi inaugurado um quadro que conta um pouco da história do líder sindical: “Natural de Governador Valadares (MG), Valdecir Gomes Nascimento (2/9/1962 – 23/1/2019) dedicou grande parte de sua vida ao movimento sindical em favor da saúde pública capixaba, à frente da Secretaria de Comunicação do Sindsaúde-ES e também como servidor público do Hospital Estadual Antonio Bezerra de Faria, em Vila Velha”.

E prossegue: “Aguerrido, companheiro, amigo... Valdecir não media esforços na hora de lutar pela melhoria das condições de trabalho dos servidores e servidoras dos hospitais públicos do Espírito Santo. E contribuiu de forma generosa, com todas as suas forças, para evitar a terceirização/privatização dos serviços de saúde pública em terras capixabas. Sua lembrança estará sempre entre nós! Valdecir, presente!”.

Fonte de Século Diário
 
Em 2018, Valdecir teve protagonismo em diversas denúncias publicadas por Século Diário, que teve o líder sindical como fonte que nunca teve medo de se expor. Numa delas, Valdecir Gomes levou a conhecimento público o aumento de mortes de prematuros internados na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal - Utin Neonatal - após a terceirização do Hospital Infantil de Vila Velha, o Himaba, em outubro de 2017. 

Procurado por mães e familiares do bebês mortos, Valdecir também teve acesso a um relatório da própria Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), indicando que no período de seis de outubro até 22 de dezembro de 2017, menos de três meses, quase 30 recém-nascidos morreram na Utin do Himaba

Já no dia 19 de dezembro do ano passado, foi veiculada entrevista gravada pela TV Século e realizada pelo jornalista Rogério Medeiros com Valdecir Gomes Nascimento. Em 16 minutos, Valdecir fez um balanço da três gestões de Paulo Hartung, especificamente na área da saúde, classificando como “uma receita macabra para o Espírito Santo”, incluindo o sucateamento dos hospitais estaduais como forma de justificar a terceirização das unidades. Valdecir relatou ainda a falta de diálogo do ex-governador com os servidores e de valorização da categoria. 

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Servidores do Bezerra de Faria pedem saída de atual diretora 

Em abaixo-assinado direcionado à Secretaria de Saúde, trabalhadores querem retorno de ex-gestora

Militância por saúde pública de qualidade perde seu principal expoente no Estado

Diretor do Sindsaúde, Valdecir Nascimento denunciou mortes de prematuros e terceirização dos hospitais

Servidores do Bezerra de Faria vão parar caso hospital não receba ajuda

Decisão foi votada em assembleia realizada na manhã desta quinta-feira (17)  

Ações tentam barrar terceirização de serviços municipais em Serra e Cariacica

Sindisaúde-ES luta na Justiça para impedir terceirização do PA do Trevo e UPA de Carapina