Rodoviários paralisam atividades em protesto contra ônibus sem cobrador

Apesar de decisão da Justiça para manter 75% da frota circulando, a adesão é de 95%

Conforme prometido, os profissionais que atuam no transporte público da Grande Vitória cruzaram os braços nesta segunda-feira (12), deixando aproximadamente 400 mil pessoas, que são transportadas diariamente na região metropolitana, sem ônibus. Motoristas e trocadores protestam contra os ônibus com ar-condicionado do Sistema Transcol que começaram a circular sem a presença dos cobradores. A categoria teme o desemprego dos profissionais. 

De acordo com estimativa do Governo do Estado, do total da frota de 1500 ônibus apenas 50 circularam na manhã desta segunda-feira, uma paralisação que afetou cerca de 95% do transporte público metropolitano, apesar de uma decisão judicial que estabelecia que 75% da frota deveria circular, sob pena de multa de R$ 150 mil por dia. O movimento liderado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Espírito Santo (Sindirovoviários-ES) terá um ato na Praça Oito para onde estão se dirigindo motoristas e cobradores.  

Segundo relatos de próprios motoristas, um dos coletivos com ar-condicionado, que sairia nesta segunda para as ruas, teve o pneu esvaziado pelos rodoviários. Os novos coletivos aceitarão apenas passageiros com o bilhete único, dispensando o papel do cobrador. Ainda não há previsão para o fim da paralisação. Passageiros também relatam dificuldade em encontrar ônibus municipais de Vitória e Vila Velha. 
 
A Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Estado do Espírito Santo (Ceturb/ES) informou que os terminais não estão fechados, mas amanheceram vazios e assim permaneceram, uma vez que os ônibus não saíram das garagens para circular. Tanto o Governo quanto a Ceturb estão acionando a Justiça novamente para que a paralisação seja interrompida. 
 
Aviso

"Sem cobrador não roda. Segunda-feira, 12 de agosto, vamos parar tudo". Esse foi o aviso publicado na última sexta-feira (9) nas redes sociais do Sindirodoviários-ES, após decisão da categoria por deflagrar greve por tempo indeterminado, "em defesa dos postos de trabalho dos cobradores".

No último dia 6, em assembleia, os trabalhadores já haviam autorizado o Sindirodoviários-ES a promover paralisação em todo o sistema de transporte de passageiros da Grande Vitória, caso não avançassem as negociações com o governo do Estado. Diante da divulgação de que 26 veículos com ar-condicionado já começam a circular nesta segunda, o sindicato reagiu com a convocação da greve. 

O secretário de Estado de Transportes e Obras Públicas, Fábio Damascesno, tem garantido que não haverá demissões de trocadores. Segundo ele, todos os empregos serão mantidos, e haverá requalificação desses profissionais para outras atividades.
 
A gestão estadual alega que as mudanças irão modernizar e melhorar a qualidade do transporte coletivo da Grande Vitória e que não haverá demissões, como prevê o Programa de Qualificação para Cobradores. A opção para os trabalhadores, no entanto, será fazer cursos em conjunto com o GVBus e o Sistema SEST/Senat, para suprir funções inerentes ao sistema de transporte (mecânico, fiscal, auxiliar administrativo, agente de vendas) ou em outras áreas escolhidas pelo profissional, de acordo com o seu perfil. "Os cobradores também terão prioridade na contratação para outras funções e só serão contratadas pessoas de fora do sistema caso não haja mão de obra qualificada de cobradores", garante o governo.

Mas, para o Sindirodoviários, "muitos pais de família devem ficar desempregados, mesmo que o governo diga que não". Além de rejeitar a proposta, a entidade defende que o papel do cobrador não é apenas cobrar a passagem, "é o profissional que auxilia o motorista em tudo; inclusive na segurança. Haverá prejuízos também para as pessoas com deficiência, pois é o trocador quem realiza as manobras para entrada do cadeirante", explicou José Carlos Sales, presidente do sindicato.

Até o final deste ano, segundo o governo, serão entregues 100 veículos novos com ar-condicionado, totalizando 600 até 2022. Esses veículos vão operar nas linhas troncais do sistema (fazendo a ligação Terminal x Terminal). A última entrega de novos veículos ao Sistema Transcol foi feita em 2014. Além do ar-condicionado, os ônibus são equipados com o serviço de wi-fi e entretenimento a bordo. 

As linhas que iniciam a operação dos veículos com ar-condicionado na segunda-feira são: 591; 523; 503; 508; 501; 504; 516 e 572. “Foram escolhidas por serem mais carregadas e por atenderem mais bairros”, afirmou o diretor-presidente da Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Estado do Espírito Santo (Ceturb-ES), Raphael Trés. 

O embarque nos novos coletivos será realizado exclusivamente com CartãoGV ou com qualquer um dos antigos cartões do sistema Transcol que tenha realizado a migração, incluindo aqueles com o benefício de gratuidade. A ação, diz o governo, tem o objetivo de trazer mais agilidade no embarque e mais segurança, já que elimina o dinheiro dentro do coletivo. O usuário também pode verificar qual veículo tem ar-condicionado pelo aplicativo ÔnibusGV. 

Dados sobre o Sistema Transcol indicam uma frota e 1.500 veículos, com 12 mil viagens/dia, transportando 570 mil passageiros/dia em cerca de 300 linhas.
 

Leia Também:

Comente Aqui
Confirme seu comentário no e-mail em até 48 horas para mantê-lo ativo.
Atenção caros leitores, comentários com link não serão mais aceitos. Evite ser bloqueado.
0 Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Matérias Relacionadas

Evolução do orçamento para Defensoria no Plano Plurianual decepciona defensores

Segundo Mariana Sobral, da Adepes, Governo não cumpriu acordo feito com categoria e deputados estaduais 

Chão afunda em pátio da antiga Secretaria Estadual de Saúde  

Situação precária de prédios públicos é alvo de ação do MPES e sindicato dos servidores  

Antes de ser desarticulado, órgão de prevenção à tortura fez recomendações ao ES

Relatório do Mecanismo de Prevenção à Tortura denuncia superlotação e pede medidas de desinternação

Justiça do Trabalho homologa acordo que põe fim à greve dos rodoviários

Após assembleia da categoria nesta terça, presidente do TRT encerrou rodada de negociações