Professores de Viana ainda aguardam por salários de fevereiro

Os contratados por designação temporária estão preocupados diante da crise do coronavírus

Professores da rede municipal de Viana em Designação Temporária (DT) estão preocupados pela falta de pagamento do mês de fevereiro. Apesar do ano letivo ter se iniciado oficialmente no dia cinco de fevereiro, e os professores do dia três do mesmo mês, os salários dos contratos de DT's ainda não foram pagos.

Os professores ouvidos pela reportagem, que preferiram não se identificar por medo de represálias, já que não possuem estabilidade como os servidores efetivos, se mostraram preocupados com a situação agravada pela situação instável diante da crise em torno da pandemia do novo coronavírus.

"Enviamos mensagens, mas a prefeitura não dá satisfação para a gente. Eu moro de aluguel, não tenho dinheiro para nada. Para a passagem estava pegando dinheiro emprestado com o vizinho", disse um professor do município. "É um momento complicado, em que não se pode sair nas ruas, e não temos dinheiro para qualquer emergência", desabafou.

Embora a prática seja mais comum do que deveria, a falta de planejamento adequado faz com que órgãos públicos adotem tais medidas, postergando o pagamento junto à folha de pagamento do segundo mês, com correção e os adicionais como vale-transporte e ticket-alimentação.

Ciente do fato, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Espírito Santo (Sindiupes) levou a questão à secretaria municipal de Educação de Viana, que informou que o salário seria pago por meio de uma folha suplementar, ainda antes do pagamento do próximo mês. Porém, a secretaria não informou nenhuma previsão de data para que o pagamento ocorresse aos professores com contratos temporários.

"Agora com o recesso ficou mais complicado ter um retorno", apontou um professor. "A secretaria de Educação empurra para a de Recursos Humanos, e fica num jogo de empurra", reclamou o docente em relação à gestão do prefeito Gilson Daniel (Podemos).

A Prefeitura de Viana, consultada por meio de sua Secretaria de Comunicação, não respondeu até o fechamento desta reportagem.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
2 Comentários
  • RONALDO CHAGAS VIEIRA , terça, 24 de março de 2020

    Infelizmente é uma falta de gestão na cidade de Viana. Esses servidores em Designação Temporária, em sua maioria, apesar de estarem trabalhando, ainda nem passaram pela perícia médica, que seria primordial, antecedendo o inicio das atividades. Vale ressaltar, que não somente os professores, mas também os auxiliares, estão na mesma situação. Espero que o próximo gestor da cidade, priorize nomear secretários que conheçam Viana. É lamentável, um chamar um secretário para reunião em Soteco, ele dizer que seria assunto com Max Filho...o Staff do prefeito, não conhece a cidade que administra.

  • Valdete Pereira , terça, 24 de março de 2020

    Infelizmente o prefeito nem deve ter conhecimento do fato. Uma vez que is professores sofreram uma grande humilhacao no inicio do ano letivo, tendo que ficar no sol aguardando mais de 12h para conferencia de documentacao e formalizacao de contrato debaixo do sol, com fome e mosquitos dentro do patio da Secretaria de Educacao do Municipio. Tal fato ainda foi noticiado em uma pagina do municipio no facebook chamada Viana sem sensura. Agora tem qe aguardar dois meses sem salário em meio a essa pandemia, os professores nao podem nem cuidar das suas obrigacoes e necessidades por incompetencia dessa secretaria de educacao. Falta de respeito total.

Matérias Relacionadas

Curso popular Pré-Enem Online abre vagas para professores e estudantes

As inscrições estão abertas na ONG Renovação até a próxima sexta-feira. As aulas começam dia 12

Pesquisadores da Ufes apontam propostas para combate à Covid-19

Documento foi encaminhadas para a Fapes e também disponibilizado para a sociedade capixaba

Projeto propõe diminuição de 30% na mensalidade de escolas particulares

Hudson Leal pediu tramitação de urgência para a medida, que valeria durante a suspensão das aulas

Nomeação de reitor foi 'vingança' por derrota da direita na Ufes por uma mulher

Ao invés de Ethel Maciel, a mais votada da lista tríplice, Bolsonaro nomeou Paulo Vargas