Município capixaba de Aracruz terá centro de hemodiálise municipal

Serão atendidos, em três turnos, 45 pacientes renais crônicos por dia, 1.014 sessões por mês

Aracruz se tornará a primeira cidade do País a contar com um centro de hemodiálise municipal. Anexo ao serviço, haverá também uma farmácia cidadã estadual com medicamentos de alto custo, muito deles utilizados pelos pacientes que fazem o tratamento de alta complexidade. A estimativa é de que serão atendidos, em três turnos, 45 pacientes/dia, com 1.014 sessões por mês.

De acordo com informações da Prefeitura do município, o centro, previsto para ser inaugurado nos próximos dias, contará com 15 cadeiras para as sessões de hemodiálise, além de uma sala de urgência e emergência, saídas separadas para pacientes e funcionários; banheiros, salas de repouso, esterilização e a sala de osmose, considerada o pulmão do centro de hemodiálise. 

Na próxima terça-feira (14), às 9 horas, o prefeito Jones Cavaglieri, na companhia da secretária de saúde do município, Clenir Avanza, receberá os prefeitos Pretinho Nunes (Fundão), Duda Zanotti (Ibiraçu), Otávio Abreu Xavier (João Neiva), além dos pacientes que serão assistidos pelo Centro de Hemodiálise, para uma visita de apresentação da estrutura do novo serviço. O novo centro funcionará na unidade de saúde de Guaxindiba, assistindo portadores de Doença Renal Crônica (DRC) e Doença Renal Aguda (DRA) 

No último dia 20 de dezembro, o prefeito Jones Cavaglieri havia assinado o contrato de gestão do Centro de Hemodiálise, que será uma parceria público-privada entre o Hospital São Camilo, a Associação Vidas e a Prefeitura de Aracruz. Segundo a Prefeitura, o contrato será executado e administrado pela Fundação Hospital Maternidade São Camilo, mas fiscalizado e acompanhado pela Secretaria de Saúde de Aracruz. Tais parcerias recebem crítica dos conselhos de saúde e da sociedade civil, muitas vezes, pela falta de transparência na prestação de contas. 

Segundo texto que firmou a parceria: “O contrato de gestão tem por objetivo a execução e gerenciamento das atividades e serviços de saúde no Centro de Hemodiálise, localizado na unidade de saúde de Guaxindiba, para assistir ao portador de Doença Renal Crônica (DRC) e Doença Renal Aguda (DRA), mediante assistência permanente, de forma ininterrupta de segunda a sábado, inclusive feriados, em regime de rotina, e domingos em casos de atendimento de quadro agudo, e também ter abrangência regional, em função das necessidades de saúde da população”.

Problemas com PA há um ano 

Há um ano, no dia 1º de janeiro de 2019, o Hospital e Maternidade São Camilo, que presta o serviço de urgência e emergência para os moradores de Aracruz, estava mantendo apenas os atendimentos de extrema urgência e gravidade. O motivo: a Prefeitura de Aracruz, até então, não havia renovado o contrato para repasse dos recursos públicos necessários para a prestação do serviço. 

Segundo nota divulgada pelo Hospital São Camilo à época foi registrada uma falha na parceria público-privada: “desde a zero hora do dia primeiro de janeiro, a Prefeitura de Aracruz encerrou o contrato de serviços médicos do Pronto-Socorro do SUS, que até então eram realizados no hospital. Graças ao esforço de milhares de voluntários que abraçaram o hospital, serão mantidos pelo menos os atendimentos de extrema urgência e gravidade”. 

Depois de quase dois dias de impasse, a Prefeitura renovou o contrato por mais dois anos. 

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
1 Comentários
Matérias Relacionadas

Jovens guarani recebem capacitação para produção audiovisual

Documentário fruto de oficina com cineasta indígena será apresentado no próximo sábado em Aracruz

Moradores de Aracruz se mobilizam contra aumento da passagem de ônibus

Há um ano movimento vem se articulando em prol do transporte público e teme nova subida na tarifa

Aldeia Temátika recebe visitas para conhecer cultura Guarani em Aracruz

Trilhas, passeios de barco, gastronomia, artesanato e danças típicas fazem parte das atividades do local

Uma xamã no exílio

Em Aracruz, Kuña Jekoaku foge de conflitos agrários e intolerância religiosa da fronteira com Paraguai