ONG Raízes da Piedade: comunidade pode ter evasão de 70% dos moradores até 2020

Desde março de 2018, foram sete brutais assassinatos. Nessa segunda (14), três mortos e dois feridos  

A ONG Raízes da Piedade divulgou uma nota, na tarde desta terça-feira (15), em que comenta mais três assassinatos ocorridos no Morro do Moscoso, que faz divisa com a comunidade. A entidade volta a reforçar a evasão de moradores que têm deixado suas casas em razão do medo. Segundo pesquisa da ONG, a previsão é de que até 2020 cerca de 70% dos moradores tenham deixado a região. 

“Mais uma vez, além da perda dolorosa de um filho, amigo ou ente querido, novas famílias já anunciaram que sairão do morro. Já afirmamos, por meio de pesquisa, que até 2020 o morro da Piedade e Moscoso poderão deixar de ser ocupados por 70% de quem ali habita”.

O texto divulgado na fanpage da entidade relata o clima de tristeza e indignação entre os que moram nos morros da Capital. “Mais uma vez, nos impactamos e indignamos com as horrorosas execuções nos caminhos das nossas comunidades, tirando vida de jovens. Hoje é o dia que nos sentimos esgotados, abalados psicologicamente e sem forças, junto com todas as famílias vítimas desses massacres. Desde março de 2018, foram sete brutais assassinatos, ontem três mortos e dois feridos”.

Falta de diálogo
As lideranças da Piedade voltam a reclamar da falta de diálogo do Governo do Estado, o que ficou mais evidente na gestão do ex-governador Paulo Hartung. 

“Toda comunidade indicou que a construção da base do DPM, no morro da Piedade, sem o diálogo necessário, não seria suficiente para garantir a segurança das comunidades. O resultado está aí. Não percebemos mudanças. As falas das autoridades de segurança se contradizem com a realidade vivida por centenas de moradores”.

Para eles, a diferença real será possível quando os morros forem alvo de políticas públicas efetivas. “É a hora de fazer valer as políticas públicas articuladas e permanentes, oferecendo outras perspectivas de inserção social para nossos jovens e famílias inteiras... Vamos reconstruir do início as ações e o acompanhamento da situação da comunidade, colocando-nos como apoio e à disposição de todos que necessitem de informações neste momento”.

A nota, por fim, completa: “Reiteramos que a equipe do Raízes, composta por filhos e amantes da história dessa comunidade, está em choque e com o sentimento de cansaço, febril, indisposição no corpo, com tudo que vem acontecendo. Nos sentimos muitas vezes, durante 2018, desrespeitados pela Sesp [Secretaria de Estado da Segurança Pública]. Seguimos, mesmo doentes, nessa luta com toda a nossa comunidade e parceiros. Era pra termos uma linda festa da Unidos da Piedade, pelos seus 64 anos. O som do samba é interrompido, por tiros e choro. Nosso sentimentos”.

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Justiça concede aluguel social a moradores do Morro da Piedade

Famílias deixaram suas casas para fugir da violência que assola a comunidade desde 2018  

Conselho LGBTI reivindica da Secretaria de Segurança formação para policiais

Conselho para Promoção da Cidadania e dos Direitos Humanos LGBTI entregou pauta ao secretário Roberto Sá

Governo atende demanda judicial e cria comissão para o bairro Piedade

Mais de 40 famílias que deixaram o bairro precisam de apoio para moradia. Luta contra violência continua 

Novos assassinatos na Piedade expõem falta de diálogo para conter violência

Desde a intensificação da onda de violência, moradores pedem solução e paz para as comunidades