PT define em uma semana a nova Executiva e os rumos para as eleições de 2020

Helder Salomão e Jackeline Rocha disputam palmo a palmo os votos dos 250 delegados eleitos

A uma semana para definição dos novos membros da Executiva Estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) no Espírito Santo, os dois principais candidatos à Presidência disputam palmo a palmo os votos dos 250 delegados eleitos no último mês de setembro. O deputado federal Helder Salomão e a ex-candidata ao governo do Estado em 2018, Jackeline Rocha, lideram as chapas principais. 

Helder e Jackeline são nomes cogitados no partido para concorrer às eleições de 2020 e 2022 e a diferença entre eles na disputa interna é mínima, dependendo das últimas articulações com os grupos que detêm poder de votos.

O parlamentar representa a chapa “Pra voltar a sonhar, Lula Livre", reunindo lideranças opostas à gestão do atual presidente, o ex-prefeito de Vitória João Coser, e obteve isoladamente 49,5% dos votos na disputa para eleger os delegados, ultrapassando os 30,7% dos votos dados a Jackeline.

Já a concorrente - chapa "Lula livre sem medo de ser feliz" - alcançou 30,70%. Esse percentual foi ampliado para 50,5%, com o alinhamento das chapas Alternativa para o Brasil Lula Livre, 14%; e Unidade em defesa do PT, 5,80%. 

Com esse resultado, o número de delegados que vai eleger a Comissão Executiva registra 124 delegados para Heder Salomão e 126 para Jackeline Rocha, segundo cálculos extraoficiais. Os dois buscaram reforço com o vereador de Cariacica, André Lopes, que concorreu isoladamente, alcançando 5,8% dos votos, e representa 14 delegados. Nos últimos dias, ele teria firmado, porém, compromisso com Jackeline, o que gera expectativa sobre o resultado da votação do congresso dos próximos dias 19 e 20.

O deputado Helder Salomão deu um reforço na campanha, no último dia dia 3, com o lançamento do seu terceiro livro de poesias, Plural, ocorrido na Casa de Stael, tradicional local de manifestações públicas do PT no Centro de Vitória. “Esse livro é, acima de tudo, um esforço para mostrar que só por meio da generosidade, do diálogo, da tolerância, do respeito, da utopia e da luta poderemos construir um mundo melhor”, explica Helder.   

Jackeline, além de João Coser, conta com o apoio do ex-deputado estadual José Carlos Nunes, derrotado na disputa pela reeleição em 2018. Tanto João Coser quanto Nunes estabeleceram ligações com o então governador Paulo Hartung (sem partido), provocando insatisfação no partido, que, por conta dessa situação, perdeu filiados e teve a bancada na Assembleia reduzida de dois para um representante, a deputada Iriny Lopes, do grupo de Helder.

O deputado federal é considerado o principal nome do partido para disputar o Palácio Anchieta em 2022. Jackeline Rocha já se colocou à disposição para disputar, no ano que vem, alguma prefeitura na Grande Vitória, dependendo somente das definições da legenda.
 

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
1 Comentários
  • Vinicius , quarta, 16 de outubro de 2019

    Não sou petista. Contudo, acredito que seria uma oportunidade interessante de tornar o PT estadual mais progressista com a liderança de Helder, presidindo a sua executiva. Salomão, além de professor, filósofo, poeta e quadro sui generis, é um excelente mandatário e gestor. Foi o melhor prefeito de Cariacica. Saudades de sua gestão, um abraço do professorado cariaciquence.

Matérias Relacionadas

PT capixaba comemora liberdade de Lula em comitê no Centro de Vitória

Após decisão do STF sobre segunda instância, ex-presidente obteve nesta sexta decisão para sair da prisão

Peças em movimento

Articulação de Erick para se manter à frente da Assembleia joga luz nos tabuleiros das próximas eleições

Oposição vence eleições no Sindicato dos Ferroviários do Estado

Em pleito histórico, grupo que dominava entidade há 22 anos perdeu o comando para chapa de Wagner Xavier

Eleição no Sindifer começa com ânimos acirrados e denúncias de irregularidades

Oposição, com Wagner Xavier, aponta desmandos da comissão eleitoral e tenta derrubar decisão do TRT