Professores de Governador Lindenberg querem atualização da tabela de vencimentos

Categoria reivindica ao prefeito, Geraldo Loss, a ascensão de acordo com a titulação e o tempo de serviço

A garantia de ascensão de acordo com a titulação e o tempo de serviço, conforme previsto no plano de carreira do magistério municipal, é a principal reivindicação aprovada em Assembleia Específica pelos professores de Governador Lindenberg, noroeste do Estado. A categoria também reivindica o reajuste do piso nacional, que hoje é de R$ 1,8 mil para quem tem ensino médio.

Segundo o diretor jurídico do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Colatina e Governador Lindenberg (Sispmc), Décio Rezende, atualmente esses profissionais ganham cerca de R$ 1,6 mil. 

A reformulação da tabela de vencimento do magistério municipal é uma reivindicação antiga. Décio recorda que em 2015 foi criada, por meio de decreto, uma comissão composta por professores e representantes da prefeitura. O objetivo era a elaboração de uma proposta para um novo Plano de Cargos e Salários, que foi feita e encaminhada para o então prefeito Paulo Coradini (PDT). Com o término do mandato, afirma Décio Rezende, o atual prefeito, Geraldo Loss (PSDB), não encaminhou a proposta à Câmara de Vereadores.

“Queremos que o projeto seja encaminhado urgentemente para a Câmara. É ano eleitoral e o prazo para envio de projetos é até sete de abril”, diz o sindicalista. Para pressionar o poder executivo, foi criada uma comissão composta por 10 professores, que protocolaram pedido de reunião com o prefeito, a secretária de Educação, Layara Couto, e o secretário de Finanças, Davieli Dalfior. No entanto, a entidade ainda não obteve resposta. 

Outro pedido de reunião foi feito ao presidente da Câmara, Alaídio Alves do Santos (DEM), junto com os demais vereadores, já confirmada para a próxima terça-feira (17). 

O sindicato também está mobilizado em Colatina, onde, no início deste mês, o prefeito Sérgio Meneguelli (sem partido) anunciou em reunião com a Comissão de Professores e Representantes de Diretores de Escola, que não irá atender à principal demanda do magistério municipal: a correção da tabela de vencimentos. Os professores reivindicam a mesma pauta: o cumprimento do estatuto dos servidores públicos municipais, que prevê ascensão por tempo de serviço e titulação.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Comissão derruba veto à dispensa do ponto eletrônico para professores em Vitória

Expectativa é que a proposta contra medida de Luciano Rezende seja votada em plenário na próxima terça

Governo do Estado anuncia reajuste do piso salarial do magistério

Salários abaixo da média nacional foram criticados pelo deputado Majeski na última semana na Ales

Suspenso efeito de emenda que aumenta piso salarial do magistério de Vitória

Decisão é favorável ao prefeito Luciano Rezende, que moveu ADI contra medida da Câmara

Prefeito de Colatina nega correção da tabela de vencimentos do magistério

Medida de Sérgio Meneguelli contradiz compromisso firmado com a categoria em reunião e nas redes sociais