Por dentro do Museu dos Monstros em Guarapari

Cenários de filme e monstros horripilantes compõem acervo que conta parte da história do cinema capixaba

Fotos: Fabrício Selestrino

Na calçada, a horrível figura de um bandeirante zumbi segura um pano que diz: ABERTO. O grande letreiro na entrada do galpão indica: Museu dos Monstros. Estamos em Guarapari, cidade lembrada pela brilhante luz do sol, mas que guarda também um lado obscuro e bem sucedido do cinema brasileiro.

Na Praia do Morro, foi inaugurado recentemente e provisoriamente o museu que reúne parte do acervo da Fábulas Negras Produções, responsável pelos filmes do cineasta Rodrigo Aragão, figura de destaque no ramo do terror no Brasil. 

Estamos literalmente num set de filmagem, onde foi realizado aquela que será a maior produção da história do cinema capixaba: o longa-metragem Cemitério das Almas Perdidas, com orçamento de R$ 2,1 milhões, que deve entrar no circuito de festivais este ano.

O nome Museu dos Monstros foi retomado de um espetáculo de horror montado por Rodrigo em 2010, que circulou por lugares como o parque de diversões Trombini e o Shopping Guarapari.

No novo empreendimento, um caixão de vidro serve de mesa de recepção trazendo souvenirs, cartazes, DVD’s e quadrinhos, enquanto uma TV projeta o making of de filmes de horror feitos pela equipe. Ali nos recebe Carol Aragão, filha de Rodrigo que participou de todos seus filmes, seja como protagonista ou fazendo uma ponta.

Ao lado, num pequeno ateliê aberto, Fabricio Selestrino Lourenço confecciona e restaura máscaras de monstros enquanto Rodrigo viaja dando cursos no exterior. Num museu em constante atualização, eles preparam o Hall da Fama da produtora, com moldes horripilantes de seus principais profissionais e atores, que devem entrar para o acervo em breve.

O grande portão de cemitério à frente se abre e nos encontramos com Mayra Alarcón, produtora executiva do Museu dos Monstros e da Fábulas Negras. Entramos para o cenário cinematográfico de um cemitério, repleto de lápides que ironicamente incluem o nome de vários dos integrantes da equipe de produção.

“A gente tinha esse cenário fantástico que queria mostrar para as pessoas e povoamos ele com todo esse acervo de monstros, um material super bonito que ficava parado. Se você coloca em exposição pelo menos as pessoas podem vê-lo”, comenta sobre os personagens confeccionados por Rodrigo desde muito jovem e os adereços que acompanham os filmes.

Entre lápides, bonecos, maquetes, armas fictícias, são cerca de 80 peças em exibição atualmente. Anjos, zumbi de duas cabeças, caranguejo zumbi, monstros em forma de diversos animais, a loira do banheiro, o homem derretido, tudo isso compondo o cenário de horrores. “A gente ainda está montando a exposição, cada dia cresce um pouquinho”, diz Mayra, sobre o dinâmico museu que estreou em 10 de abril.

Antes de chegar ao galpão que abriga o set de filmagens, todo acervo ficava na sede da produtora no Perocão, uma vila de pescadores de Guarapari. “Tava tudo guardado, empilhado um encima do outro. Depois que trouxemos para o galpão conseguimos limpar e restaurá-los”.

Para serem usados em cena, os monstros são feitos com materiais leves como espuma de látex,espuma de poliuretano, silicone e dragon skin, com moldes tirados diretamente do rosto dos atores e atrizes. Como é um material que se deteriora, alguns foram restaurados com resina odontológica, de longa duração, mas que implica a morte do personagem para virar acervo. Endurecida e mais pesada, as máscaras não poderão mais ser usadas pelos atores.

A exposição fica em Guarapari até meados de junho e deve seguir para uma localidade mais central da Grande Vitória. Já tem também proposta para circular em outros estados do Brasil ainda este ano. Porém, quem tiver a oportunidade de visitar o Museu dos Monstros em Guarapari terá um cenário único e autêntico: o grande cemitério, os corredores, becos e passagens obscuras, salas e grutas que fizeram parte de um verdadeiro set de filmagem. “Esse set não vai se repetir. Algumas coisas serão levadas para os novos cenários, mas não vai ser a mesma coisa”, alerta a produtora.

Além disso, para a equipe há um grande peso e significado. Junto com os monstros desenvolvidos em diferentes épocas, acompanham o acervo do museu recortes de jornais desde 1994, que mostram a evolução de Rodrigo e toda sua equipe, em grande parte nascida ou moradora de Guarapari ou formada a partir de cursos ministrados pelo cineasta, que é autodidata mas participou de diversos cursos para incrementar sua formação.

"É a história de um grupo de artistas capixabas. Acho que o intuito inicial do museu era mostrar para as pessoas uma parte do cinema capixaba que está acontecendo aqui em Guarapari, aproximar as pessoas disso”.

Aos pés de cada monstro, um pouco de suas histórias, data de criação e filme que participou, permitindo uma vista autoguiada que pode ser feita em cerca de 15 ou 20 minutos pelo local, mas sem tempo limite. Para escolas e grandes grupos é possível solicitar uma visita conduzida por um guia. Embora assustador, as crianças adoram o universo de magia envolto no cenários e personagens. “Muitas vezes são as crianças que trazem os pais”, relata Mayra Alarcón.

O espaço favorito da produtora é a pequena gruta que representa o cárcere vigiado por um guarda da Inquisição, onde Cipriano escreve seu livro amaldiçoado, recitado pelo próprio demônio que aprece ao fundo. “Acho muito bonito, bem montado. É praticamente a reconstituição de uma cena muito bonita do Cemitério das Almas Perdidas. É quase um spoiler”, brinca.

No mezanino acima do museu está outro espaço que serve de escritório e também sala de aula, onde serão ministradas oficinas de Maquiagem de Efeitos Especiais, curso de 8h realizado aos sábados por Rodrigo Aragão, e Interpretação para Cinema e Audiovisual, às quartas-feiras com carga de 16h e aulas com Mayra Alarcón. Inscrições e mais informações em aragaofx@fabulasnegras.com.

AGENDA CULTURAL

Museu dos Monstros

Quando: aberto de quarta-feira a domingo, de 14h às 19h

Onde: Rua Antônio Lira Monjardim, 705, Praia do Morro, Guarapari

Ingresso R$ 10 

Agendamento para grupos: (27) 99967-8923.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Shooping Praia da Costa terá teatro para 650 pessoas

Na Coluna CulturArte também tem: concurso literário, homenagem a Seu Manoelzinho, André Prando 'voando'

Escritores capixabas são destaque na websérie 'Com a Palavra'

Veja quem são os cinco participantes da série que busca aproximar leitores e escritores de diversos perfis

Ana Müller apresenta show de estreia de seu primeiro álbum no Sesc Glória

Neste sábado, cantora promete no palco a atmosfera intimista e reflexiva do disco ''Incompreensível''

Bordados contam lendas indígenas na exposição Espelhos da Lua

Após imersão na Amazônia, artista plástica Gleciara Ramos expõe 130 tecidos na Galeria Virgínia Tamanini