Pedro Rigo e Carlos Manato são eleitos para o comando do Sebrae-ES

Votação de candidato de Casagrande foi unânime; já Manato venceu após articulação de última hora

A política partidária esteve presente na acirrada disputa para preenchimento dos cargos de direção do Serviço de Apoio à Pequena e Média Empresas no Espírito Santo (Sebrae-ES), que elegeu nesta quinta-feira (13), por unanimidade, o empresário Pedro Rigo, candidato do governador eleito Renato Casagrande (PSB), para a Superintendência, e o deputado federal Carlos Manato (PSL) para presidente do Conselho de Administração, em votação apertada.

O dirigente sindical Luiz Henrique Toniato foi eleito diretor de Atendimento e o atual superintendente, José Eugênio Vieira, diretor Técnico, fechando a composição que atende ao grupo de Casagrande e à estratégia de crescimento do partido do presidente eleito, Jair Bolsonaro, coordenado no Espírito Santo pelo deputado Carlos Manato.  

A votação foi realizada em meio a articulações de grupos políticos liderados, de um lado, pelo deputado federal Carlos Manato (PSL), futuro subsecretário da Casa Civil da Presidência da República, e, de outro, por José Eugênio Vieira e o presidente da Federação do Comércio (Fecomércio), José Lino Sepulcri, afinados com o governador Paulo Hartung (sem partido).

O atual presidente do Conselho de Administração, Marcos Guerra (PSL), ex-presidente da Federação das Indústrias (Findes), alinhou-se na última hora a Carlos Manato, possibilitando que ele ganhasse mais fôlego na disputa, apesar de ser médico e afastado de atuação junto às entidades patronais do Sistema S, que controla a maioria dos votos.

Como parte da estratégia de crescimento do PSL do presidente eleito, Jair Bolsonaro, em todas as áreas, Manato garantiu sete votos contra seis de Sepulcri, que concorria ao mesmo cargo. O deputado se articulou com a Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Espírito Santo (Faciapes), Sebrae nacional, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. 

Além desses, o colégio eleitoral é composto por representantes da Universidade Federal, Federação das Indústrias (Findes), Federação da Agricultura e Fecomércio. 

Um dia antes da eleição, a vitória de Pedro Rigo já era sinalizada como garantida, assim também com a de José Lino Sepulcri para a Presidência do Conselho da instituição, com o apoio de Hartung. A articulação conduzida por Manato e Marcos Guerra, no entanto, mudou os rumos da disputa, favorecendo Carlos Manato para o Conselho. 

Dos três participantes da atual diretoria executiva do Sebrae-ES, somente o superintendente José Eugênio Vieira, há oito anos na função, entrou nas   eleições da entidade. Ficaram de fora Benildo Denadai, diretor Técnico, e Ruy Dias de Souza, diretor de Atendimento.  

A disputa pela Superintendência do Sebrae-ES foi reduzida para apenas dois dos 12 candidatos que inicialmente pretendiam concorrer.

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Sem cargo

Demissão de Carlos Manato da Casa Civil é ponto ainda não superado no PSL

Segundo da fila

Nomes do PSL para Vitória estão longe de convencer. Na falta de Amaro, a aposta é Carlos Manato

Tropa PSL

Pré-candidatura em Cariacica e atos pró-Bolsonaro jogam nova luz sobre estratégia de Manato para 2020

Espaços ocupados

Entre os derrotados do PSL pelo País afora, Carlos Manato foi o que se saiu ''melhor na foto” até agora