Relatório recomenda convocação imediata de aprovados na Sejus

Pazolini busca solução para o impasse, que atinge 932 excedentes para o cargo de inspetor penitenciário

A Comissão de Segurança da Assembleia Legislativa aprovou o relatório do deputado estadual Lorenzo Pazolini (sem partido) que recomenda a convocação imediata dos excedentes aprovados no concurso da Secretaria Estadual de Justiça (Sejus), realizado em 2012. Trata-se de uma reivindicação dos aprovados, que se reuniram com o colegiado em reunião nessa segunda-feira (2). 

A convocação dos 932 excedentes seria para o cargo de inspetor penitenciário. Os aprovados questionam a contratação de servidores em designação temporária (DT) para postos que devem ser ocupados por quem passou no concurso e que, de acordo com eles, têm condições de dar um serviço de qualidade em virtude da capacidade técnica. 

O integrante da Comissão de Aprovados, Uberlam Godim dos Santos, ressalta, porém, que uma cláusula de barreira dificulta a convocação. Ele explica que o edital previa que quem acertasse 50% da prova teórica seria aprovado na primeira etapa. Entretanto, somente os 500 primeiros seriam chamados para o teste físico. Posteriormente, seriam chamados para essa etapa os candidatos que ficaram entre as posições 501 e 1.200. Os demais, mesmo tendo acertado 50% na prova teórica, não participariam dessa etapa. 

O delegado Lorenzo Pazolini, que integra a Comissão, afirma que busca uma solução para o impasse. Para ele, a cláusula de barreira foi usada de forma incorreta, pois houve desvio de finalidade, devendo ser gerada nulidade. “A administração pública tem o dever de rever atos ilegais”, pontou.

Com a aprovação do relatório, a Comissão de Segurança vai elaborar uma indicação legislativa que será lida em plenário para posterior encaminhamento ao executivo. A decisão caberá ao governador Renato Casagrande.

O Ministério Público do Espírito Santo (MPES) já havia se manifestado a respeito do assunto, por meio de uma ação que requer ao Estado a prorrogação do prazo de validade do concurso, que venceu em 2018, além da suspensão da cláusula de barreira, “de forma a permitir que todos os candidatos aprovados nas fases anteriores tenham condições de serem nomeados a fim de tomar posse na medida da necessidade da Administração”.

A Comissão de Segurança da Assembleia é formada por Danilo Bahiense (PSL), presidente; coronel Alexandre Quintino (PSL), vice; e Pazolini, Euclério Sampaio (DEM), Capitão Assumção (PSL), Marcelo Santos (PDT), Freitas (PSB), Emílio Mameri (PSDB) e Luciano Machado (PV), membros efetivos. 
 

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Falta bater o martelo

PSL submete candidatos à Nacional, com duas interrogações: Pazolini (foto) na Serra e Assumção em Vitória

Justiça suspende concurso para o cargo de procurador em Vitória

Decisão liminar acatou pedido em ação civil pública movida pelo MPES contra exigência do edital

Ministério Público pede suspensão de concurso para procurador de Vitória

Prefeitura não acatou recomendação para promover a adequação no edital, cujas exigências são contestadas

Prefeitura de Vitória é notificada sobre edital do concurso de procurador

MPES questiona exigência de comprovação de prática jurídica, que alega não ter base constitucional