Oposição denuncia presidente do Sindfer por calúnia em jornal da entidade

João Batista Cavaglieri é acusado de usar veículo de comunicação interno para difamar diretores

Diretores do Sindicato dos Ferroviários (Sindfer ES/MG) que fazem oposição ao atual presidente da entidade sindical, João Batista Cavaglieri, se dizem caluniados no próprio jornal interno da entidade, que, segundo eles, tem sido usado para difamar e caluniar diretores que divergem da atual gestão de Cavaglieri. O grupo afirma que, por esse motivo, já instaurou mais de sete processos contra Cavaglieri.

De acordo com Wagner Xavier, atual diretor e também líder da Oposição Movimento da Categoria, o jornal, que deveria ser usado como um importante meio de comunicação em favor dos trabalhadores ferroviários, passou a ser explorado como espaço para ataques pessoais do João Batista Cavaglieri contra os diretores, incluindo ele próprio, que não concordam com sua política sem transparência e antidemocrática. 

Ainda segundo os membros da oposição, em pleno período de Acordo Coletivo, João Cavaglieri utiliza nada menos do que 70% do espaço do jornal Raízes para a prática de calúnias e difamação contra o diretor Wagner Xavier e outros, além do integrante da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa), Hector Scarpatt. 

“Negociar bons Acordos Coletivos que é bom, João deixa a desejar há anos”, afirmou Wagner Xavier, que completa: “O comportamento do presidente sindical tem causado muita estranheza entre os trabalhadores nesses últimos tempos. Acreditamos que João tem utilizado o ataque contra diretores opositores justamente para desviar o foco do ACT [Acordo Coletivo de Trabalho] ou, simplesmente, para achar um culpado por sua incompetência em negociar”. 

Por nota, o Movimento da Categoria informou que continuará exigindo democracia e transparência em favor dos ferroviários. Além dos inquéritos por conta das "mentiras caluniosas" publicadas no jornal Raízes, João Batista responde a ações judiciais por questões contábeis do sindicato.

Renovação

O grupo da situação está à frente do Sindfer há 22 anos liderado por João Batista Cavaglieri. Depois de dois mandatos de três anos (2002 a 2008), João Cavaglieri, no entanto, teria visto sua hegemonia ameaçada na eleição de 2008. Nessa data, outro grupo de oposição, o Cebolão, obteve 35% dos votos, o que causou preocupação. 

Logo após as eleições, foram realizadas, então, mudanças estatutárias apontadas como duvidosas e sem a participação da categoria, que aumentaram o mandato de três para quatro anos. As alterações também diminuíram o prazo para inscrições de chapas de 15 dias para cinco dias. Além disso, o tempo para os ferroviários disputarem eleição passou de seis meses como associados ao sindicato, conforme prevê a própria Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), para 18 meses. 

0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para manter ativo.
Matérias Relacionadas

Justiça concede liminar para que trabalhadores se expressem em assembleia

Decisão da Vara do Trabalho estipulou multa de R$ 100 mil para Sindfer e seu presidente, João Batista

Trabalhadores da Vale podem deixar de receber indenizações 

Segundo oposição, atual presidente do Sindfer sugeriu cláusula de resolução de conflitos 

'Hartung tentou montar uma farsa no Estado'

Deputado mais votado à Assembleia, Majeski fala da sua atuação isolada no campo de oposição

Registro de chapa de oposição na OAB movimenta o Centro de Vitória

José Carlos Rizk Filho concorre com Ricardo Barros Brum, candidato de Homero Mafra