Projeto 2020

Impulsionado pelo Palácio, Freitas já está sendo chamado de “Rei do norte” no seu reduto eleitoral

Há pouco tempo no cargo de deputado graças a uma articulação palaciana que moveu Bruno Lamas (PSB) para o secretariado e abriu espaço para sua suplência, Eustáquio de Freitas (PSB) já está sendo chamado de “Rei do norte” na região onde tem reduto eleitoral. Presença garantida em todos os eventos oficiais do governador e correligionário Renato Casagrande, o mercado político de lá comenta que ele se movimenta como bem entende, com aval do governador, já executando sua estratégia para 2020. Freitas tem pressa para recuperar sua densidade eleitoral e estaria circulando não só em seus setores tradicionais de votos, mas em outros para agregar território. A estratégia é necessária porque o deputado, depois de reeleito em 2014 com 33,5 mil votos, vem em queda livre nas urnas. Na disputa municipal seguinte de 2016, em São Mateus, ficou atrás do novato e atual prefeito Daniel da Açai (PSDB) e da liderança local Carlinho Lyrio (PHS), com apenas 10,7 mil votos, subindo pouca coisa no pleito de outubro passado, com 15,3 mil, o que lhe custou a primeira suplência da coligação PSB-DC. Mas dessa votação, ficou novamente “mal das pernas” no município que deseja comandar. Quer dizer, o caminho atrás do prejuízo continua longo. O reboque de Casagrande salva?

Lá atrás
O ranking de 2018 em São Mateus mostrou Freitas na sexta colocação, com pouco mais de 3 mil votos. Os primeiros colocados foram Carlinhos Lyrio, o mais votado do município à Assembleia, com 8,2 mil votos, e a estudante e novata na política, Claudete do Mateusão (SD), filha do ex-prefeito e ex-deputado Mateusão, com 6,7 mil.

Meta
Mateusão, aliás, já garantiu elegê-la prefeita em 2020. Depois de anos preso, ele circulou no último ano pelos bairros periféricos da região para apresentar Claudetinha, como é conhecida, e conseguiu que ela obtivesse 10 mil votos nas urnas. Com apenas 21 anos, não ficou longe de Freitas, já pra lá de experiente em eleições.

Dianteira
Outro personagem que deve surgir é Jorge Silva (SD), derrotado à reeleição à Câmara dos Deputados, porém o mais votado em São Mateus na lista de candidatos proporcionais, com 15,2 mil votos (de 43,3 mil ao todo). Só no município, ele teve praticamente a votação de Freitas em todo o Estado.

Corda bamba
A próxima disputa no município é cobiçada por muitas lideranças, principalmente pela situação do prefeito Daniel da Açai, que permanece há muito tempo no cargo por força de liminar, após ter o mandato cassado pela Justiça Eleitoral. Daniel também não conseguiu eleger o candidato que apoiou à Assembleia, o empresário Gustavo Massete (PSDB).

Palanque
Os deputados estaduais José Esmeraldo (MDB) e Rafael Favatto (Patri) lançaram, na sessão desta terça-feira (26) da Assembleia, o colega de plenário Carlos Von (Avante) candidato a prefeito em Guarapari em 2020. Quem puxou o discurso foi Esmeraldo, que chutou a canela do prefeito Edson Magalhães (Pros) em áreas essenciais, como a Saúde, para depois dizer que a população não o merece, ressaltando então o nome de Von para o cargo. Favatto repetiu os elogios e um pouco mais.

Segue...
Esmeraldo, para não perder o costume, foi além: chamou Magalhães de “prefeito pé de chinelo”. 

Absurdo 
O prefeito de Vitória, Luciano Rezende (PPS), vai ter que encarar a dobradinha entre o deputado e delegado Lorenzo Pazolini (PRP) e o vereador Davi Esmael (PSB). Os dois fizeram vistoria, com direito a vídeo exibido na Assembleia nesta terça, no Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Geisla da Cruz Militão, em Redenção, e saíram esbravejando – com razão – da situação a que estão submetidas crianças de 2 a 5 anos.

Absurdo II
Pazolini criticou as instalações de madeirite que deveriam ser provisórias mas se mantêm há dez anos, o que têm submetido os alunos a uma temperatura de mais de 50 graus, “superior à situação degradante dos presídios metálicos” do Estado. A denúncia chegou até ele por meio da Ouvidoria da Assembleia e, além do duro discurso, a visita rendeu cobranças aos deputados para que não fiquem inertes e ofícios ao Ministério Público do Estado (MPES).

Absurdo III
O assunto teve repercussão em plenário, com manifestações de Sergio Majeski (PSB) e Alexandre Xambinho (Rede). Eles alertaram ao delegado que o mesmo ocorre nas escolas estaduais, até pior, por conta do material de PVC, que funciona como uma verdadeira “estufa”. No mesmo bolo, sobrou para Luciano e o aliado, Renato Casagrande.

PENSAMENTO:
“O defeito é um monstro que não procria”. Pitágoras

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Freitas assume cadeira na Assembleia no lugar de Bruno Lamas

O deputado Eustáquio de Freitas, do PSB, inicia seu quarto mandato como deputado estadual

Na forca

Subida forçada do ex-prefeito Ademar Devens para Câmara: interesse de “quem (s)"?