Polícia Federal cumpre mandado de prisão contra presidente do Banestes

Vasco Cunha Gonçalves tomou posse na Presidência do Banestes nessa segunda-feira

Vinte e quatro horas depois de tomar posse no cargo, o novo presidente do Banco do Estado do Espírito Santo (Banestes), Vasco Cunha Gonçalves, está entre os investigados da Polícia Federal, com mandado de prisão a ser cumprido em operação deflagrada nesta terça-feira (29). 

A ação policial apura esquema de pagamento de propina a diretores e ex-diretores do Banco de Brasília (BRB) em troca de investimentos em empreendimentos. As negociações totalizaram R$ 16,5 milhões no período em que os envolvidos estiverem à frente de setores estratégicos do banco. 

Além do presidente do Banestes, que é presidente licenciado do Banco de Brasília (BRB), estão envolvidos os diretores Financeiro e de Relações com Investidores do banco, Nilban de Melo Júnior, e de Serviços e Produtos, Marco Aurélio Monteiro de Castro, além de Diogo e Adriana Cuoco, filho e nora  do ator Francisco Cuoco, e Paulo Renato Figueiredo Filho, neto do ex-presidente João Figueiredo. 

A operação se baseia nas delações premiadas de executivos da Odebrecht, do corretor Lúcio Funaro e do empresário Ricardo Siqueira Rodrigues, que montou, em sociedade com Paulo Renato, o Fundo de Investimento em Participações (FIP) LSH. Com esse fundo, captaram dinheiro para o extinto Trump Hotel, no Rio de Janeiro, atualmente conhecido como LSH Lifestyle, que teria sido um dos investimentos beneficiados pelo grupo.

O Ministério Público Federal, que está conduzindo o caso, informou que são cumpridos mandados de prisão e de busca e apreensão expedidos pela 10ª Vara da Justiça Federal em Brasília. Ainda não há detalhes sobre locais e volume de ações.

Vasco Cunha Gonçalves, que tomou posse na presidência do Banestes nessa segunda-feira (28), tem 49 anos, é formado pela Universidade do Estado da Bahia (Uneb) em Administração, com habilitação em Comércio Exterior e é pós-graduado em Finanças, pelo Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (IBMEC).

Até o início deste mês, Gonçalves era o diretor-presidente do Banco de Brasília (BRB), função que desempenhou nos últimos quatro anos. É funcionário de carreira e ocupou diversos cargos na instituição financeira, como o de diretor do Fundo de Pensão, superintendente financeiro, de Governo e de recuperação de crédito, e superintendente de controladoria.

O governador Renato Casagrande anunciou a escolha dele para o cargo em dezembro do ano passado. Em nota divulgada nesta segunda, a gestão estadual se disse "surpresa com os fatos" e apontou que o nome de Vasco Cunha Gonçalves foi aprovado pelo Banco Central, "que promove rigorosa análise dos currículos dos indicados para bancos públicos". Informou, ainda, que como determina o estatuto do Banestes, o Conselho Administrativo se reunirá ainda nesta terça-feira para escolher, entre os atuais diretores, quem assumirá interinamente a presidência, até que o novo presidente seja escolhido e nomeado.
 

(Com informações da Agência Brasil)

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Governador indica ex-funcionário do BB para presidente do Banestes

Amarildo Casagrande substitui Vasco Cunha Gonçalves, investigado e preso pela Polícia Federal

Definição sobre vaga de Valci Ferreira reacende disputa ao Tribunal de Contas

A defesa do conselheiro afastado, que está preso, entrou com pedido de aposentadoria no IPAJM

Irregularidades eleitorais são mais graves do que se imagina, diz deputado

Enivaldo dos Anjos fez denúncia de crime eleitoral ao Ministério Público Federal

PF investiga governo Hartung por desvio de recursos da educação  

A denúncia de Sergio Majeski está sendo investigada pela Delegacia Federal de Crimes Fazendários