(Muito) Mais do mesmo

Tudo igual na presidência, tudo igual em comissões? Dr. Hércules é um dos cotados a esquentar a cadeira

As movimentações que definem o comando da Assembleia Legislativa para o próximo biênio já batem na mesma tecla do “mais do mesmo” ao reconduzir, como tudo indica, o atual presidente Erick Musso (PRB) à cadeira, na votação marcada para o próximo dia 1º de fevereiro. De um cenário inicial que o ameaçava, devido à renovação de metade do plenário e ainda a permanência de nomes experientes, Erick conseguiu aglutinar forças em torno de seu projeto, com o aval do governo Renato Casagrande (PSB), e terá um novo período pela frente para consolidar seu capital político. Na mesma pegada, ocorrem as articulações para as presidências das comissões permanentes da Casa, também conduzidas por Erick. O jornal A Tribuna mostrou, nesta quarta-feira (23), a tendência de Dr. Hércules (foto) permanecer à frente da Saúde e Rafael Favatto (Patri) da Comissão de Meio Ambiente, bem como os interesses de Janete de Sá (PMN) e Dary Pagung (PRP) de continuarem no comando dos colegiados de Agricultura e Finanças, respectivamente. Todos eles acumulam mais de um período na função, inclusive em legislaturas diferentes. A vitrine política é boa, todo mundo sabe, mas já passou da hora de passar o bastão!

Espaços vagos
Da lista de colegiados mais atuantes, pelos temas que representam, aparecem duas mudanças até agora: Segurança, que deve ficar com o delegado Danilo Bahiense (PSL), e Educação, que, finalmente, poderá ser conduzida por Sergio Majeski (PSB), o mais capacitado para tal, sem dúvida. Nos dois casos, os antigos ocupantes saíram derrotados do pleito. 

Inconstitucional
Por falar em Majeski e educação, ele responde aos questionamentos que diz ter recebido nos últimos dias por ter votado contra a aprovação do Orçamento 2019 do governo do seu correligionário, Renato Casagrande: “Pelo mesmo motivo que votei contra na época de PH: a não aplicação de no mínimo 25% na educação, o que é inconstitucional”.

Coerência
O deputado lembra que denunciou a questão em 2017 à Procuradoria Geral da República (PGR), em Brasília, o que se transformou numa Ação Direta de Inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal (STF), ainda no aguardo de julgamento pela ministra Rosa Weber. “Sou coerente, independente de quem seja o governo”, reforça.

Abandono
Casagrande realiza sua primeira agenda oficial no interior nesta quinta-feira (24), em Nova Venécia, onde irá visitar obras de pavimentação de rodovias e pontes, além das instalações da Rede Cuidar. A escolha não deve ter sido à toa. Administrado pelo prefeito Lubiana Barrigueira, também do PSB, o município tem registrado inúmeras denúncias e protestos, inclusive com ações judiciais, pela péssima qualidade dos serviços disponibilizados à população.

Abandono II
Cansados de esperar por providências, especialmente em relação á água do distrito de Cedrolândia, há muito tempo com sinais de contaminação, a sociedade civil protocolou novas denúncias na última semana na Promotoria local, na seccional capixaba da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-ES) e no Palácio Anchieta, direcionada ao próprio governador. A prefeitura e a Cesan estão carecas de saber do problema, mas nada fizeram até hoje.

Cadeira reservada
Candidato a vereador em 2016 pelo PP e ex-secretário de Assistência Social de Vitória, Marcos Marinho Delmaestro recebeu abrigo no governo. Foi nomeado para o cargo em comissão de assessor especial nível III, da Secretaria da Casa Civil, ocupada por Davi Diniz de Carvalho. O partido dele é comandado pelo secretário de Desenvolvimento, Marcus Vicente, aliado fiel do governador.

Não acatou
De volta à deputada Janete, o Ministério Público Estadual (MPES) arquivou procedimento administrativo aberto por solicitação dela como presidente da Comissão de Maus Tratos Contra os Animais da Assembleia. Janete pediu apuração de denúncia que acusava o diretor do Hospital Pedro Fontes (Cariacica), Anderson Barbosa de Oliveira, de proibir funcionários e pacientes de alimentarem os animais que vivem na região. 

Acatou
A promotoria considerou, para isso, laudo veterinário que “constatou a presença de três cães aparentemente saudáveis”, e os argumentos do diretor de que a área não é cercada, o que gera aglomeração de outros animais. “É compreensível a preocupação do diretor em evitar que os animais sejam alimentados nas dependências dos prédios, a fim de manter a assepsia e evitar acidentes eventualmente provocados por tais animais envolvendo pacientes, familiares ou funcionários”, concluiu. 

PENSAMENTO:
“Os loucos às vezes se curam, os imbecis nunca”. Oscar Wilde

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Sem sentido

Escolha para conselheiro do TCE registra duas surpresas e uma contradição, chamada Dr. Hércules

Sergio Majeski perde a presidência da Comissão de Educação

Não é a primeira vez que o deputado é preterido de ocupar espaços no legislativo

Declarações de Lelo esquentam os bastidores do MDB no Estado

Deputado apontou planos para reconstruir o partido, mas históricos o querem fora da presidência em 2019

Ato público lançará candidatura à presidência da Câmara de Cariacica

Professor Elinho tem apoio de lideranças comunitárias e movimentos sociais, que já elaboraram um manifesto