Rir e reinvidicar: palhaças do mundo agitarão Vitória nesta semana

Encontro Internacional de Palhaças da Ilha do Mel terá espetáculos, oficinas, cortejos e festa no Centro

“A palhaçaria feminina é nova. Antes, muitas mulheres tinham de se vertir de palhaço para poder trabalhar na palhaçaria”, diz a palhaça Amora Gasparini, do Grupo Lacerta Circo Teatro. Ela é uma das organizadoras do II Encontro Internacional de Palhaças da Ilha do Mel, prova viva de que essa realidade está mudando. De 25 a 28 de julho, várias mulheres de vários países estão protagonizando a palhaçaria no Centro de Vitória, com oficinas, espetáculos, cortejos e festas.

Foto: Divulgação

Como ainda há poucas palhaças no Espírito Santo, a proposta do encontro é que o público conheça as artistas e se inspirem nelas para sua pesquisa pessoal e formação, além das artistas de fora poderem conhecer a cidade, a cultura e encontrar com o público local. Estarão presentes artistas de estados como Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Ceará, Bahia, e também da Colômbia, Argentina, Equador e Chile. Os eventos e encontros entre palhaças têm crescido nos últimos anos no Brasil, mas segundo Amora Gasparini, o país ainda tem poucas mulheres no ramo. Nesse sentido, se tratando de uma profissão que é marcada pela itinerância e viagens constantes, muitas artistas estrangeiras, especialmente de outros países da América Latina, ocuparam um espaço de referência no país.

Uma delas é a argentina Lily Curcio, radicada em Campinas (SP), que será a homenageada neste ano pelo encontro em Vitória. Única mulher palhaça mestra da Escola Livre de Palhaços, ela apresentará o espetáculo “Pedaços de Mim”, em que compartilha fragmentos de sua vida pessoal e sua trajetória artística, além de ministrar a oficina de palhaçaria “Como se fosse a última vez” e participar de uma roda de conversa debatendo “Produção de resistência da mulher artista”.

A exemplo do ano passado, o encontro promete fortes emoções. “Houve uma onda linda de conhecimento sobre si mesmo. Tivemos relatos de pessoas que fizeram oficina e que só aprenderam ali o que era um relacionamento abusivo”, conta Amora. “Não que a palhaçaria feminina fale disso o tempo todo, como podem desconfiar. Mas como mulher, discutem tudo o que uma mulher passa na vida! Porém, de uma forma mais engraçada, claro! A proposta é de cura. Tanto da artista quanto do público. Discutir aceitação do que você é, das desgraças que passamos na vida e saber lhe dar com isso... tudo de forma bem engraçada. Pois o riso cura e sabemos pois é comprovado”, afirma a artista capixaba.

Foto: Divulgação

Ela não tem dúvidas em afirmar que a palhaçaria feminina é um ato político, tanto na teoria quanto na prática.“Exercer o ofício de ser palhaço já é um ato político, de denúncia, alerta, reflexão e conexão. Quando a mulher palhaça entra na história, ela leva consigo todas as questões que precisam ser discutidas. Ela tem voz, como muitas vezes não teve antes”, explica Amora. No estado, que está entre os campeões de feminicídio no Brasil, ela vê que a palhaçaria pode cumprir um papel importante para chamar atenção para o protagonismo da mulher e de suas lutas. “Por meio da exposição exagerada e até mesmo ridícula da palhaça, ela tem o poder de estancar o curso dessa violência”. 

Além de refletir a partir do riso, o público de Vitória terá oportunidade de ter contato com mulheres que atuantes na área que também contribuem para o desenvolvimento, teórico, técnico e prático da linguagem da palhaçaria, utilizando também outras linguagens complementares como a performance, o teatro e as artes plásticas.

As atividades acontecem em diversos espaços do Centro de Vitória como Sesc Glória, Má Companhia, Centro Flutuante, Casa da Gruta e pelas ruas do bairro. Confira abaixo a programação completa.

AGENDA CULTURAL

II Encontro Internacional de Palhaças da Ilha do Mel

Quando: 25 a 28 de julho

Onde: Centro de Vitória (diversos locais)

Programação

25 de julho (quinta-feira)

09-12h - Oficina: “Como se fosse a última vez”*, com a mestra Lily Curcio.  Local: Má Companhia, Centro.

17h - Roda de conversa: Produção de resistência da mulher artista.  Local: Sala da palavra, Sesc Glória, Centro. Entrada gratuita.

19h30 - Espetáculo: “Estupendo Circo di SóLadies”, Circo di SóLadies (SP) Local: Teatro Virgínia Tamanini, Sesc Glória, Centro. R$ 20/R$ 10 (meia).

21h - Espetáculo: “Absurdas”, Casa 407 - Coletivo de Palhaças (RJ). Local: Rua Sete de Setembro, Centro. Entrada gratuita.

 *A oficina “Como se fosse a última vez” tem o valor de R$ 100 e as inscrições vão até 20/07, através de link disponível nas páginas do evento nas redes sociais.

26 de Julho (sexta-feira)

09-12h - Oficina: “Como se fosse a última vez”, com a mestra Lily Curcio. Local: Má companhia, Centro.

14-18h: Oficina: “A comicidade que baila em mim”, com Kathleen Louise (RN). Local: Centro Flutuante, Centro. Oficina gratuita.

19h - Espetáculo: “Cabaré das Divas” - Um varietê especial do Encontro de Palhaças, com Lily Curcio como mestra de cerimônia.  Local: Teatro Glória, Sesc Glória, Centro. R$ 20/R$ 10 (meia).

27 de julho (sábado)

10h30 - Cortejo Capixaba. Local: Rua Sete de Setembro, Centro. Entrada gratuita.

18h30 - Espetáculo: “Deslady”, Cia dos Palhaços, Curitiba (PR). Local: Teatro Virgínia Tamanini, Sesc Glória, Centro. R$ 20/R$ 10 (meia).

20h - Espetáculo: “Pedaços de mim”, Seres de Luz Teatro, Campinas (SP). Local: Teatro Glória, Sesc Glória, Centro. R$ 20/R$ 10 (meia).

22h - Palco aberto. Local: Centro Flutuante, Centro. Entrada gratuita.

28 de julho – Domingo: 18h - CirkasDub - Festa de encerramento do Encontro. Local: Casa da Gruta, Gruta da onça. Ingressos no local.

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

No 'underground', Revirada Cultural vai 'aquecer' para o Viradão Vitória

A Banca Bicho Solto é uma das quase 30 atrações do evento que acontece dia dia 27 na Casa da Barão

Festa da Integração reúne grupos de cultura popular no Caparaó

Evento busca integrar comunidade de Patrimônio da Penha e valorizar as tradições culturais do Estado

Encontro de Folia de Reis ainda não tem data para edição 2019

Coluna CulturArte: ES na TV Cultura, navio-livraria em Vitória, novo disco de Macacko, 40 anos de ateliê

Em novo local, Movimento Samba Novo apresenta canções inéditas

Articulando compositores capixabas, MSN chega à marca de 80 novos sambas lançados para o público