Peças do jogo

Coronel Alexandre Quintino entra em cotação de bastidores para futura eleição da Mesa Diretora. Será?

Embora a poeira do final do ano legislativo de 2019 tenha baixado, pelo menos aparentemente, entre o governador Renato Casagrande e o presidente da Assembleia Legislativa, Erick Musso (Republicanos), começa a surgir nos bastidores políticos um movimento em torno do deputado estadual Coronel Alexandre Quintino, como um potencial nome para a Mesa Diretora na próxima disputa da Casa, que ainda está sub judice depois da antecipação atropelada de Erick que provocou turbulências com o executivo e uma lista de ações judiciais. Num primeiro momento algo improvável, já que Quintino é filiado ao PSL, partido opositor a Casagrande, e cumpre ainda seu primeiro mandato, o nome agradaria ao Palácio Anchieta pela fidelidade ao governador, ao custo de Quintino atuar completamente desalinhado a seus colegas de bancada, entrando por isso em rotas de colisão até mesmo dentro de sua própria categoria e eleitorado, dos militares, rompida com o governo. O deputado tem ainda perfil mais conciliador, além de demonstrar, a cada dia, ser um aliado de confiança da tropa governista, rendendo a ele presença garantida nos eventos e anúncios oficiais. Depois do desgaste que recaiu sobre Erick Musso devido ao processo de antecipação da eleição, o que expôs sua sede de poder, as definições sobre o pleito, suspenso pela Justiça, ainda são uma incógnita. Será no tempo certo, em 2021, ou ainda este ano? Erick, que sempre teve o apoio do plenário, insistirá em permanecer no cargo, em nome do seu projeto político e de seu grupo? E Casagrande, como vai atuar depois de tudo que aconteceu? Sem dúvidas, ainda há muita água pra rolar pode debaixo dessa ponte, mas as movimentações nunca param. A conferir!

Segue...
Desde a guerra interna do PSL, Quintino já declarou mais de uma vez que não pretende deixar a legenda. Mas quando for liberado para tal, na janela partidária, no começo de 2022, a expectativa é que ele pule definitivamente para o lado de Casagrande. Antes disso, só com justificativa, o que não parece ser o caso, mesmo atuando na contramão da bancada na Assembleia.

Fora do PSL
Agora livre, leve e solto para ficar colado no presidente Jair Bolsonaro, o ex-deputado federal Carlos Manato, que presidia o partido, realiza depois do Carnaval, no dia 29, o “Grande Encontro do Aliança pelo Brasil”, nova legenda do aliado. Será de 10h ao meio-dia, no Centro de Convenções de Vitória, e promete reunir um bocado de gente. Até mês passado, o Aliança já tinha conseguido quase seis mil assinaturas no Estado.

Fora do PSL II
A permanência de Manato no PSL, de fato, não fazia mais o menor sentido depois da saída do presidente e da briga com o grupo de Luciano Bivar, presidente nacional da legenda. Já os parlamentares com mandato no Estado, apesar de estarem loucos para fazer o mesmo, terão que esperar... sentados! 

Time
Como se sabe, me refiro à mulher de Manato, deputada federal Soraya, e os deputados estaduais Capitão Assumção, Torino Marques e Danilo Bahiense. Todos "Bolsonaro até o fim".

Tabuleiro 
Por falar em Erick Musso, o ex-senador Magno Malta (PL) está mesmo interessado em mostrar proximidade com o presidente da Assembleia. Em poucos dias, é o segundo vídeo que posta em suas redes sociais. Um ao lado dele, com sorrisos distribuídos, outro replicando a defesa de Erick em caso de suposta fake News que veio à tona nos últimos dias.

Segue...
O presidente do legislativo estadual denunciou ao Ministério Público (MPES) a divulgação de uma conversa de WhatsApp envolvendo seu nome. O teor o coloca novamente em choque com Casagrande, com quem tem feito um esforço enorme para apagar os prejuízos do final de 2019.

Juntos
O governador visitou, nesse sábado (8), a Igreja Batista Filadélfia, em Laranjeiras, com a Associação de Pastores da Serra. Ao lado dele, o secretário de Estado de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social, Bruno Lamas (PSDB), e o deputado estadual Alexandre Xambinho (Rede). Os dois juram que são candidatos a prefeito no município.

Dois palanques
O anúncio da saída do PSDB para o PSB do governador, feito pelo prefeito de Conceição da Barra, Francisco Chicão, esbarra no projeto do Cidadania, partido aliado do ninho socialista. Em dezembro do ano passado, o Cidadania lançou o ex-prefeito Manoel Pé de Boi na disputa municipal. Chicão, se permanecer liberado pela Justiça, também é candidato à reeleição.

PENSAMENTO:
“Tudo aquilo que engana parece libertar um encanto”. Platão

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Sem trabalho

Após pedido de Euclério, sessão da Assembleia é derrubada com apenas 12 minutos. Assunto não faltava...

Normas para eleição de procurador-geral de Justiça são publicadas  

Eder Pontes, que acumula três gestões, foi o primeiro a se inscrever para possível quarto mandato

Mais uma área de risco

Ação de Vandinho contra a Previdência, agora também dos servidores. E a eterna pressa da Assembleia...

Arena da greve

Se Nylton e Assumção disputarem em Vitória, mesmo, movimento da PM de 2017 será transportado para 2020