Oposição denuncia presidente do Sindfer por calúnia em jornal da entidade

João Batista Cavaglieri é acusado de usar veículo de comunicação interno para difamar diretores

Diretores do Sindicato dos Ferroviários (Sindfer ES/MG) que fazem oposição ao atual presidente da entidade sindical, João Batista Cavaglieri, se dizem caluniados no próprio jornal interno da entidade, que, segundo eles, tem sido usado para difamar e caluniar diretores que divergem da atual gestão de Cavaglieri. O grupo afirma que, por esse motivo, já instaurou mais de sete processos contra Cavaglieri.

De acordo com Wagner Xavier, atual diretor e também líder da Oposição Movimento da Categoria, o jornal, que deveria ser usado como um importante meio de comunicação em favor dos trabalhadores ferroviários, passou a ser explorado como espaço para ataques pessoais do João Batista Cavaglieri contra os diretores, incluindo ele próprio, que não concordam com sua política sem transparência e antidemocrática. 

Ainda segundo os membros da oposição, em pleno período de Acordo Coletivo, João Cavaglieri utiliza nada menos do que 70% do espaço do jornal Raízes para a prática de calúnias e difamação contra o diretor Wagner Xavier e outros, além do integrante da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa), Hector Scarpatt. 

“Negociar bons Acordos Coletivos que é bom, João deixa a desejar há anos”, afirmou Wagner Xavier, que completa: “O comportamento do presidente sindical tem causado muita estranheza entre os trabalhadores nesses últimos tempos. Acreditamos que João tem utilizado o ataque contra diretores opositores justamente para desviar o foco do ACT [Acordo Coletivo de Trabalho] ou, simplesmente, para achar um culpado por sua incompetência em negociar”. 

Por nota, o Movimento da Categoria informou que continuará exigindo democracia e transparência em favor dos ferroviários. Além dos inquéritos por conta das "mentiras caluniosas" publicadas no jornal Raízes, João Batista responde a ações judiciais por questões contábeis do sindicato.

Renovação

O grupo da situação está à frente do Sindfer há 22 anos liderado por João Batista Cavaglieri. Depois de dois mandatos de três anos (2002 a 2008), João Cavaglieri, no entanto, teria visto sua hegemonia ameaçada na eleição de 2008. Nessa data, outro grupo de oposição, o Cebolão, obteve 35% dos votos, o que causou preocupação. 

Logo após as eleições, foram realizadas, então, mudanças estatutárias apontadas como duvidosas e sem a participação da categoria, que aumentaram o mandato de três para quatro anos. As alterações também diminuíram o prazo para inscrições de chapas de 15 dias para cinco dias. Além disso, o tempo para os ferroviários disputarem eleição passou de seis meses como associados ao sindicato, conforme prevê a própria Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), para 18 meses. 

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Oposição vai acionar Justiça contra tentativa de mudança estatutária do Sindfer

Membros da oposição a João Batista Cavaglieri alegam falta de quórum e desvio da pauta

Oposições à diretoria do Sindfer boicotam assembleias para mudanças de estatuto 

Presidente João Batista também pleiteia na Justiça incorporação de salário de R$ 25 mil 

Justiça concede liminar para que trabalhadores se expressem em assembleia

Decisão da Vara do Trabalho estipulou multa de R$ 100 mil para Sindfer e seu presidente, João Batista

Trabalhadores da Vale reclamam de censura do presidente do Sindfer

João Batista Cavaglieri não deixou que trabalhadores se manifestassem em assembleia