O Mercado da Vila Rubim em 84 fotografias

Livro ''Cidade de Palha'' registra diversos olhares sobre o mais famoso mercado do Espírito Santo

Um ponto de encontro de cores, imagens, sabores, pessoas. Um local de diversidade. Apesar do descaso do poder público, o Mercado da Vila Rubim segue com seus encantos em cada canto. Todos requisitos que fazem dele um lugar propício para praticar a fotografia. Por isso, a vila foi escolhida por estudantes de fotografia da Universidade de Vila Velha (UVV) para sua experiência prática do fotojornalismo e fotodocumentarismo. O resultado desse trabalho será divulgado por meio do livro Cidade de Palha, apresentado neste sábado (1), a partir das 11h na Travessa Galpão Dois, no próprio mercado. A obra traz 84 fotografias de 41 estudantes, além de uma curta apresentação do organizadores.


Foto: Elina Raquel

“A cidade de Vitória enquanto ilha teve uma expressão muito forte da Vila Rubim em sua história. O complexo comercial em torno do mercado, além de importante fonte histórica, é importante fonte de cultural e diversidade social local, que a gente entende que deve ser preservada, valorizada e homenageada, pois representa a identidade da cidade e do nosso Estado”, diz a fotógrafa e professora Elizabeth Nader, que coordenou duas turmas de estudantes na disciplina de Fotodocumentário.

A importância do local, ainda antes de receber o nome do bairro em homenagem ao antigo governador Francisco Rubim, foi como um ponto comercial que ligava a ilha ao continente, com a chegada de embarcações quando ainda não havia ponte nem aterro. Pelas construções características de palha que sustentavam o mercado local em seus primórdios veio o nome de Cidade de Palha, que é relembrado pela publicação.


Foto: Thays Vicosi

“O livro é entendido por um profissional da fotografia como uma plataforma de consagração de um trabalho, pois vai perpetuá-lo por muito mais tempo. Tem um patamar de máxima importância no âmbito fotográfico”, diz Elizabeth, destacando que a obra traz 94 páginas em papel couché, em tamanho de 21cmx21xm com capa colorida e máxima qualidade para valorizar as imagens.

"Os estudantes são formandos no curso superior, então já possuem uma bagagem de conhecimento de fotografia muito grande. Foram deixados à vontade no processo criativo. Como já possuem um amadurecimento técnico e conhecimento da linguagem, o objetivo foi valorizar bastante o olhar de cada aluno dentro da linguagem da fotografia documental, juntando arte com documentação”, afirma Elizabeth.

Assim aparecem os produtos como pescados e ervas medicinais, as pessoas e seu movimento pelo mercado, a diversidade religiosa, a arquitetura que compõe a paisagem e outros elementos que compõem a Vila Rubim, ressaltados por jogos de sombras e luzes que ressaltam volumes e texturas.

Foto: Kelen Cristina


O trabalho teve início em junho e acompanhou também mudanças que acontecem no mercado, como a construção de grandes painéis pelo projeto Cidade Quintal. É a segunda vez que os alunos da disciplina lecionada por Elizabeth Nader publicam um livro. No ano passado, o trabalho publicado foi o Seculares, com registros de construções entre os séculos 16 e 18 em nove municípios do Espírito Santo.

O livro Cidade de Palha estará à venda por R$ 45 na ocasião do lançamento, que contará também com atrações culturais trazidas pelos próprios estudantes autores da obra, que apresentam suas habilidades musicais desde o violão até o saxofone e a flauta transversal.

AGENDA CULTURAL

Lançamento do livro “Cidade de Palha”

Quando: Sábado (1/12), 11h

Onde: Travessa Galpão Dois - Mercado da Vila Rubim, Vitória-ES

Valor do livro: R$ 45,00.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Gregório de Matos Guerra, o barroco e a história

''O Barroco, quando surgiu, era uma reação ao domínio da linguagem clássica que marcava o Renascimento''