Passos vigiados

Enquanto o PL nacional aposta em Magno, deputada Lauriete abre campo para especulações no Estado

O recente encontro da deputada federal Lauriete (PL – novo PR) com o prefeito de Vila Velha, Max Filho (PSDB), que rendeu foto oficial e burburinho nos bastidores, coloca novamente no centro das atenções a situação do partido comandado pelo ex-senador Magno Malta no Espírito Santo. O registro ocorreu logo após o presidente nacional da legenda, Valdemar Costa Neto, vender a imagem de Magno como aposta para mudar a cara do partido na carona da onda conservadora que se instalou no País, como divulgou o Antagonista, deixando mais uma vez claro que Lauriete, ex-mulher de Magno, embora represente o principal quadro do PL capixaba hoje, não terá vez na condução de poder na legenda, o que prejudica seus projetos futuros e as articulações que precisam ser iniciadas nas eleições de 2020. Nessa sinuca de bico há meses, Lauriete, ao contrário do vereador de Vila Velha Heliossandro Mattos, que já anunciou sua saída do partido, ainda pisa em ovos, sem dizer nada publicamente. Isso porque, nem Magno nem o PL estariam dispostos a abrir a porta para ela, o que pode ameaçar sua cadeira na Câmara dos Deputados e abrir uma batalha jurídica entre o ex-casal. Enquanto isso, a deputada deixa especulações no ar. A conversa com Max Filho é a segunda com uma liderança tucana em pouco tempo (a última foi com o deputado estadual Marcos Mansur) e, de novo, no município onde Lauriete tem reduto eleitoral. O que vem por aí?

Apoio
A propósito, não tem muito tempo, a deputada sinalizou subir no palanque do deputado estadual Dr. Hércules (MDB). Mas isso foi antes de a Nacional vetá-la de conduzir suas próprias articulações locais. Max filho, como se sabe, também é cotado como candidato à reeleição.

Novo-velho
O Antagonista falou há poucos dias do “roadshow de Magno Malta”. A estratégia do presidente nacional do partido teria relação com as palestras que o ex-senador realiza pelo País sobre a reforma da Previdência, na missão de apresentar o “novo PR”.

Tempos sombrios
A ameaça de morte ao senador Fabiano Contarato (Rede) devido aos questionamentos que fez ao ministro da Justiça, Sergio Moro, pelo comportamento revelado nas mensagens trocadas da Lava Jato reveladas pelo The Intercept, é mais um sinal da derrocada da democracia no País. “A que pontos chegamos?” é a pergunta de sempre.

Tempos sombrios II
Contarato, que também tem sido alvo constante nas redes sociais por seus posicionamentos no Congresso, desta vez fez uma representação criminal na Polícia Federal e Polícia Legislativa do Senado, mas não solicitou proteção especial. Ele também ingressou com uma ação na Justiça sob a acusação de injúria e difamação. O caso repercutiu na imprensa nacional.

Tempos sombrios III
Tão lamentável quanto, as ameaças anteriores denunciadas pelo senador Marcos do Val (PPS), que legisla em campo completamente antagônico de Contarato. Do Val, desde então, conta com escolta, assim como seus familiares.

Guerra declarada
O deputado estadual José Esmeraldo subiu à tribuna da Assembleia nesta terça-feira (2), pelo segundo dia seguido, para atirar na direção do atual comando do MDB no Estado, que conseguiu intervenção da Nacional,  cancelando a disputa interna desse domingo (30). Mais uma vez, chamou inúmeras vezes o ex-deputado federal e secretário especial do Ministério da Cidadania, Lelo Coimbra, de golpista, covarde, mentiroso, etc., etc., etc.

Guerra declarada II
Já sobre as acusações de interferência do governo Renato Casagrande em favor da chapa liderada por Marcelino Fraga, Esmeraldo afirmou que é conversa fiada e que Lelo “cuspiu no prato que comeu”, referindo-se às solenidades recentes que ele realizou com Casagrande, com toda pompa e circunstância.

Reação
O empréstimo de R$ 40 milhões via Caixa Econômica para a gestão de Juninho (PPS) em Cariacica ainda tem muito o que render. A vereadora Ilma Chrizóstomo (PSDB), presidente da Comissão de Legislação, Justiça e Redação Final da Câmara, protocola nesta quarta-feira (3), uma notícia de fato no Ministério Público Estadual (MPES) para anular a sessão extraordinária que aprovou, em regime de urgência, o pedido do prefeito.

Reação II
Ilma alega que a reunião da comissão para emissão de parecer conjunto com o colegiado de Finanças e Orçamento, foi convocada de forma irregular pelo vereador Itamar Freire (PTB), quando deveria ter sido por ela, como determina o regimento. Ela solicitará a revogação desse ato e anulação da sessão do último dia 28. Os vereadores Professor Elinho (PV), Sérgio Camilo (PSC) e Celso Andreon (PRTB) engrossam o coro à medida, assinando como testemunhas.  

PENSAMENTO:
“Quem é temido, teme: não pode ficar tranquilo quem é objecto do medo alheio”. Sêneca

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Quem não conhece...

Rejeitado nas urnas e réu em ações por um caso absurdo, Magno Malta é ''o maior patrimônio do PL no País''

MDB Nacional intervém no Estado e suspende eleições partidárias de domingo

Decisão atende a requerimento de Lelo, que acusa máquina estadual de atuar em favor de Marcelino

‘Amarrada’

Divisão de poder no PR capixaba continua atrapalhando a vida da deputada federal Lauriete

Ah, coitado!

Magno Malta tira proveito do debate da reforma da Previdência: ''prefiro cortar na própria carne''