Obras de literatura capixaba estão disponíveis em e-book

Livros premiados pela Secult foram publicados por autores na rede e podem ser lidos pelo computador

Vários escritores do Espírito Santo possuem livros publicados disponíveis em plataformas digitais, que podem ser uma boa opção de leitura para os tempos de quarentena diante da pandemia do novo coronavírus. 

A Secretaria de Estado da Cultura (Secult) realizou uma seleção de obras premiadas por editais estaduais de cultura, sobretudo de 2018. "A Secult entrou na onda de produtores culturais de todo o País, que vêm disponibilizado filmes, discos e livros em plataforma digitais como forma de levar entretenimento às pessoas para que fiquem em casa durante o processo de contenção da disseminação do Covid-19 (Coronavírus)", afirmou o órgão em sua página. São obras em diversos gêneros literários como poesia, conto, dramaturgia e literatura infantojuvenil, publicados em plataformas diversas, gratuitas ou não, conforme preferências dos autores.

A Secult promete atualizar a lista disponível em seu site conforme novos autores enviem suas obras com link e sinopse para secultjornalismo@gmail.com. Veja abaixo a lista inicial de obras já disponibilizadas.

O órgão ainda divulgou anteriormente uma lista de filmes capixabas que estão disponíveis gratuitamente para serem assistidos online. Confira aqui.

Golo, de Gabriel Vogas e thiago Egg |  Infantil

Sinopse: Muito baixo, muito fraco, muito roxo… Golo tem um problema para se divertir no seu planeta: ele não se encaixa no perfil ideal para nenhum jogo. Acompanhe Golo em sua jornada repleta de aprendizados pelo espaço em busca do jogo que possa ser jogado por todos, que vai levá-lo até um planetinha azul onde um grupo de amigos se diverte com uma estranha brincadeira onde meninos e meninas tentam fazer pontos chutando uma bola.

Labirinto Mínimo, de Fernanda Tatagiba | Poesias

Sinopse: Labirinto Mínimo é uma busca por outros caminhos para a compreensão do outro e uma busca pelo entendimento de si próprio por meio da natureza, e esses caminhos e portas que se abrem são como labirintos. Os desenhos mostram bem essa organicidade e minimalismo dos poemas, é como se eles fossem vistos pelo microscópio.

Calor Outro, Getúlio Souza | Poesia 

Sinopse: Na poesia de Getúlio, é um "corpo desorganismo" que assume a frente, como que entregue aos outros corpos numa proposta de trocas abertas à vida. Uma troca que alcança momentos de beleza singular em poemas como "Vou", onde lemos, num diálogo intenso com a avó, os versos: "Conto-te o caos?/ quando me mostrar a não lembrança". Assim contando-lhe, conta-nos, dá uma chance ao deslembrar como parte da poesia, pra que a gente não perca aquilo que nos falta. [Guilherme Gontijo Flores]

Lama, de Marília Carreiro | Contos 

Sinopse: Partindo de questões sociais como a injustiça, a rotina esmagadora e a burocracia, Marília expõe as frustrações e contradições do ser humano em 20 contos, que muitas vezes beiram o insólito e o absurdo. 

A Lenda do Lagarto Azul, de Jonas Reis | Infantojuvenil

Sinopse: Imagine o lagarto da Pedra Azul movendo-se naquele magnífico monumento natural capixaba e fazendo de tudo para defender seu território. O livro apresenta a "origem" do lagarto da Pedra Azul e dá vida ao animal, uma lenda que pode se inserir definitivamente na cultura capixaba e principalmente no imaginário da população que vive na região montanhosa do Espírito Santo.

Outras Tramas: Dramaturgias escritas por e para mulheres - 1ª Edição | Dramaturgia

Organização: Nieve Matos 

Sinopse: Este livro foi escrito por muitas mãos, não só por trazer quinze dramaturgias criadas por pessoas tão singulares, mas pela forma como foi gestado. Em círculo, comungando experiências, afetos, dores e histórias femininas. É um livro que fala de mulheres para mulheres

Elas Tramam: Dramaturgias Tecidas por Mulheres do Espírito Santo - 2ª Edição | Dramaturgia 

Organização: Nieve Matos 

Sinopse: Há peso, há música, há vida, sim. Vida desdobrável, numa trama feita a várias mãos. Porque quinze mulheres contando umas para as outras e umas com as outras faz a tecitura deste livro: um coletivo desavergonhado que escancara a realidade e o sonho. Mulher-mãe, mulher-militante, mulher-romântica, mulher-monstro, mulher-invisível, mulher-filha, mulher-expectadora, mulher-lésbica, mulher-música, mulher-tempo, mulher-trauma, mulher-fraca, mulher-forte. Temos. Mulher carregando bandeira, espelho, notícia de jornal, diagnóstico, pele… Temos. Só não espere delicadezas. Este é um livro feito de sangue.
 

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Mesmo em isolamento social, músicos capixabas apresentam lançamentos

Dub, rap, reggae, samba, hardocre e black music fazem parte das novidades anunciadas nas últimas semanas

Espírito Santo se faz presente em novo disco de Tunico da Vila

Primeiro álbum morando no Estado tem participação de Xandy de Pilares, Dudu Nobre e Martinho da Vila

Academia Cariaciquense de Letras completa dois anos de existência

Depois de muita luta por sua fundação, entidade tem realizado várias atividades para fomentar literatura

A poesia não para com as ruas vazias

Saraus e slams se adaptam e seguem com programações online, confira quais são