(Muito) Mais do mesmo

Tudo igual na presidência, tudo igual em comissões? Dr. Hércules é um dos cotados a esquentar a cadeira

As movimentações que definem o comando da Assembleia Legislativa para o próximo biênio já batem na mesma tecla do “mais do mesmo” ao reconduzir, como tudo indica, o atual presidente Erick Musso (PRB) à cadeira, na votação marcada para o próximo dia 1º de fevereiro. De um cenário inicial que o ameaçava, devido à renovação de metade do plenário e ainda a permanência de nomes experientes, Erick conseguiu aglutinar forças em torno de seu projeto, com o aval do governo Renato Casagrande (PSB), e terá um novo período pela frente para consolidar seu capital político. Na mesma pegada, ocorrem as articulações para as presidências das comissões permanentes da Casa, também conduzidas por Erick. O jornal A Tribuna mostrou, nesta quarta-feira (23), a tendência de Dr. Hércules (foto) permanecer à frente da Saúde e Rafael Favatto (Patri) da Comissão de Meio Ambiente, bem como os interesses de Janete de Sá (PMN) e Dary Pagung (PRP) de continuarem no comando dos colegiados de Agricultura e Finanças, respectivamente. Todos eles acumulam mais de um período na função, inclusive em legislaturas diferentes. A vitrine política é boa, todo mundo sabe, mas já passou da hora de passar o bastão!

Espaços vagos
Da lista de colegiados mais atuantes, pelos temas que representam, aparecem duas mudanças até agora: Segurança, que deve ficar com o delegado Danilo Bahiense (PSL), e Educação, que, finalmente, poderá ser conduzida por Sergio Majeski (PSB), o mais capacitado para tal, sem dúvida. Nos dois casos, os antigos ocupantes saíram derrotados do pleito. 

Inconstitucional
Por falar em Majeski e educação, ele responde aos questionamentos que diz ter recebido nos últimos dias por ter votado contra a aprovação do Orçamento 2019 do governo do seu correligionário, Renato Casagrande: “Pelo mesmo motivo que votei contra na época de PH: a não aplicação de no mínimo 25% na educação, o que é inconstitucional”.

Coerência
O deputado lembra que denunciou a questão em 2017 à Procuradoria Geral da República (PGR), em Brasília, o que se transformou numa Ação Direta de Inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal (STF), ainda no aguardo de julgamento pela ministra Rosa Weber. “Sou coerente, independente de quem seja o governo”, reforça.

Abandono
Casagrande realiza sua primeira agenda oficial no interior nesta quinta-feira (24), em Nova Venécia, onde irá visitar obras de pavimentação de rodovias e pontes, além das instalações da Rede Cuidar. A escolha não deve ter sido à toa. Administrado pelo prefeito Lubiana Barrigueira, também do PSB, o município tem registrado inúmeras denúncias e protestos, inclusive com ações judiciais, pela péssima qualidade dos serviços disponibilizados à população.

Abandono II
Cansados de esperar por providências, especialmente em relação á água do distrito de Cedrolândia, há muito tempo com sinais de contaminação, a sociedade civil protocolou novas denúncias na última semana na Promotoria local, na seccional capixaba da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-ES) e no Palácio Anchieta, direcionada ao próprio governador. A prefeitura e a Cesan estão carecas de saber do problema, mas nada fizeram até hoje.

Cadeira reservada
Candidato a vereador em 2016 pelo PP e ex-secretário de Assistência Social de Vitória, Marcos Marinho Delmaestro recebeu abrigo no governo. Foi nomeado para o cargo em comissão de assessor especial nível III, da Secretaria da Casa Civil, ocupada por Davi Diniz de Carvalho. O partido dele é comandado pelo secretário de Desenvolvimento, Marcus Vicente, aliado fiel do governador.

Não acatou
De volta à deputada Janete, o Ministério Público Estadual (MPES) arquivou procedimento administrativo aberto por solicitação dela como presidente da Comissão de Maus Tratos Contra os Animais da Assembleia. Janete pediu apuração de denúncia que acusava o diretor do Hospital Pedro Fontes (Cariacica), Anderson Barbosa de Oliveira, de proibir funcionários e pacientes de alimentarem os animais que vivem na região. 

Acatou
A promotoria considerou, para isso, laudo veterinário que “constatou a presença de três cães aparentemente saudáveis”, e os argumentos do diretor de que a área não é cercada, o que gera aglomeração de outros animais. “É compreensível a preocupação do diretor em evitar que os animais sejam alimentados nas dependências dos prédios, a fim de manter a assepsia e evitar acidentes eventualmente provocados por tais animais envolvendo pacientes, familiares ou funcionários”, concluiu. 

PENSAMENTO:
“Os loucos às vezes se curam, os imbecis nunca”. Oscar Wilde

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Sem sentido

Escolha para conselheiro do TCE registra duas surpresas e uma contradição, chamada Dr. Hércules

Sergio Majeski perde a presidência da Comissão de Educação

Não é a primeira vez que o deputado é preterido de ocupar espaços no legislativo

Ato público lançará candidatura à presidência da Câmara de Cariacica

Professor Elinho tem apoio de lideranças comunitárias e movimentos sociais, que já elaboraram um manifesto

Água de reserva para consumo da Grande Vitória alaga fazendas às margens do Jucu

Cesan também não iniciou obras para reservar 8,3 bilhões de litros em lagoas artificiais na Barra do Jucu