Polícia Federal cumpre mandado de prisão contra presidente do Banestes

Vasco Cunha Gonçalves tomou posse na Presidência do Banestes nessa segunda-feira

Vinte e quatro horas depois de tomar posse no cargo, o novo presidente do Banco do Estado do Espírito Santo (Banestes), Vasco Cunha Gonçalves, está entre os investigados da Polícia Federal, com mandado de prisão a ser cumprido em operação deflagrada nesta terça-feira (29). 

A ação policial apura esquema de pagamento de propina a diretores e ex-diretores do Banco de Brasília (BRB) em troca de investimentos em empreendimentos. As negociações totalizaram R$ 16,5 milhões no período em que os envolvidos estiverem à frente de setores estratégicos do banco. 

Além do presidente do Banestes, que é presidente licenciado do Banco de Brasília (BRB), estão envolvidos os diretores Financeiro e de Relações com Investidores do banco, Nilban de Melo Júnior, e de Serviços e Produtos, Marco Aurélio Monteiro de Castro, além de Diogo e Adriana Cuoco, filho e nora  do ator Francisco Cuoco, e Paulo Renato Figueiredo Filho, neto do ex-presidente João Figueiredo. 

A operação se baseia nas delações premiadas de executivos da Odebrecht, do corretor Lúcio Funaro e do empresário Ricardo Siqueira Rodrigues, que montou, em sociedade com Paulo Renato, o Fundo de Investimento em Participações (FIP) LSH. Com esse fundo, captaram dinheiro para o extinto Trump Hotel, no Rio de Janeiro, atualmente conhecido como LSH Lifestyle, que teria sido um dos investimentos beneficiados pelo grupo.

O Ministério Público Federal, que está conduzindo o caso, informou que são cumpridos mandados de prisão e de busca e apreensão expedidos pela 10ª Vara da Justiça Federal em Brasília. Ainda não há detalhes sobre locais e volume de ações.

Vasco Cunha Gonçalves, que tomou posse na presidência do Banestes nessa segunda-feira (28), tem 49 anos, é formado pela Universidade do Estado da Bahia (Uneb) em Administração, com habilitação em Comércio Exterior e é pós-graduado em Finanças, pelo Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (IBMEC).

Até o início deste mês, Gonçalves era o diretor-presidente do Banco de Brasília (BRB), função que desempenhou nos últimos quatro anos. É funcionário de carreira e ocupou diversos cargos na instituição financeira, como o de diretor do Fundo de Pensão, superintendente financeiro, de Governo e de recuperação de crédito, e superintendente de controladoria.

O governador Renato Casagrande anunciou a escolha dele para o cargo em dezembro do ano passado. Em nota divulgada nesta segunda, a gestão estadual se disse "surpresa com os fatos" e apontou que o nome de Vasco Cunha Gonçalves foi aprovado pelo Banco Central, "que promove rigorosa análise dos currículos dos indicados para bancos públicos". Informou, ainda, que como determina o estatuto do Banestes, o Conselho Administrativo se reunirá ainda nesta terça-feira para escolher, entre os atuais diretores, quem assumirá interinamente a presidência, até que o novo presidente seja escolhido e nomeado.
 

(Com informações da Agência Brasil)

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Dallagnol aproveitou fama da Lava Jato para faturar também no Espírito Santo

O plano de palestras montado com a operação trouxe Deltan Dellagnol ao Estado entre 2016 e 2018

Ministério Público desmonta esquema de corrupção em prefeituras

A operação envolve empresários e servidores públicos em fraude de licitações para a coleta de lixo

Governador indica ex-funcionário do BB para presidente do Banestes

Amarildo Casagrande substitui Vasco Cunha Gonçalves, investigado e preso pela Polícia Federal

Governo anuncia presidente interino do Banestes no lugar de Vasco Gonçalves

Silvio Grilo, diretor de Tecnologia Banestes, foi anunciado pelo governo na tarde desta terça