Prefeitura de Rio Novo do Sul é condenada a pagar diferença salarial a agentes

Decisão da Justiça do Trabalho determina pagamento pela gestão do prefeito Thiago Fiorio

A Justiça do Trabalho determinou, nessa segunda-feira ( 22), a nomeação de perito judicial para realizar cálculos que quantifiquem a diferença entre o que os Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às endemias recebiam da Prefeitura de Rio Novo do Sul em relação ao que deveria receber, o piso nacional da categoria. 

A diferença se consolidou após o Governo Federal implantar e repassar ao município os valores referente ao pagamento do piso da categoria, R$ 1.014,00, instituído pela Lei Federal 12.994/2014. Os gestores da Prefeitura de Rio Novo do Sul, no entanto, não transferiram a diferença aos trabalhadores. 

A ação teve início em 2014, mas a decisão só foi concretizada neste mês de outubro. Após entraves e discussões na esfera da Justiça do Trabalho, o município acabou condenado a pagar as correções monetárias decorrentes de 2014 ao início de 2017, com multa mensal de R$ 250,00 para cada trabalhador. A Justiça do Trabalho determinou a nomeação de um perito judicial para cálculo dos valores de  aproximadamente 40 agentes.

O atual prefeito de Rio Novo do Sul é Thiago Fiorio (Pros).

Vitória

Em agosto deste ano, os agentes de saúde que atuam em Vitória também conseguiram uma decisão judicial que obrigou a Prefeitura da Capital a pagar o piso salarial da categoria no valor de R$ 1.014,00, previsto na Lei Federal nº 12.994/2014. A decisão, assinada pelo juízo da 3ª Vara da Fazenda Pública Estadual, Municipal, Registros Públicos, Meio Ambiente e Saúde de Vitória, de 15 de agosto deste ano, tem efeitos retroativos a 2014. Hoje os profissionais recebem R$ 873, abaixo até do salário mínimo. 

A decisão deu ganho de causa à ação impetrada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Saúde no Estado (Sindsaúde-ES), que representa os profissionais. Na sentença, o juiz Mario da Silva Nunes Neto julgou procedente o pedido do Sindicato, uma vez que a ilegalidade praticada pelo poder público municipal é flagrante.

O magistrado determinou, então, "o pagamento de diferenças salariais decorrentes do piso nacional mínimo previsto na Lei nº 12.994/2014 aos Agentes de Combate às Endemias e Agentes Comunitários de Saúde, a partir de 18 de junho de 2014, data de sua publicação, até a rescisão do contrato, bem como de todos os encargos sociais e fiscais devidos”.

Reajuste 

Vale lembrar que, no último dia 17 deste mês, o Congresso Nacional derrubou o veto do presidente Michel Temer ao reajuste do piso salarial das categorias de Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Agentes de Combate às Endemias (ACS) está mantido. 

Em sessão conjunta do Congresso, deputados e senadores decidiram derrubar o veto (VET 32/2018) do presidente Michel Temer ao piso salarial dos ACE e ACS. Assim, voltará a valer a remuneração nacional da categoria prevista na medida provisória (MP) 827/2018, aprovada em julho pelo Congresso. A matéria segue para a promulgação. Pela MP, os agentes receberão R$ 1.250 a partir de 2019; 1.400 em 2020 e R$ 1.550 em 2021.

O presidente da República sancionou a nova regulamentação profissional da categoria (Lei 13.708/2018), mas havia vetado seis pontos do texto que tratavam do reajuste. Agora o vetos foram derrubados e foi mantido apenas o que determina que, a partir de 2022, o piso seria reajustado anualmente em percentual definido na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Amunes orienta prefeitos a pagar piso nacional a agentes de saúde

O documento, fruto de acordo com Gilson Daniel, será entregue formalmente aos prefeitos

Núcleo de Defesa do Direito e da Justiça do Trabalho pede ajuda a parlamentares

Encontro, realizado na OAB-ES nesta sexta, selou apoio contra extinção da Justiça do Trabalho

Agentes de Saúde de Fundão conquistam cumprimento do reajuste do piso salarial

Projeto de lei do Executivo aprovado pelos vereadores garantiu direto aos agentes

Justiça concede liminar para que trabalhadores se expressem em assembleia

Decisão da Vara do Trabalho estipulou multa de R$ 100 mil para Sindfer e seu presidente, João Batista